O General Shopping e Outlets (GSFI11) se destaca como um Fundo de Investimento Imobiliário (FII) direcionado para um segmento que vem conquistando o coração dos investidores. 

Com desempenho acima da média, grande volume de ofertas e resiliência, os FIIs de shoppings se destacam como estrelas no cenário atual do mercado de investimentos. Para quem busca investimentos com um notável nível de solidez no setor imobiliário, o GFSI11 é uma alternativa a ser considerada.

Para auxiliar na sua pesquisa, este artigo do Melhor Investimento reúne os principais detalhes sobre o FII GFSI11, incluindo histórico de cotações, dividendos, características fundamentais e expectativas futuras para o seu segmento. 

Sobre o FII GSFI11

O fundo General Shopping e Outlets do Brasil (GSFI11) é um FII de Shopping Center do tipo tijolo negociado na bolsa de valores brasileira (B3) sob o código GSFI11. Administrado pela Planner Trustee, o GSFII11 possui uma gestão do tipo ativa que fica a cargo da Capitania Investimentos. 

Desde sua oferta pública inicial (IPO), em maio de 2019, o GSFI11 tem se mantido no mercado e acumulando uma ampla base de investidores, possuindo hoje cerca de 84,54 milhões de cotas distribuídas entre 7.988 cotistas

Taxa de administração

O FII General possui uma taxa de administração de 1,05% ao ano sobre o valor contábil do patrimônio líquido ou o valor de mercado do fundo, até o limite de R$ 200.000.000,00. Essa taxa é importante para cobrir os custos operacionais e garantir a manutenção adequada do fundo.

Em maiores detalhes, a taxa de administração é um percentual do valor total investido pelos cotistas. Ela serve para arcar com os custos da administração e gestão do fundo, representando uma forma de remunerar os profissionais responsáveis por essas respectivas atividades. 

Estratégia de investimento do FII General Shopping e Outlets 

O FII GSFI11 busca gerar renda e valorizar o patrimônio a longo prazo, investindo principalmente em shoppings e outlets já em operação, mas com a flexibilidade de participar de novos projetos promissores. Além disso, objetiva obter ganho de capital por meio de compra e venda desses ativos. 

Conforme descrito no site da Capitânia, gestora do fundo, o fundo investe, ao menos, dois terços do Patrimônio Líquido na exploração comercial de empreendimentos caracterizados como centros comerciais. “Adicionalmente, o Fundo poderá realizar investimentos nos seguintes ativos (Ativos Financeiros Imobiliários, e em conjunto com os Ativos Alvo, os “Ativos Imobiliários)”, esclarece a gestora. 

Informações básicas do FII GSFI11

Tipo de FIITijolo
Segmento Shopping/varejo
AdministraçãoPlanner Trustee DTVM Ltda
GestãoCapitânia Capital S/A
Tipo de gestãoAtiva
Data do IPO 02/05/2019
N.º de cotas emitidas84.541.558
N.º de cotistas7.988 cotistas
Taxa de administração1,05% a.a. (ao ano) 

Visão geral de cotação GSFI11

O FII GSFI11 apresenta um desempenho notável em 2024, com valorização acumulada de 54,29% até o momento. Essa performance positiva se reflete na trajetória da cotação do fundo, que iniciou o ano na faixa de R$ 4,90 e atualmente se encontra em R$ 7,57

Gráfico de cotação do fundo GSFI11

Histórico de cotação 2024

DataÚltimoAberturaMáximaMínimaVolumeVariação
01.06.20247,687,797,817,58636,76K-1.54%
01.05.20247,807,857,857,607,88K0.00%
01.04.20247,807,857,857,7029,32K-0.64%
01.03.20247,857,867,997,7112,28K-0.51%
01.02.20247,897,908,097,791,19M-0.25%
01.01.20247,917,907,927,821,30M+0.13%

GSFI11 paga dividendos mensais? 

Os investidores que consideram o General Shopping e Outlets (GSFI11) têm uma questão constante em mente: o fundo realiza distribuições de rendimentos mensais aos seus cotistas? 

Trata-se de uma dúvida pertinente, na medida em que a distribuição de dividendos é uma prática comum entre outros Fundos Imobiliários. No entanto, até o momento da publicação deste artigo, não há um registro de pagamento de rendimentos pelo fundo. 

A principal para tal, veiculadas nos meios de comunicação, é que todos os shopping centers incluídos na carteira do fundo foram utilizados como garantia para dívidas, por meio de alienação ou cessão fiduciária, conforme informa um artigo do The Capital Advisor.  

Em termos gerais, é esperado que o GSFI11 não realize distribuições de rendimentos mensais até que a dívida seja totalmente amortizada. No relatório mensal de abril de 2024, a equipe gestora fala sobre o endividamento: 

“Mensalmente, recursos excedentes ao cronograma de juros e amortização sempre compõe o saldo da Escrow Account (Conta de recebimento dos recursos da Cessão Fiduciária dos CRIs), sendo assim, o endividamento é confortável frente a geração de caixa dos ativos, no entanto, o mecanismo de Cash Sweep acaba se tornando um importante fator para limitar a distribuição de dividendos pelo fundo.”

Localização dos ativos 

O fundo General Shopping e Outlets (GSFI11) possui uma carteira com um total de 9 ativos. Esses ativos estão distribuídos por 4 estados brasileiros, com a seguinte composição: 

  • São Paulo detém a maior participação com 59,7%, seguido pelo Rio de Janeiro com 27,70%, Goiás com 6,37% e Bahia com 5,96%. 
AtivoCidadeEndereçoÁrea Bruta Locável (m²)Participação (%)
Unimart Shopping CampinasCampinas–SPAv. John Boyd Dunlop, 35015.878 95%
Parque Shopping BarueriBarueri–SPR. Gen. Div Pedro Rodrigues da Silva, 40036.300 79.2%
Shopping BonsucessoGuarulhos–SPAv. Jusc. Kubitschek de Oliveira, 5.30827.85262.5%
Parque Shopping SulacapRio de Janeiro–RJAv. Marechal Fontenelle, 3.54529.022 94%
Outlet Premium São Paulo Itupeva–SPRodovia dos Bandeirantes, km 72 24.88249.5%
Outlet Premium BrasíliaAlexânia–GORodovia BR 060, km 2117.36050%
Outlet Premium Rio de JaneiroDuque de Caxias–RJRod. Washington Luis, km 10920.90650%
Outlet Premium SalvadorCamaçari–BAEstrada do Coco, km 12,515.91351%
Outlet Premium Grande São PauloItaquaquecetuba–SPRodovia Ayrton Senna, km 4516.60149%
Com dados do Relatório Mensal do GSFI11/abr. 2024

Perspectiva de futuro para FIIs de Shopping

O segmento se destacou em maio deste ano com uma valorização média de 21% em 12 meses, inclusive, superando o IFIX dos demais principais segmentos do mercado. Esse forte desempenho levanta questionamentos sobre o melhor momento para investir em FIIs de shopping centers já passou.

Sobre tais dúvidas, Fábio Goes, especialista da Capitania Investimentos, oferece alguns insights:

  • Receitas diversificadas: os shopping centers obtêm renda através de diversas fontes, como aluguel de lojas, receitas de estacionamento, participação nas vendas dos lojistas, publicidade e outros. Essa diversificação contribui para a solidez do segmento.
  • Oportunidades em meio à retomada: além disso, prevê-se um incremento no fluxo de pessoas nos centros comerciais. Tal expectativa sugere que os investimentos imobiliários direcionados a shoppings poderão ainda assimilar um aprimoramento significativo em seus retornos e valorização no mercado.

No entanto, lembre-se que apesar dos fortes indicativos, resultados passados não garantem retornos futuros. Assim, é fundamental realizar uma análise individualizada de cada FII antes de investir, considerando fatores como qualidade dos ativos, histórico de dividendos e gestão do fundo.

Conheça outros FIIs de Shopping do mercado

Nome do FII de shoppingTicker
Hedge Brasil Shopping FIIHGBS11
Grand Plaza Fii Shopping CentersABCP11
Vinci Shopping Centers FIIVISC11
Genial Malls FIIMALL11 
XP MallsXPML11 
Shopping Pátio Higienópolis SHPH11

Afinal, vale a pena investir em GSFI11? 

Investir em um fundo de investimento imobiliário, como o GSFI11, requer uma análise cuidadosa e uma decisão informada. Embora o segmento de shoppings tenha mostrado estabilidade e potencial de crescimento, é essencial que cada investidor avalie a situação com base em suas próprias circunstâncias financeiras e objetivos.

Portanto, é recomendável realizar uma pesquisa aprofundada, considerando fatores como a performance histórica do fundo, as taxas de administração, a liquidez e a participação no mercado. Além disso, entender as tendências do mercado imobiliário e as perspectivas futuras do segmento de shoppings pode ajudar a tomar uma decisão mais acertada.

Por fim, lembre-se, cada caso é único e o que pode ser adequado para um investidor pode não ser para outro. Portanto, é importante que você faça sua própria pesquisa e consulte um assessor financeiro antes de tomar qualquer decisão de investimento.

Lucas Machado

Redator do Melhor Investimento e estudante de Psicologia, com mais de dois anos de experiência em redação de artigos relacionados aos mais variados assuntos e campos do saber.