Para os investidores que buscam ativos de infraestrutura com potencial de crescimento e geração de renda recorrente, os Fundos de Investimento em Participações em Infraestrutura (FIP-IE), como o BDIV11, podem ser uma boa opção.

Diferente dos Fundos Imobiliários (FIIs), que possuem isenção de IR apenas sobre os rendimentos, os FIPs são isentos de IR para pessoa física sobre qualquer tipo de provento e ganho de capital.

Investidores que estão construindo um portfólio diversificado e com bons pagadores de Dividend Yield (DY) — aplicações que oferecem um DY superior ao de outros investimentos semelhantes — podem considerar aplicar uma porcentagem de seu capital em FIP-IE. Se a intenção é investir especificamente no mercado de energia, o BDIV11 é uma possibilidade.

O que é o BDIV11?

O BDIV11 é um Fundo de Investimento em Participações de Infraestrutura (FIP-IE) administrado pelo BTG Pactual Asset Management e tem como gestor o próprio time de infraestrutura do banco. Lançado em outubro de 2020, o fundo possui 10.693.825 cotas, que estão divididas entre 3.926 cotistas.

O objetivo do BDIV11 é investir em ativos de infraestrutura, como rodovias, aeroportos, energia, saneamento e telecomunicações. Atualmente, o portfólio do fundo está totalmente concentrado em empreendimentos do setor de energia.

De acordo com o prospecto, o BDIV11 é um fundo de condomínio fechado, o que significa que não permite resgates antecipados. O resgate das cotas só pode ser feito na data de liquidação, sendo que o prazo de vencimento é de 30 anos, podendo ser prorrogado por mais 30 anos, mediante recomendação do gestor e aprovação em assembleia.

Características do fundo

Gestão

O grupo responsável pela gestão do fundo é composto por profissionais que possuem ampla experiência no setor de energia: Renato Mazzola, Rodrigo Alves e João Moreno. Além deles, existem outros especialistas dedicados à análise do fundo, como o Time de Investimentos, o Grupo Expandido, a área de Relações com Investidores (RI), a área de Suporte às Operações (COO) e a equipe de Impacto do BTG Pactual.

Taxa de administração

A taxa de administração do BDIV11 é de 1,10% ao ano, usada para cobrir os custos associados à gestão e administração do fundo. Importante ressaltar que o BDIV11 não possui taxa de performance.

Ela é cobrada anualmente, mas geralmente é deduzida do valor do fundo em uma base diária. Isso significa que a taxa é calculada todos os dias, levando em consideração o valor total do fundo naquele dia, e então é deduzida do fundo ao longo do ano.

Por exemplo, se o fundo tiver um valor total de R$100.000, a taxa de administração anual de 1,10% significaria uma taxa total de R$1.100 por ano. No entanto, essa taxa seria deduzida do fundo diariamente, resultando em uma pequena dedução diária que soma a taxa total ao longo do ano.

Leia também: JURO11 Vale a Pena? Dividendos, Cotação e Histórico Sparta

Rentabilidade

A rentabilidade do BDIV11 é variável e depende da performance de seus ativos. No entanto, é possível averiguar o bom desempenho do fundo a partir de seu histórico. 

Por exemplo, entre 02 de outubro de 2022 e 02 de outubro de 2023, o fundo teve uma rentabilidade de quase 43%. Isso significa que um investidor que aplicou R$ 1.000 (mil reais) nesta data hoje possui R$ 1.430,27.

Já entre 24 de maio de 2023 e 24 de maio de 2024, o fundo teve uma valorização de 15,56%.

A título de comparação, de acordo com levantamento do site investidor10, nos últimos dois anos, enquanto o IFIX (Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários) teve uma rentabilidade de 18,62% e o CDI (Certificado de Depósito Interbancário) alcançou 24,68%, o BDIV11 teve mais de 87% de rentabilidade.

Segundo a estratégia do fundo, o retorno esperado é entre IPCA + 6,5% a 7,5% ao ano durante 30 anos.

Cotação do BDIV11

O BDIV11 começou o ano de 2024 com uma cotação de aproximadamente R$ 120,00. Atualmente, a cotação está em torno de R$ 125,69.

Isso indica que houve um aumento na cotação desde o início do ano. A variação da cotação do BDIV11 em 2024 até agora é de aproximadamente 4,74%.

Além disso, é importante destacar que o fundo apresentou uma valorização positiva de 16,38% nos últimos 12 meses. Isso significa que, se você tivesse investido há um ano, seu investimento teria crescido quase 17% nesse período.

Dividendos do BDIV11

No ano de 2024, a soma dos dividendos pagos do BDIV11 é R$ 16,00. O último pagamento aconteceu no dia 29 de abril, com os proventos no valor de R$ 8,00, o que significa que o dividend yield (DY) do mês de julho foi de 6,14%.

Considerando os últimos 12 meses, o DY é de 22,14%. Com isso, o BDIV11 é um dos melhores pagadores de DY do segmento de FIPs.

TipoData comPagamentoValor
Rendimento19/04/202429/04/20248,00000000
Rendimento22/01/202429/01/20248,00000000
Rendimento19/10/202326/10/20236,90000000
Rendimento20/07/202327/07/20235,00000000
Rendimento19/04/202327/04/20235,00000000
Rendimento21/03/202328/03/20235,00000000
Rendimento23/01/202330/01/20235,00000000
Rendimento20/10/202227/10/20223,98000000
Rendimento19/07/202226/07/20223,20000000
Rendimento19/04/202227/04/20223,17000000
Rendimento19/01/202226/01/20223,75000000
Rendimento20/10/202128/10/20213,72000000

Lembrando que, os dividendos — parte do lucro líquido de uma empresa que é distribuída aos seus acionistas como forma de remuneração — são distribuídos de acordo com a periodicidade estabelecida pelo fundo. O BDIV11, por exemplo, desde que está no mercado realiza a distribuição de proventos ao menos quatro vezes no ano.

No entanto, a frequência pode ser alterada por diversos fatores, como os empreendimentos que fazem parte do portfólio do fundo estarem passando por problemas financeiros, ou por fatores externos, como a crise global que aconteceu em 2020 em decorrência da pandemia de Covid-19 e que afetou fundos dos mais diversos segmentos.

Vantagens e diferenciais do BDIV11

  • Renda recorrente através de dividendos que, de acordo com a estratégia do fundo, devem ser distribuídos semestralmente, mas nos anos de 2021, 2022, 2023 e 2024 foram pagos trimestralmente;
  • Exposição a ativos de infraestrutura do setor de energia, segmento que é essencial para a economia;
  • Gestão profissional realizada pelo BTG Pactual, instituição que está no mercado há mais de 40 anos;
  • Isenção de Imposto de Renda (IR) sob rendimentos e ganho de capital para pessoas físicas;
  • Portfólio com empreendimentos geridos pelo BTG há mais de uma década (Linhares e PCH Braço).

Portfólio do fundo

Atualmente, três ativos do setor de energia fazem parte do portfólio do fundo.

Tropicália

É uma concessionária do setor público de transmissão de energia elétrica do estado da Bahia. 

Em operação desde janeiro de 2021, a Linha de Transmissão em 500kV é responsável pelo escoamento da energia elétrica proveniente dos novos projetos eólicos localizados na região Nordeste do Brasil, o que proporciona uma redução no risco de déficit de energia na região sudeste do país. 

São 522 torres que percorrem 245 quilômetros e passam por 17 municípios.

Linhares

A Linhares Geração S.A. (LGSA) é uma empresa brasileira de geração de energia elétrica, localizada em Linhares, Espírito Santo. Fundada em 2008, a LGSA venceu o leilão A-3, realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), no mesmo ano. 

Em 2009, deu início à construção da Usina Termelétrica Luiz Oscar Rodrigues de Melo (UTE LORM), uma planta termelétrica a gás natural com capacidade instalada de 205 megawatts (MW). 

A usina foi inaugurada em 2012 e entrou em operação comercial em 2013. A LGSA está comprometida com a segurança energética do país, adotando práticas eficientes e sustentáveis e é abastecida com gás natural liquefeito (GNL) fornecido pela BR Distribuidora/Petrobras através do gasoduto Cacimbas-Vitória.

PCH Braço

A PCH Braço é uma pequena central hidrelétrica localizada no rio do Braço, na divisa dos municípios de Rio Claro (RJ) e de Bananal (SP). O projeto foi comprado pelo Fundo de Investimentos FIP Brasil Energia, gerido pelo Banco BTG Pactual, que começou a construção da central em 2009.

Com uma potência instalada de 11,6 MW e uma produção anual de 40 GWh, a energia gerada pela PCH Braço é transmitida para a rede elétrica do Sistema Interligado Nacional (SIN).

A PCH Braço é uma importante fonte de energia renovável para a região. A usina contribui com o crescimento da oferta de energia elétrica no Brasil e para a redução da dependência de combustíveis fósseis. Para se ter uma ideia, em 2022, as pequenas centrais hidrelétricas representavam cerca de 10% da capacidade instalada de geração de energia elétrica no país.

Relação do fundo com sustentabilidade e ESG

Um fundo que possui compromisso com a sustentabilidade considera fatores ambientais, sociais e de governança (ESG), tanto na construção de seu portfólio quanto em toda cadeia de produtos e serviços do estruturador, gestor e administrador — no caso do BDIV11, o BTG Pactual é responsável pelos três papéis.

Com o avanço das mudanças climáticas, esses fatores estão sendo cada vez mais contestados e requisitados pelos investidores que buscam investir em empresas que tenham impacto positivo.

O BDIV11 possui em sua carteira empresas de energia renovável, isso por si só já o caracteriza como um fundo comprometido com a sustentabilidade. O fundo também possui uma política de investimento que considera os critérios ESG nas principais tomadas de decisão.

Alguns dos componentes que são avaliados regularmente pela gestão do BDIV11 em todos os ativos que fazem parte da carteira: emissão de carbono, uso de recursos naturais, saúde e segurança dos trabalhadores, compliance e integridade, entre outros.

Além disso, o fundo é signatário da UNEP-FI e do Pacto Global da ONU e reporta regularmente suas ações alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) definidos na Agenda 2030.

Se você quiser se aprofundar ainda mais sobre fundos de investimentos, leia também nosso artigo sobre Fundo de fundos: conheça o FOFs e veja como investir.

Vale a pena investir no BDIV11?

A decisão de investir em um fundo de investimento como o BDIV11 depende de vários fatores, incluindo seus objetivos financeiros, perfil de investidor e horizonte de investimento.

O BDIV11 é um Fundo de Investimento em Participações (FIP) que investe em empresas menores, com foco na participação da gestão delas. Portanto, seus resultados dependem do trabalho realizado pela gestão do fundo nos negócios. Isso significa que a exposição ao risco pode ser maior comparada a outros tipos de investimentos.

Além disso, é importante considerar que o BDIV11 está contido na classe de investimentos da renda variável. Isso significa que o valor do investimento pode flutuar ao longo do tempo, o que pode resultar em ganhos ou perdas.

Por outro lado, o BDIV11 é um dos maiores pagadores de DY, o que pode ser uma oportunidade ganhar uma renda extra com investimentos.

Se você quer investir, mas não sente segurança em criar seu portfólio sozinho(a), uma assessoria de investimentos especializada, como a InvestSmart, pode te ajudar.

Resumindo

Quanto o BDIV11 paga de dividendos?

Em 2024, a soma dos dividendos pagos pelo BDIV11 é R$ 16,00. O último pagamento aconteceu em abril, com um valor de R$ 8,00 por cota.

O que é um FIP-IE?

FIP-IE é um fundo de investimento em participações em infraestrutura, que investe em projetos de infraestrutura, como rodovias, aeroportos, energia, saneamento e telecomunicações.

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.