Em meio às movimentações do mercado financeiro brasileiro, um fenômeno está se desdobrando silenciosamente, mas com impacto significativo. O crescimento das contas internacionais é mais do que apenas números em um gráfico; trata-se de uma narrativa de mudança e conexão global.

À medida que o mundo se torna cada vez mais interligado, as fronteiras financeiras se desvanecem. A globalização econômica, já uma realidade palpável que impacta diretamente nas decisões financeiras, uma vez que abre um leque de oportunidades e desafios para quem busca investir e gerir seu patrimônio.

Em 2023, essa realidade se traduziu em um aumento expressivo dos investimentos internacionais por parte dos brasileiros: US$ 45,18 bilhões aportados no mercado financeiro global, um crescimento de 12,5% em relação ao ano anterior

O saldo líquido positivo de US$ 4,37 bilhões, bem acima dos US$ 142 milhões negativos registrados em 2022, corrobora essa tendência. Vale ressaltar que os referidos dados do Banco Central (BC), leva em conta movimentações de pessoas físicas e jurídicas. 

Mas por que os brasileiros estão tão interessados nas contas internacionais? A resposta está atrelada a múltiplos fatores, incluindo a globalização econômica, a digitalização dos serviços bancários e a busca por diversificação de investimentos por parte dos brasileiros.

Digitalização dos serviços bancários

A digitalização dos serviços bancários desempenha um significativo protagonismo no aumento das contas internacionais no país. Hoje é possível ter acesso a moedas estrangeiras com alguns cliques, transferir fundos instantaneamente, solicitar cartões de débito e até mesmo investir em ações de empresas do outro lado do mundo. 

Em essência, a tecnologia encurtou as distâncias e democratizou o acesso aos mercados globais. Não é mais surpresa que a digitalização esteja redefinindo a maneira como lidamos com dinheiro, investimentos e transações.

O Pix, o Drex e o Open Finance no Brasil são exemplos concretos dessa mudança. Em movimentação mais recente, o acesso às contas internacionais também vem se consolidando. “O dinheiro não conhece mais limites geográficos; ele flui livremente através de cabos de fibra óptica e satélites.”

Nos últimos anos, houve um aumento significativo na oferta de contas globais por parte das novas empresas do setor financeiro. Uma das principais vantagens que tem atraído cada vez mais interessados é a redução dos custos. 

Nesta linha, a redução significativa de 1,1% do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) nas compras internacionais, representa uma prática comumente adotada em contas globais. Por outro lado, as compras com cartão de crédito tradicional emitido no Brasil são taxadas com IOF de 5,38%.

Impactos do crescimento das contas globais

O crescimento das contas globais não é apenas uma resposta à demanda por serviços financeiros internacionais, mas também um reflexo da crescente interconexão do mundo. Nesta linha, o aumento no uso de apps bancários e das contas digitais, principalmente no exterior, culminou em transformações para o mercado de câmbio, em geral.

As fintechs, com suas inovações disruptivas, obrigaram os bancos tradicionais a se adaptarem e oferecerem soluções mais completas e competitivas. Diante da concorrência acirrada, instituições como Banco do Brasil e Bradesco  “entraram na dança”. 

Além de lançarem aplicativos bancários mais modernos, também investiram na criação e aprimoramento de serviços voltados para o exterior. Embora seja complexo analisar os diferentes reflexos do aumento da incidência de contas internacionais, esse movimento, talvez represente um dos efeitos mais evidentes do crescente interesse no mercado de câmbio por parte dos brasileiros. 

Vale acrescentar que o aumento expressivo nos investimentos internacionais não se restringe apenas ao último ano. De fato, os números de 2023 representam uma recuperação da queda de 2022. No entanto, o saldo líquido de investimentos ainda está longe de alcançar os patamares pré-pandemia. 

O saldo líquido ainda é bem inferior ao observado em 2020, quando as carteiras internacionais registraram um valor positivo de US$ 11 bilhões. Em 2021, o montante foi de US$ 15,38 bilhões. 

Esse expressivo crescimento que marcou os últimos anos culminou em mudanças na legislação antes defasadas. Em geral, as alterações legais visam modernizar, simplificar e consolidar as normas do mercado de câmbio e de capitais internacionais no Brasil, promovendo maior fluidez nesse mercado.

Regulamentação de contas internacionais

Conforme reportado pelo portal Agência Senado, a proposta de mudanças voltadas ao mercado cambial foi apresentada ao Congresso Nacional, ainda em 2019 por meio do Projeto de Lei (PL) 5.387. Sancionada no final de 2021, a Lei 14.286 passou a vigorar um ano após sua publicação, em dezembro de 2022. 

Sobre os novos moldes de regulamentação, o então senador responsável por elaborar o parecer do PL (relator), Carlos Viana (PL-MG), declarou:

“É uma das leis mais modernas em nosso planeta no controle e no combate à evasão de divisas, ao financiamento do terrorismo e do narcotráfico. As instituições financeiras autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil podem usar esse dinheiro para alocar, investir, financiar, emprestar no território nacional ou estrangeiro.  A norma busca modernizar o mercado, alinhando a regulação com os países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico”

A partir de sua promulgação, a nova lei ficou amplamente conhecida como novo Marco Cambial brasileiro. Tal denominação não é por acaso, pois a legislação representa um marco de modernização das normas que regem o mercado de câmbio no país. 

Em essência, as leis anteriores, já defasadas, precisavam ser atualizadas para acompanhar as complexas dinâmicas do cenário financeiro global.

O que é Marco Cambial?

Em definição, o Marco Cambial representa um conjunto de normas criado para simplificar as transações internacionais envolvendo moedas estrangeiras. Ele se aplica tanto a pessoas físicas quanto jurídicas. 

As mudanças impactam diversos aspectos, desde o comércio exterior até investimentos, remessas internacionais e negociações entre pessoas físicas. Além disso, o processo cambial foi desburocratizado, possibilitando que fintechs e outras empresas de pagamentos atuem sem a necessidade de mediação por bancos ou corretoras. 

Com a entrada em vigor da lei, várias atribuições do Conselho Monetário Nacional (CMN) passam para o Banco Central, como regular operações de câmbio, contratos futuros de câmbio usados pelo Banco Central para evitar especulação com o real (swaps) e a organização e fiscalização de corretoras de valores de bolsa e de câmbio.

Regulamentação favorável

Em muitos aspectos, a Lei 14.286/2021, se apresenta de uma maneira positiva. Veja apenas alguns exemplos desta perspectiva:

  1. Venda de moeda Estrangeira: agora é permitido legalmente vender moeda estrangeira de forma eventual, como aquela que restou de uma viagem. O limite entre pessoas físicas é de US$ 500.
  2. Taxas de câmbio unificadas: antes, as taxas variavam para operações comerciais e financeiras. Agora, a taxa é a mesma para qualquer tipo de operação, tornando o processo mais transparente.
  3. Remessa ao exterior simplificada: não é mais necessário comprovar o uso dos valores remetidos ao exterior. Isso reduz a burocracia e elimina a necessidade de documentos como contratos de importação ou exportação.
  4. Aceitação do Real em outros países: a nova lei permite o recebimento de ordens de pagamento do exterior em contas em reais mantidas no Brasil por meio de bancos estrangeiros. Isso visa aumentar a aceitação da nossa moeda globalmente.

Quer saber mais sobre as mudanças e impactos do Marco Cambial ? Se sim, confira nosso conteúdo completo sobre o assunto. 

Exemplos e tendências de contas globais

Crescimento de contas internacionais no Brasil
Foto: Envato Elements

A tendência de investimento internacional ganhou força em 2023, especialmente por meio de contas internacionais oferecidas por fintechs, que permitem investir diretamente no exterior, sem burocracia e com custos menores.

Um notável exemplo é a plataforma internacional da XP, que contou com um crescimento expressivo de contas abertas e ativos sob custódia, 153% e 358% respectivamente. A Avenue, pioneira na abertura de contas internacionais no Brasil, também registrou um aumento significativo em ativos sob custódia, alcançando R$ 17 bilhões em 2023.

Outros números que ilustram a tendência:

  • C6 Bank: registrou um aumento de quatro vezes na abertura de contas globais em 2023, demonstrando a confiança dos clientes nessa modalidade.
  • Inter: encerrou o ano com 2,1 milhões de clientes em sua conta em dólar, e 10% deles já usufruíam de uma conta de investimentos globais ativa, buscando diversificar seus portfólios e alcançar retornos mais atrativos.
  • Nomad: experimentou um crescimento de 160% no número de contas abertas, chegando a marca de 1,3 milhão, consolidando-se como uma das principais opções para quem busca praticidade e economia nas transações internacionais.

Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), os gastos de brasileiros com cartões no exterior tiveram um crescimento expressivo no primeiro trimestre do último ano. 

Conforme os dados da associação reportados pela Folha de São Paulo, em 2023, os gastos atingiram a marca de US$ 2,72 bilhões (equivalente a R$ 13,47 bilhões), representando um aumento de 53% em relação ao mesmo período de 2022. 

Contas globais: Bancos digitais e Fintechs

No escopo da praticidade e segurança para realizar compras internacionais com cartão ou investir em outros países, as contas digitais globais oferecidas por bancos e fintechs despontam como a nova queridinha dos brasileiros. 

Conheça alguns exemplos de instituições financeiras que oferecem a abertura de contas globais, e suas respectivas condições: 

C6 Bank

Quando o assunto é conta internacional, um dos principais destaques é a C6 Conta Global. O banco digital se diferencia por suas tarifas competitivas e benefícios exclusivos. 

A conta oferece câmbio comercial, significativamente mais vantajoso do que o câmbio turismo tradicionalmente oferecido pelos bancos. O spread cambial da C6 Conta Global varia entre 2% e 2,5% para transferências realizadas em horário comercial, enquanto o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) é de apenas 1,1% por transferência.

Banco do Brasil  

Para quem é cliente do BB, é possível conferir até duas opções de contas globais: 

  • Easy: Oferecida pelo Banco do Brasil Américas, em dólar.tarifas de manutenção, basta um depósito inicial de US$ 100, a conta pode ser gerenciada de forma 100% digital.
  • Gold Global: ideal para quem não é cidadão ou residente permanente americano. Oferece serviços como crédito e investimento, e exige um depósito inicial de US$ 3.000. 

Bradesco

Em uma iniciativa que expande as possibilidades para seus clientes, o Bradesco já disponibiliza a abertura da conta internacional My Account. A solução, que antes era exclusiva para um grupo seleto, agora está disponível para toda a base de clientes do banco.

Com a My Account, os clientes podem aproveitar diversos benefícios para transações internacionais, como:

  • Cartão de débito Visa gratuito, válido em mais de 200 países e territórios, para saques em caixas eletrônicos na moeda local e compras em lojas físicas ou online;
  • Compra de dólares pelo app do Bradesco com base na taxa comercial, mais econômica que o dólar turismo;
  • Transferências internacionais em tempo real: 24 horas por dia, 7 dias por semana, o cliente pode transferir recursos de sua conta no Bradesco para a My Account com total praticidade. 

Plataformas de Investimento Internacional

Investir no exterior pode ser uma ótima maneira de diversificar seu portfólio, proteger contra a inflação e buscar retornos superiores aos do mercado nacional. No entanto, escolher a plataforma de investimento internacional ideal pode ser um desafio, dada a grande variedade de opções disponíveis.

Quando o assunto é investimento no exterior, determinadas corretoras tem se destacado no mercado em 2024. Conheça as condições de algumas das principais:  

XP Investimentos

Taxas Destaques
IOF: 0,38%Ampla gama de produtos e serviços, incluindo assessoria financeira
Corretagem da Bolsa: entre US$ 1,00 e US$ 8,60Sólida reputação no mercado brasileiro, com mais de 20 anos de experiência
Spread cambial: 2,25%Plataforma robusta, com recursos avançados para gestão de investimentos, e informações em português
Corretagem de bonds: 1,75%(compra) e 1% (venda)Facilidades ao abrir a conta global para quem já é cliente da corretora

Avenue 

Taxas Destaques
IOF: 0,38% (conta investimento) e 1,1% (conta corrente)Investimento mínimo acessível. É possível começar com apenas US$ 5,00
Spread cambial: entre e 0,99% 1,5%Saques sem custo na rede Allpoint
Depósito Wire: US$ 200,00Não são cobradas taxas de abertura, manutenção ou corretagem.
Retirada Wire: US$ 15,00Atendimento em português por chat, e-mail e telefone

C6 Bank 

Taxas Destaques
IOF: 1,1% (remessas) e 0,38% (retiradas)Spread Cambial vantajoso
Spread cambial: 1,1%Custo-benefício interessante
Corretagem da Bolsa: entre US$ 0,25 e US$ 5,00Possibilidade de realizar movimentações em Euro (€)
Corretagem para Fundos Mútuos: US$ 18Baixo custo ou inexistente para determinados saques: gratuito para na rede Chase e US$ 5 por resgate na rede Cirrus

Outras plataformas que merecem menção:

  • Nomad: ostenta reputação sólida nas mídias e sites de avaliação, e oferece ferramentas completas para análise técnica e fundamentalista;  
  • BTG Pactual: ampla gama de produtos e serviços, incluindo assessoria financeira e private banking;
  • Inter: possui integração com o banco digital Inter, tem ampla base de clientes, além de oferecer programas de cashback em dólar. 

Lembre-se!  Segurança e planejamento são essenciais para uma experiência tranquila e vantajosa com sua conta global. Pesquise, compare e escolha as opções que melhor se adequam às suas necessidades e objetivos financeiros.

Perfil do cliente de contas globais

Já é possível observar um movimento em que muitos brasileiros estão cada vez mais conectados com o mundo e buscam soluções financeiras que acompanhem esse ritmo. As contas globais atendem às demandas desse público, que busca por:

  • Economizar em viagens internacionais com tarifas vantajosas e evitar complicações cambiais;
  • Receber pagamentos em moeda estrangeira com praticidade e sem taxas abusivas, ideal para profissionais que trabalham ou prestam serviços internacionais; 
  • Diversificar seus investimentos e buscar retornos mais atrativos em diferentes mercados; 
  • Entre outras demandas. 

Caso você se enquadre neste perfil, utilize os recursos disponíveis para facilitar sua pesquisa e decisão. Ao tratar de investimentos, a cautela deve ser redobrada. É altamente recomendado, a consulta de um assessor financeiro especializado para melhores decisões de investimentos.

Lucas Machado

Redator do Melhor Investimento e estudante de Psicologia, com mais de dois anos de experiência em redação de artigos relacionados aos mais variados assuntos e campos do saber.