Para os investidores que desejam diversificar o portfólio e gerar renda passiva, o FII RECT11 (Rec Renda Imobiliária) é uma opção atraente. O fundo investe principalmente em lajes corporativas, mas também em outros setores do mercado imobiliário, como galpões logísticos e Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs). Dessa forma, os cotistas podem ter a chance de obter lucros de diferentes áreas do mercado, o que pode ajudar a reduzir o risco do investimento.

As cotas do RECT11 são negociadas na bolsa de valores brasileira (B3), o que garante liquidez ao investidor, e a distribuição de rendimentos é mensal.

Para que você tome uma decisão de investimento consciente, o Melhor Investimento reuniu o que você precisa saber sobre RECT11 de forma didática. Confira!

O que é RECT11?

O RECT11, ticker do FII REC Renda Imobiliária, é um fundo imobiliário (FII) de tijolo que investe em ativos comerciais de alto potencial, gerando renda passiva e valorização para seus cotistas. Como você já sabe, ele tem como foco a aquisição de lajes corporativas, mas por ser de um segmento híbrido, também investe em outros tipos de imóveis e nos Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs).

Constituído em dezembro de 2018 e negociado na bolsa desde abril de 2019, o fundo possui 8.543.493 cotas que estão divididas entre 66.109 cotistas. O RECT11 está sob a gestão da BRL Trust Investimentos e a consultoria especializada da REC Gestão de Recursos.

O objetivo do RECT11 é o investimento e administração ativa de ativos imobiliários comerciais. Fundos imobiliários como os de tijolo visam adquirir ou construir propriedades para locação, com o propósito de gerar uma receita regular. 

Em geral, almejam uma renda estável, acompanhada do potencial de valorização e ajustes nos valores dos aluguéis, além de oferecer a qualquer pessoa, física ou jurídica, a oportunidade de participar desse mercado rentável e sólido.

Segundo o prospecto, o RECT11 é um fundo de condomínio fechado, o que significa que você só pode sacar seu dinheiro no fim do prazo do fundo. Mas há algumas exceções: se o fundo for liquidado (encerrado), se as cotas forem amortizadas (previsto no regulamento ou decidido pelos cotistas), ou se você vender suas cotas para outra pessoa no mercado secundário.

Como funciona a taxa de administração?

A taxa de administração é um valor cobrado para remunerar a gestão profissional do seu investimento. Funciona como um pagamento pelos serviços prestados pelo administrador do fundo, que incluem gestão do patrimônio, análise de mercado e custos operacionais.

No caso do RECT11, a taxa de administração é de 0,17% ao ano sobre o Patrimônio Líquido (PL) do fundo. Isso significa que, a cada ano, uma pequena porcentagem do valor total do fundo é utilizada para cobrir os custos mencionados acima. A taxa de consultoria é de 1,00% ao ano.

Para garantir a viabilidade do fundo, existe um valor mínimo de R$ 15.000,00 por mês a ser cobrado.

Cotação e dividendos mensais do RECT11

Entre junho de 2023 e março de 2024, todos os dividendos pagos do RECT11 foram de R$ 0,40 por cota. Em 26 de março, a cotação do RECT11 era de R$ 42,22, o que significa que o dividend yield (DY) do mês de março foi de 0,92%. No acumulado do ano, o DY é de 12,03%, mas a variação do preço do ativo é de -6,68%.

O dividend yield (DY), traduzido para o português como “rendimento de dividendos”, é um indicador financeiro que mede a rentabilidade relativa dos dividendos pagos a um acionista em relação ao preço da ação da empresa. Simplificando, é uma forma de saber quanto, em termos de porcentagem, o investidor recebe de volta em dividendos sobre o valor investido na ação.

Veja o valor dos dividendos, cotação e DY dos últimos 12 meses na tabela abaixo:

Mês/AnoDividendo por Cota (R$)DY (%)Cotação (R$)
Março/20240,400,9242,22
Fevereiro/20240,400,9343,02
Janeiro/20240,400,8442,94
Dezembro/20230,400,9247,54
Novembro/20230,400,9243,3
Outubro/20230,400,8843,2
Setembro/ 20230,400,8244,99
Agosto/20230,400,7749,25
Julho/20230,400,7651,47
Junho/20230,400,7851,89
Maio/20230,541,0549,46
Abril/20230,541,0851,37
Março/20230,541,0550,23

Portfólio do fundo imobiliário

Conheça os três principais ativos do portfólio do fundo RECT11:

Evolution Corporate 

A Evolution Corporate é um imóvel localizado em Alphaville, São Paulo. É um prédio de escritórios Classe AAA com 14.929 m² de área locável, 94,1% de ocupação, taxa de capitalização de 8,00% e valor de aquisição de R$ 264.685.540.

O maior ocupante do imóvel é a Elo Participações, uma holding líder em soluções de pagamento com mais de 40 anos de experiência, atuando em diversos segmentos, como varejo, combustíveis, saúde e educação. Possui uma base de clientes sólida e diversificada, com mais de 10 milhões de cartões emitidos.

A Elo Participações tem a Área Bruta Locável (ABL) de 12.295 m², o que representa 13,2% do portfólio do RECT11. O contrato vence em 2026. Além da Elo Participações, outro inquilino do prédio é o Banco Digio.

Barra da Tijuca Corporate

Barra da Tijuca Corporate, no Rio de Janeiro, é um prédio de escritórios Classe AA com 23.210 m² de área locável, 92,3% de ocupação, taxa de capitalização de 13,45% e valor de aquisição de R$ 153.770.142. Os inquilinos do prédio são a Sotreq, a Telefônica Brasil (Vivo), a Unigranrio (Afya) e a Milu Cantina.

A Unigranrio é uma das maiores redes de ensino superior do Brasil, com mais de 100 mil alunos. O contrato de longo prazo, com vencimento em 2031, e a localização privilegiada do campus em uma região com alta demanda por educação, reforçam a atratividade desse investimento. A Unigranrio (Afya) tem uma Área Bruta Locável (ABL) total de 9.875 m², o que representa 10,6% do portfólio do RECT11. 

Outro ocupante notável é a Telefônica Brasil (Vivo), a maior operadora de telecomunicações do Brasil, com mais de 100 milhões de acessos na operação móvel e fixa. A Telefônica Brasil (Vivo) é um dos maiores ativos do RECT11, com uma área bruta locável de 7.831 m²

Ela ocupa o imóvel com um contrato de longo prazo que se estende até 2027. Essa característica garante renda estável e previsível para o investidor, além de demonstrar a relevância do ativo para o fundo RECT11, representando 8,4% do seu portfólio.

Canopus Corporate

O Canopus é um dos pilares do fundo de investimento imobiliário RECT11. Localizado em Alphaville, Barueri, na Grande São Paulo, o Canopus se destaca como um prédio corporativo de alto padrão, de classe AA, com valor de aquisição de R$ 143.838.559.

Alphaville é uma região reconhecida por sediar empresas renomadas. O Canopus reflete esse padrão, oferecendo uma Área Bruta Locável (ABL) de 26.174 m². As empresas que compõem esse imóvel são: Corteva Agriscience, Boa Vista Serviços, Promove, AGP, Corpflex, Habib’s, Jari Celulose, Voxline, Honeywell e PTLS Serviços de Tecnologia.

Dicas para investir em um fundo imobiliário

Antes de colocar seu dinheiro em um fundo imobiliário, é importante se planejar. Primeiramente, analise seu perfil: você busca renda passiva? Então o RECT11 pode ser uma boa opção, já que ele é focado em distribuir dividendos. 

Depois de analisar o seu perfil, conheça o FII. Pesquise a performance passada e leia o relatório do gestor para entender sua estratégia e os imóveis da carteira.

Lembre-se de investir com cautela, já que investimentos envolvem riscos e não há garantia de lucro. Pense a longo prazo e considere reinvestir seus dividendos para potencializar seu retorno. Também fique atento ao desempenho do fundo e nas notícias do setor imobiliário.

Mesmo que esse conteúdo ofereça informações sobre o RECT11, saiba que não se trata de uma recomendação personalizada. A dica é buscar um assessor de investimentos que possa auxiliar na escolha dos FIIs ideais para o seu perfil. É importante buscar conhecimento e orientação profissional antes de investir em renda imobiliária para minimizar os riscos e aumentar suas chances de sucesso.

Acompanhe o nosso portal e saiba mais sobre mercado financeiro com os nossos e-books.

Carolina Gandra

Redatora do Melhor Investimento. Formada em Jornalismo, com 2 anos de experiência em redação de textos para diferentes nichos de mercado.