O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) anunciou nesta quarta-feira (2),a primeira redução da taxa Selic desde 2020. Com a atualização, a taxa de juros da economia brasileira diminuiu 0,50% ponto percentual, chegando a 13,25% ao ano.

A decisão do Copom deve dar início ao ciclo de queda na taxa de juros, e a redução já era esperada pelo mercado financeiro e também pelo próprio governo federal. A decisão, porém, não foi unânime entre os membros do comitê.


Impacto da Selic nos investimentos

De maneira geral, uma elevação da taxa Selic beneficia diretamente os investimentos de renda fixa, os quais oferecem ganhos com base em juros. Isso se aplica aos títulos públicos emitidos pelo governo federal, aos Certificados de Depósito Bancário (CDBs) emitidos por bancos, às letras de crédito e às debêntures, entre outras alternativas.

Todos esses instrumentos financeiros costumam apresentar maior rentabilidade em períodos de alta. Consequentemente, quando a taxa de juros cai, os retornos desses investimentos também diminuem.

A influência da taxa Selic afeta a vida de todos os brasileiros, além de impactar bancos e investidores estrangeiros.

Em resumo, se a Selic é reduzida:

  • O crédito se torna mais acessível, já que os bancos tendem a baixar as taxas de juros;
  • A inflação tende a aumentar.

Por outro lado, se a taxa de juros aumenta:

  • Os preços têm tendência de diminuir ou se manter estáveis, como resultado do controle da inflação;
  • As taxas de juros para crédito, parcelamento e cheque especial ficam mais elevadas.

Investimentos que são diretamente afetados pela taxa Selic

  • Títulos do Tesouro Direto, especialmente o Tesouro Selic;
  • Caderneta de poupança;
  • Investimentos de renda fixa.

Qualquer alteração na taxa Selic exerce uma forte influência sobre a taxa de remuneração desses investimentos, afetando, assim, a rentabilidade desses produtos financeiros.

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.