O grupo financeiro UBS anunciou nesta segunda-feira (12) que concluiu a compra do “rival” Credit Suisse, em uma negociação de emergência. O famoso banco suíço que foi adquirido enfrentava uma forte crise financeira, com dívidas em torno de US$ 3,37 bilhões – cerca de R$ 16,41 bilhões na cotação atual do dólar.

Com a conclusão da aquisição, os dois bancos se fundiram em uma instituição financeira gigante, cujo balanço patrimonial é estimado em US$ 1,6 trilhão, de acordo com a agência de notícias Reuters.

Em uma carta aberta do UBS, divulgada pela Reuters e publicada em jornais suíços, o diretor-executivo do banco, Sergio Ermotti, e o presidente do conselho, Colm Kelleher, afirmaram que o negócio entre os bancos representa o início de um novo capítulo. Essa transação é a maior do mundo desde a crise financeira global de 2008.

Segundo a agência, o grupo resultante administrará agora US$ 5 trilhões em ativos financeiros, o que o torna o maior gestor de patrimônio do mundo.

Além de encerrar a história de quase dois séculos do Credit Suisse, o negócio também tem perspectivas de redução de custos, o que pode levar à eliminação de empregos.

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.