A Tesla (TSLA34), fabricante norte-americana de veículos elétricos, registrou um lucro líquido de US$ 2,5 bilhões no primeiro trimestre deste ano, o que representa uma queda de 24% em relação ao mesmo período de 2022. O lucro por ação atingiu US$ 0,73, cerca de 23% menor que os US$ 0,95 reportados no ano anterior.

Anteriormente, a montadora havia informado um crescimento de 4% na venda de unidades, se comparado ao ano anterior. Sua receita total também cresceu, chegando a US$ 23,33 bilhões, o que significa um aumento de 24%. No entanto, a empresa ganhou menos dinheiro por unidade vendida. O lucro bruto caiu 17% e a margem bruta diminuiu em 9,77 pontos percentuais.

A receita total da empresa apresentou um avanço de 24% na mesma base de comparação, totalizando US$ 23,3 bilhões. A receita de geração e armazenamento de energia da companhia foi o grande destaque, com um aumento de 148% e chegando a US$ 1,5 bilhão. Já a receita total automotiva foi de US$ 20 bilhões, registrando um aumento anual de 18%.

“Embora tenhamos reduzido preços de muitos modelos durante o primeiro trimestre, nossas margens operacionais diminuíram a uma taxa administrável. Esperamos uma redução contínua do custo de nossos veículos, incluindo maior eficiência de produção em nossas fábricas mais novas e custos de logística mais baixos, e continuamos focados na alavancagem operacional à medida que crescemos”, disse a Tesla em comunicado divulgado nesta quarta-feira (19).

Redução no preço dos carros da Tesla

Segundo a empresa, a estratégia de preços a curto prazo leva em conta a rentabilidade a longo prazo de cada veículo, considerando seu valor potencial ao longo de sua vida útil em termos de recursos como autonomia, carregamento rápido, conectividade e serviços oferecidos.

“Implementamos reduções de preços em muitos modelos de veículos em todas as regiões no primeiro trimestre, e nossas margens operacionais reduziram a uma taxa administrável”, relatou a companhia.

A Tesla afirma que é possível reduzir os preços dos carros à medida que os custos de produção diminuem, graças a fatores como maior eficiência nas fábricas mais recentes e redução nos custos de logística.

“Acreditamos que este ano é uma oportunidade única para a Tesla, dada a situação macroeconômica atual. Enquanto outras fabricantes de carros elétricos enfrentam dificuldades com seus programas de produção, planejamos aproveitar nossa posição de liderança em preços.” completou.

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.