O presidente do conselho do Credit Suisse, Alex Lehmann, durante reunião final de acionistas da instituição nesta terça-feira (4), pediu desculpas por levar o banco suíço à beira do colapso

Durante o pronunciamento, Lehmann afirmou que ficou sem tempo para recuperar o banco, apesar de ter dito acreditar “até o início da semana fatídica” que a instituição poderia sobreviver.

“Eu realmente sinto muito. Peço desculpas por não termos conseguido conter a perda de confiança, afirmou. “Até o fim, lutamos muito para encontrar uma solução. Mas, no final das contas, havia apenas duas opções: acordo ou falência. A fusão tinha que acontecer”, completou o executivo.

No decorrer da reunião desta terça-feira, Lehmann foi reeleito como presidente do conselho do Credit Suisse por meio de votação. Foi a primeira vez que ele e o presidente-executivo do banco, Ulrich Koerner, se dirigiram publicamente aos acionistas desde que o USB comprou o Credit Suisse.

A aquisição de emergência do Credit Suisse pelo rival suíço UBS, que levou ao fim da segunda maior instituição financeira do país, gerou revolta e ignorou os acionistas do Credit Suisse. Uma pesquisa desenvolvida pela empresa gfs.bern mostrou que a maioria dos suíços não apoiava o acordo. 

Segundo a Reuters, manifestantes se reuniram do lado de fora do local da reunião de acionistas nesta terça-feira, alguns deles erguendo um barco virado para retratar o fim do banco.

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.