O UBS Group, uma das principais instituições financeiras do mundo, anunciou nesta segunda-feira (5) seus planos de concluir a aquisição do Credit Suisse, que tem previsão de ser finalizada até o dia 12 de junho. Com o fechamento do negócio, as ações do banco suíço serão retiradas tanto da bolsa de valores da Suíça quanto da bolsa de Nova York.

Ainda de acordo com o comunicado divulgado, os investidores que possuem ações do Credit Suisse receberão uma ação do UBS para cada 22,84 ações do Credit. Atualmente, as ações do grupo são negociadas a aproximadamente 0,81 franco suíço em seu país de origem e a US$ 0,88 em Nova York, o que equivale a cerca de R$ 4,35, de acordo com a cotação atual do dólar.

Enquanto isso, as ações do UBS são vendidas por 18,26 francos suíços na Suíça e por US$ 20,02 nos Estados Unidos, aproximadamente R$ 98,90.

Crise do Credit Suisse

O Credit Suisse, um dos principais bancos suíços, passou por momentos difíceis em março, quando uma crise financeira abalou a instituição. Com perdas estimadas em cerca de 3 bilhões de francos suíços (equivalente a US$ 3,37 bilhões ou aproximadamente R$ 16,65 bilhões, de acordo com a cotação atual do dólar), o banco se viu obrigado a buscar uma solução.

A crise foi desencadeada em 14 de março, logo após o colapso de dois bancos americanos devido a problemas de liquidez. A imprensa internacional relatou que o Credit Suisse identificou “fraquezas significativas” em seus resultados financeiros, o que levou os clientes a retirarem seus investimentos, temendo que o banco enfrentasse uma quebra.

A retirada em massa resultou em perdas superiores a US$ 120 bilhões para o banco suíço. Diante da situação, as autoridades suíças agiram rapidamente para evitar uma crise sistêmica no setor financeiro e, como medida emergencial, foi acordada a aquisição do Credit Suisse pelo UBS.

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.