Nesta segunda-feira (10), a Marisa (AMAR3) se pronunciou a respeito da solicitação feita pela B3 (B3SA3) sobre as negociações de suas ações. Em resposta, a Lojas Marisa informou que o seu plano de reestruturação, já em curso, deve ser suficiente para fazer com que as suas ações voltem a ser negociadas acima de R$ 1.

A B3 verificou que as ações da companhia foram negociadas abaixo do R$ 1 entre os dias 9 de fevereiro e 24 de março. Desta forma, a bolsa estabeleceu até 27 de setembro ou a data da próxima assembleia geral para que a empresa tome as medidas cabíveis para elevar o preço dos papéis.

Caso as ações da Marisa não tenham o resultado esperado através da reestruturação, a empresa pode propor até 27 de setembro o grupamento dos ativos.


A Marisa afirmou que continuará acompanhando diariamente o preço de suas ações e avaliando possíveis soluções, como o agrupamento de ações, para se adequar às regras da B3. A empresa tem até a data limite estipulada pela bolsa para tomar uma decisão.

“Caso ainda necessário, procederá com o grupamento de ações da Companhia, seguindo as orientações da B3 e as determinações da assembleia de acionistas, até a data limite”, pontua a empresa.

Hoje, às 11:08, os papéis da Marisa estavam sendo negociados com alta de de 5,0%, a R$ 0,63.

Veja também:
Marisa (AMAR3) anuncia o fechamento de 92 lojas

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.