As bolsas europeias operaram em baixa na manhã desta quinta-feira (4), mantendo a cautela antes de um esperado novo aumento de juros pelo Banco Central Europeu (BCE), um dia após o Federal Reserve (Fed) fazer o mesmo nos EUA. Investidores também digerem balanços de grandes empresas da Europa e seguem atentos a tensões no setor bancário americano.

Por volta das 7h10 (de Brasília), o índice pan-europeu Stoxx 600 recuava 0,77%, a 458,9 pontos. Nas próximas horas, o BCE deverá elevar seus juros em nova tentativa de combater a inflação na zona do euro, que segue persistentemente alta e muito acima da meta oficial de 2%. A dúvida é se a alta será de 25 pontos-base ou mais agressiva, de 50 pontos-base.

Ontem (3), o Fed aumentou seus juros em 25 pontos-base, como era amplamente esperado, mas também sinalizou que o ciclo de aperto monetário, iniciado em março do ano passado, pode ter chegado ao fim. A temporada europeia de balanços, por sua vez, trouxe hoje resultados de gigantes corporativos como a cervejaria AB InBev, a petrolífera anglo-holandesa Shell e o varejista francês Casino.

Embora a AB InBev tenha impulsionado fortemente o lucro trimestral, sua ação teve alta modesta em Bruxelas, de 0,16%. Em Londres, o papel da Shell, que lucrou mais do que o esperado, avançava 1,72%. Por outro lado, a ação do Casino amargava queda de mais de 11% em Paris, após a empresa divulgar recuo nas vendas dos primeiros três meses do ano.

A saúde do setor bancário dos EUA segue também no radar. Nesta manhã, a ação do PactWest Bancorp sofreu um tombo próximo de 40% no pré-mercado de Nova York, mesmo após o banco divulgar comunicado numa tentativa de acalmar os mercados.

Além disso, foram divulgados PMIs de serviços finais da Europa, referentes a abril. Os da Alemanha e do Reino Unido foram revisados para cima, mas o da zona do euro ficou abaixo da estimativa preliminar. Já a inflação do PPI do bloco desacelerou mais do que o esperado em março.

Às 7h25 (de Brasília), a Bolsa de Londres caía 0,75%, a de Frankfurt recuava 0,58% e a de Paris cedia 0,67%. Já as de Milão, Madri e Lisboa tinham perdas de 0,90%, 0,84% e 0,09%, respectivamente.

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.