A Petrobras (PETR4) aprovou o pagamento de dividendos e juros sobre capital próprio (JCP) intercalares no valor total de R$13,45 bilhões, o que equivale a R$1,04161205 por ação ordinária e preferencial em circulação.

Esses proventos representam uma antecipação da remuneração aos acionistas referente ao exercício de 2024, declarada com base no balanço de 31 de março deste ano.

Segundo comunicado da empresa, essa distribuição proposta está em conformidade com a Política de Remuneração aos Acionistas, que estabelece que, caso o endividamento bruto seja igual ou inferior ao nível máximo definido no plano estratégico em vigor (atualmente US$65 bilhões), a Petrobras deverá destinar 45% do fluxo de caixa livre aos seus acionistas.

A petroleira ressaltou que essa aprovação é sustentável financeiramente para a companhia. Os dividendos propostos já contemplam o valor das ações recompradas no primeiro trimestre de 2024 (R$1,1 bilhão), que foram deduzidas do total da remuneração aos acionistas calculada de acordo com a fórmula da Política.

Sobre o pagamento dos proventos da Petrobras

A Petrobras anunciou que os proventos serão pagos em duas parcelas nos meses de agosto e setembro. A primeira parcela, no valor de R$0,52080603 por ação ordinária e preferencial em circulação, será distribuída em 20 de agosto de 2024 na forma de juros sobre capital próprio.

Já a segunda parcela, no valor de R$0,52080602 por ação ordinária e preferencial em circulação, será paga em 20 de setembro de 2024, sendo R$0,44736651 referentes a dividendos e R$0,07343951 a juros sobre capital próprio.

A data de corte para participação nos proventos será 11 de junho de 2024 para os detentores de ações da Petrobras negociadas na B3 (B3SA3) e a data de registro será 13 de junho de 2024 para os detentores de ADRs negociados na New York Stock Exchange (NYSE), nos Estados Unidos.

Os detentores de ADRs receberão os pagamentos a partir de 27 de agosto de 2024 e de 27 de setembro de 2024, respectivamente.

Gabryella Mendes

Redatora do Melhor Investimento.