Você já se perguntou quais times lideram o ranking como os mais ricos do mundo? Neste artigo, exploraremos o Top 10 equipes de futebol com maior patrimônio, além de conhecer a origem da riqueza desses times e as oportunidades de investimento desse mercado tão popular em todo o globo. Acompanhe!

Quanto dinheiro o futebol mundial movimenta?

O futebol atinge os corações dos fãs em todo o mundo, mas também é um gigante econômico global, impulsionado principalmente pelos clubes da elite europeia. De acordo com o presidente da Federação Internacional de Futebol (FIFA), Gianni Infantino, o futebol mundial movimenta cerca de US$ 286 bilhões por ano, equivalente ao Produto Interno Bruto (PIB) de um país como a Finlândia.

A atual janela de transferências de jogadores já é a maior da história do futebol mundial. Somando compras e empréstimos realizados para a temporada 2023/24, já são mais de 38 bilhões de reais movimentados. O recorde anterior foi na temporada 2019/20, com 37,2 bilhões de reais em investimentos.

Os números atuais foram inflados principalmente pela Liga Saudita, que nesta janela movimentou mais de 840 milhões de euros, alcançando proporções comparáveis às principais competições do mundo.

No Rio de Janeiro, em 2023, a economia do estado foi impactada em R$ 3,96 bilhões, segundo dados divulgados pela Prefeitura do Rio e levantados pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Econômico (SMDUE). Dessa soma, R$ 2,3 bilhões vieram das receitas dos quatro grandes clubes do Rio (Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo), com o restante sendo o impacto dos jogos na cidade.

Quais são as formas de investir no mercado do futebol?

Com um contexto de movimentações bilionárias, surge ao investidor atento um insight: quais são as oportunidades direcionar meus investimentos para este mercado? Quais são os ativos presentes neste mercado? Conheça algumas opções:

Ações de Clubes de Futebol: Alguns dos maiores clubes de futebol do mundo são negociados em bolsas de valores. Por exemplo, o Manchester United (MANU) está listado na Bolsa de Nova York (NYSE) e a Juventus (JUVE) está na Bolsa de Valores da Itália. Investir em ações desses clubes pode proporcionar retornos interessantes, especialmente quando eles têm temporadas bem-sucedidas ou expandem suas operações comerciais.

Fundos de Investimento: Existem fundos especializados que focam no esporte, incluindo o futebol. Esses fundos podem investir em uma variedade de ativos relacionados ao futebol, desde infraestrutura até direitos de transmissão.

Direitos de Transmissão: Empresas que possuem direitos de transmissão de grandes ligas e competições de futebol frequentemente lucram significativamente. Por exemplo, a Comcast (CMCSA), proprietária da NBC, detém direitos de transmissão da Premier League nos Estados Unidos. Investir em ações dessas empresas pode ser uma forma indireta de lucrar com o futebol.

Patrocínios e Publicidade: Marcas globais frequentemente investem grandes somas em patrocínios de clubes e eventos de futebol. Empresas como a Adidas (ADS.DE) e a Nike (NKE), que patrocinam diversos clubes de elite, podem ser opções de investimento para capitalizar o sucesso do futebol.

Infraestrutura e Imóveis: Investir em infraestrutura esportiva, como estádios, centros de treinamento e arenas multifuncionais, pode oferecer retornos sólidos, especialmente em regiões onde o futebol é extremamente popular. Empresas de construção e gestão de instalações esportivas, como a AEG Worldwide e a MRV, no Brasil, são exemplos de possíveis investimentos.

Agora que já conhecemos os principais meios de investir no mercado futebolístico, chegou a hora do ponto principal deste material: te apresentar os clubes mais ricos do mundo em 2024! Confira a seguir:

Top 10 times mais ricos do mundo

Os gigantes Real Madrid (Espanha), Manchester United (Inglatera), Barcelona (Espanha), Liverpool (Inglaterra) e Manchester City (Inglaterra) encabeçam a lista.

Veja o ranking completo:

PosiçãoClubeValor em milhões de dólares
1Real Madrid6.600
2Manchester United6.550
3Barcelona5.600
4Liverpool5.370
5Manchester City5.100
6Bayern de Múnich5.000
7PSG4.400
8Tottenham3.200
9Chelsea3.100
10Arsenal2.600
Fonte: Forbes

Fonte da riqueza: de onde vem o dinheiro dos clubes mais ricos do mundo?

Real Madrid – US$ 6,6 bilhões

  • Valor: US$ 6,6 bilhões (R$ 33,8 bilhões)
  • Variação no ano: 9%
  • Proprietários/controladores: Sócios do clube
  • Liga: La Liga Espanhola
  • Receita operacional: US$ 76 milhões

Grande parte da receita do gigante Real Madrid vem dos direitos de transmissão, que garantem contratos lucrativos. Além disso, o clube gerou receitas de 873 milhões de dólares, impulsionadas por suas cinco vitórias nas últimas 10 edições da Liga dos Campeões.

O Real Madrid também ganha, em média, 205 milhões de dólares por ano com patrocínios de suas camisas, o maior total do futebol segundo o Football Benchmark. Por sua vez, as vendas de ingressos para jogos no Santiago Bernabéu e a comercialização de merchandise também desempenham um papel crucial na manutenção de suas finanças.

Manchester United – US$ 6,5 bilhões

  • Valor: US$ 6,5 bilhões (R$ 33,3 bilhões)
  • Variação no ano: 9%
  • Proprietários/controladores: Família Glazer e Jim Ratcliffe
  • Liga: Premier League Inglesa
  • Receita operacional: US$ 187 milhões

A compra de uma participação de 25% no Manchester United pelo bilionário britânico Jim Ratcliffe foi aprovada pela Premier League, conforme atualização da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) no início de 2024. Jim Ratcliffe, cujo patrimônio é estimado em US$ 20,6 bilhões (equivalente a R$ 102 bilhões) pela revista Forbes, é fundador, presidente e acionista majoritário do Ineos Group, uma potência no segmento químico.

O Man UTD também é influenciado pela família Glazer, proprietária majoritária do Manchester United. Os Glazers, que adquiriram o clube em 2005, têm uma relação polêmica com a torcida, que esperavam a chegada de um novo investidor para dar novos ares ao clube inglês.

Além disso, o Manchester United obtém grande parte de sua receita de patrocínios e publicidade, incluindo acordos com Chevrolet e Adidas. Os direitos de transmissão, vendas de ingressos para jogos no Old Trafford e a forte presença no mercado global de produtos oficiais complementam suas finanças.

Barcelona – US$ 5,6 bilhões

  • Valor: US$ 5,6 bilhões (R$ 28,7 bilhões)
  • Variação no ano: 2%
  • Proprietários/controladores: Sócios do clube
  • Liga: La Liga Espanhola
  • Receita operacional: – US$ 145 milhões

O Barcelona se beneficia significativamente dos direitos de transmissão, tanto domésticos quanto europeus. Parcerias com marcas como Nike e Rakuten, vendas de ingressos para jogos no Camp Nou, e a comercialização de merchandise e tours do estádio que também é ponto turístimo em Barcelona são as principais fontes de renda do clube catalão.

Liverpool – US$ 5,3 bilhões

  • Valor: US$ 5,3 bilhões (R$ 27,1 bilhões)
  • Variação no ano: 2%
  • Proprietários/controladores: John Henry e Tom Werner
  • Liga: Premier League Inglesa
  • Receita operacional: US$ 102 milhões

O Liverpool garante grande parte de sua receita através de direitos de transmissão de jogos da Premiere League. Acordos de patrocínio com Nike e Standard Chartered, vendas de ingressos para jogos em Anfield e a forte presença no mercado global de merchandise também contribuem significativamente.

Manchester City – US$ 5,1 bilhões

  • Valor: US$ 5,1 bilhões (R$ 26,1 bilhões)
  • Variação de no ano: 2%
  • Proprietário/controlador: Sheikh Mansour bin Zayed Al Nahyan
  • Liga: Premier League Inglesa
  • Receita operacional: US$ 148 milhões

Atual campeão Mundial de Clubes, o Manchester City é propriedade do sheik Mansour bin Zayed al-Nahyan, membro da realeza de Abu Dhabi. Embora não existam dados oficiais, estima-se que a fortuna de Mansour esteja em torno de US$ 30 bilhões (R$ 145 bilhões), proveniente principalmente de negócios relacionados ao petróleo.

Além do proprietário saudita, os ganhos do Manchester City vêm de patrocínios e publicidade, especialmente do acordo com a Etihad Airways. Os direitos de transmissão, as vendas de ingressos no Etihad Stadium e os substanciais investimentos dos proprietários, o Abu Dhabi United Group, também são fundamentais para as finanças do clube.

Bayern de Munique – US$ 5 bilhões

  • Valor: US$ 5 bilhões (R$ 25,6 bilhões)
  • Variação no ano: 3%
  • Proprietários/controladores: Sócios do clube
  • Liga: Bundesliga Alemã
  • Receita operacional: US$ 84 milhões

A tradicional equipe alemã Bayern de Munique lucra principalmente com os direitos de transmissão da Bundesliga e competições europeias. Patrocínios com Adidas e Allianz, vendas de ingressos na Allianz Arena e a comercialização de produtos oficiais são cruciais para suas finanças.

Paris Saint-Germain (PSG) – US$ 4,4 bilhões

  • Valor: US$ 4,4 bilhões (R$ 22,5 bilhões)
  • Variação no ano: 4%
  • Proprietário/controlador: Qatar Sports Investments
  • Liga: Ligue 1 Francesa
  • Receita operacional: – US$ 126 milhões

O PSG acumula grande parte de sua receita através de patrocínios e parcerias comerciais, como Nike e Accor. Os direitos de transmissão, vendas de ingressos no Parc des Princes e o apoio financeiro da Qatari Sports Investments são igualmente importantes.

Tottenham – US$ 3,2 bilhões

  • Valor: US$ 3,2 bilhões (R$ 16,4 bilhões)
  • Variação no ano: 14%
  • Proprietários/controladores: Joseph Lewis Family Trust e Daniel Levy
  • Liga: Premier League Inglesa
  • Receita operacional: US$ 161 milhões

Os Spurs obtém receita dos direitos de transmissão da Premier League. Patrocínios com Nike e AIA, vendas de ingressos para jogos no Tottenham Hotspur Stadium e a venda de produtos oficiais do clube são importantes fontes de renda.

Chelsea – US$ 3,1 bilhões

  • Valor: US$ 3,1 bilhões (R$ 15,9 bilhões)
  • Variação no ano: 1%
  • Proprietários/controladores: Todd Boehly e Clearlake Capital
  • Liga: Premier League Inglesa
  • Receita operacional: – US$ 400 mil

O Chelsea se beneficia de patrocínios e parcerias comerciais com marcas como Nike e Three. Os direitos de transmissão, vendas de ingressos para jogos no Stamford Bridge e a comercialização de produtos oficiais são essenciais para suas finanças.

Arsenal – US$ 2,6 bilhões

  • Valor: US$ 2,6 bilhões (R$ 13,3 bilhões)
  • Variação no ano: 15%
  • Proprietário/controlador: Stanley Kroenke
  • Liga: Premier League Inglesa
  • Receita operacional: US$ 140 milhões

Por fim, os Gooners, como é conhecido o Arsenal, tem como fonte de receita os patrocínios e parcerias comerciais com Adidas e Emirates. Os direitos de transmissão, vendas de ingressos para jogos no Emirates Stadium e a venda de produtos oficiais do clube são fundamentais para manter seu patrimônio.

A diversificação das fontes de receita é essencial para a sustentabilidade financeira desses clubes. Cada um utiliza uma combinação única de direitos de transmissão, patrocínios, vendas de ingressos e merchandise para manter seu status de elite no mundo do futebol.

Maior faturamento na temporada 2022/2023

Em estudo divulgado pela empresa Deloitte, o Real Madrid liderou o ranking de maior faturamento, com uma receita de 831,4 milhões de euros (cerca de R$ 4,4 bilhões). O pódio também inclui o Manchester City, da Inglaterra, e o Paris Saint-Germain, da França. Esses números fazem parte do tradicional relatório “Football Money League” da Deloitte, divulgado anualmente.

No relatório, a Deloitte menciona ainda dois clubes de fora da Europa que estão próximos de entrar no top 30 dos mais ricos do mundo: Flamengo e Inter Miami. Segundo a empresa, o Flamengo ficou perto de entrar no top 30 este ano, enquanto o Inter Miami teve um aumento significativo de receitas após a contratação de Lionel Messi. Veja o ranking completo a seguir:

Top 30 clubes de futebol com maior faturamento

  1. Real Madrid – 831,4 milhões de euros
  2. Manchester City – 825,9 milhões
  3. PSG – 801,8 milhões
  4. Barcelona – 800,1 milhões
  5. Manchester United – 745,8 milhões
  6. Bayern de Munique – 744 milhões
  7. Liverpool – 682,9 milhões
  8. Tottenham – 631,5 milhões
  9. Chelsea – 589,4 milhões
  10. Arsenal – 532,6 milhões
  11. Juventus – 432,4 milhões
  12. Borussia Dortmund – 420 milhões
  13. Milan – 385,3 milhões
  14. Inter de Milão – 378,9 milhões
  15. Atlético de Madrid – 364,1 milhões
  16. Eintracht Frankfurt – 293,5 milhões
  17. Newcastle United – 287,8 milhões
  18. West Ham – 275,1 milhões
  19. Napoli – 267,7 milhões
  20. Olympique de Marselha – 258,4 milhões
  21. Aston Villa – 250,5 milhões
  22. Benfica – 233,4 milhões
  23. Brighton – 231,3 milhões
  24. Roma – 214,9 milhões
  25. Sevilla – 214,3 milhões
  26. Fulham – 209,8 milhões
  27. Leeds – 207,8 milhões
  28. Crystal Palace – 206,5 milhões
  29. Lyon – 199,1 milhões
  30. Everton – 198 milhões

    Fonte: Deloitte

Perspectivas futuras

Em conclusão, podemos perceber que, a diversificação das fontes de receita com direitos de transmissão, patrocínios, vendas de ingressos e merchandising farão com que o mercado do futebol continue a crescer, consolidando-se como um dos setores mais lucrativos e dinâmicos do mundo.

Com investimentos figuras influentes e a entrada de novos mercados, como a Liga Saudita, as oportunidades de investimento neste setor se expandem ano após ano.

O futuro do futebol promete ainda mais integração com tecnologia, aumento de parcerias globais e uma presença digital ampliada, proporcionando novas formas de engajamento para os fãs e maiores retornos para investidores.

Com isso, conhecer as origens da riqueza dos clubes mais ricos do mundo e explorar as oportunidades de investimento no mercado futebolístico são passos essenciais para qualquer entusiasta ou investidor que deseja aproveitar o potencial deste esporte.

Pedro Gomes

Jornalista e Redator do Melhor Investimento.