Nesta terça-feira (24), o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, declarou que não é possível prever quando a taxa básica de juros será reduzida.

Atualmente em 13,75% ao ano, a taxa Selic está no seu maior patamar em mais de seis anos. Enquanto o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pressiona publicamente por uma redução para impulsionar o crescimento da economia, o Banco Central alerta sobre o risco de inflação.

“Eu não tenho capacidade [de dizer quando o juro vai cair], até porque eu sou um voto dos nove, de dizer quando isso vai acontecer. Mas eu acho que a gente tem explicado que é um processo técnico, que tem o seu tempo e que as coisas têm caminhado no caminho certo”, declarou Campos Neto.

Durante uma audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal, Neto destacou que as decisões relacionadas à taxa de juros são tomadas pelo Comitê de Política Monetária (Copom), que é composto por ele e pelos diretores do Banco Central.

Uma pesquisa realizada pelo Banco Central na semana passada com mais de 100 instituições financeiras apontou que a expectativa dos economistas é que a taxa Selic comece a ser reduzida somente em meados de setembro deste ano, o que resultaria em uma taxa de 13,50% ao ano.

Veja também:

Compras internacionais: após polêmica de taxação, varejistas firmam acordo com Haddad

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.