De acordo com o relatório mensal da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), a produção de petróleo do Brasil diminuiu em 147 mil barris por dia (bpd) em março, em comparação com fevereiro, chegando a uma média de 3,1 milhões de bpd.

Embora o cartel espere um aumento na produção do país, graças ao aumento em alguns campos, eles também observam que a manutenção em plataformas offshore pode resultar em “algumas interrupções em grandes campos”.

No relatório, o Brasil é citado como um dos principais países a impulsionar o aumento na oferta de combustíveis líquidos em 2022, juntamente com EUA, Rússia, Canadá, Guiana e China.  Por outro lado, Noruega e Tailândia apresentaram os maiores declínios. O grupo ainda afirma que o Brasil deve continuar a contribuir para o aumento na oferta desses combustíveis em 2023, enquanto na Rússia é esperado um recuo.

Segundo a Opep, há uma projeção de que o gasto de capital para a exploração de petróleo e gás no Brasil apresente um aumento de 15% em 2023, em comparação com o ano anterior.


Ainda de acordo com o relatório, o cartel manteve a projeção de crescimento econômico do Brasil em 1,0% em 2023, o que representa uma desaceleração em relação ao avanço de 2,9% do ano anterior. O documento aponta que os altos índices de juros e inflação devem contribuir para essa desaceleração, e que há um espaço fiscal “limitado” para investimentos domésticos.

Veja também:

Produção industrial avança 1,1% em março, informa IBGE

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.