De acordo com dados divulgados pelo Banco Central nesta quarta-feira (31), o PIX, sistema de pagamentos instantâneos, alcançou uma fatia significativa do mercado de instrumentos de pagamentos, representando 29% de todas as transações registradas em 2022. Um crescimento considerável se comparado com os 16% do ano anterior.

O método de pagamento foi lançado no final de 2020, durante o auge da pandemia da Covid-19, com o principal objetivo de promover a digitalização das transações financeiras no Brasil.

“Desde o final de 2020, o crescimento expressivo do uso do PIX tem reduzido, de forma relativa, a participação de outros meios de pagamento e transferência no total de transações financeiras”, afirmou o Banco Central.

A instituição também destacou que o crescimento na quantidade de transações realizadas por meio do PIX demonstra o papel importante desse sistema no aumento significativo das transações no ecossistema de pagamentos como um todo, permitindo que pessoas que nunca haviam realizado transferências passassem a participar desse processo.

“Em apenas dois anos de operação, entre novembro de 2020 e dezembro de 2022, o Pix se tornou o instrumento com maior volume anual de transações”, acrescentou o Banco Central.

Além disso, o Banco Central observou um aumento expressivo no número de transações com cartões de débito e pré-pago, sendo que esse crescimento está relacionado ao aumento das instituições de pagamento.

“Essas instituições desempenham um papel relevante na inclusão financeira, oferecendo contas de pagamento a pessoas que anteriormente não tinham nenhum relacionamento com o sistema financeiro. Por exemplo, são instituições onde muitos jovens iniciam seu relacionamento com o sistema financeiro”, informou o Banco Central.

Ao mesmo tempo, o Banco Central constatou que a quantidade e o valor dos saques em caixas eletrônicos e agências bancárias têm diminuído gradualmente ao longo do tempo.

“A partir de 2020, essa redução no uso parece ser mais acentuada, o que pode ser explicado pelas mudanças de comportamento causadas pela pandemia, pela introdução do PIX e pelo aumento das transações com cartões”, concluiu o Banco Central.

Veja também:
Setor financeiro discute extinção do crédito rotativo

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.