O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mais uma vez expressou críticas ao presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, em relação à manutenção da taxa básica de juros, conhecida como Selic, atualmente em 13,75%.

Durante o lançamento do novo programa habitacional Minha Casa Minha Vida, no Palácio do Planalto, nesta quinta-feira (13), Lula afirmou que “o presidente do Banco Central precisa compreender que ele não é o dono do país e está apenas desempenhando um cargo para o qual foi indicado pelo Senado.”

Lula enfatizou que não está sendo solicitado nada absurdo, apenas a redução das taxas de juros a fim de facilitar o acesso ao crédito por parte dos empresários, estimular o crescimento econômico e beneficiar os empreendedores de pequeno e médio porte.

Essa não é a primeira vez que Lula critica a política de juros adotada pelo Banco Central. No mês de junho, o ex-presidente afirmou que a atuação de Roberto Campos Neto vai de encontro aos interesses da economia brasileira, após o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central manter a taxa básica de juros em 13,75% ao ano, sem indicar uma redução para a próxima reunião, marcada para agosto.

Segundo o Boletim Focus divulgado nesta semana, a projeção para a taxa básica de juros (Selic) se manteve em 12% para este ano na primeira semana, enquanto as estimativas para 2024 e 2025 permaneceram em 9,50% e 9%, respectivamente. Somente para 2026, houve um avanço na projeção do indicador, de 8,63% para 8,75%.

Relação de Lula com o Congresso

Quanto à relação entre o Executivo e o Congresso Nacional, Lula elogiou o atual momento, destacando que é possivelmente o melhor dos últimos tempos. Ele ressaltou que a aprovação das reformas é um legado para o Brasil, não apenas para o governo federal.

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.