Os principais líderes democratas descartaram neste domingo (30) a possibilidade de substituir o presidente Joe Biden como candidato após um desempenho fraco no debate da última quinta-feira (27), pedindo aos membros do partido que se concentrem nas consequências de uma possível segunda presidência de Donald Trump.

Após dias de preocupações com Biden e o resultado da eleição de 5 de novembro, os líderes democratas rejeitaram firmemente os apelos para que escolhessem um candidato presidencial mais jovem. Biden, de 81 anos, estava reunido com membros da família no retiro presidencial de Camp David, onde seu futuro político provavelmente foi discutido.

Mesmo assim, os pedidos para que Biden se retirasse continuaram, e uma pesquisa da CBS após o debate mostrou um aumento de 10 pontos no número de democratas que acreditam que Biden não deveria concorrer à presidência, passando de 36% em fevereiro para 46%.

“O infeliz fato é que Biden deveria se retirar da disputa, para o bem da nação à qual ele serviu tão admiravelmente por meio século”, disse o Atlanta Journal-Constitution em um editorial no domingo. “A sombra da aposentadoria agora é necessária para o presidente Biden”.
O senador democrata da Geórgia Raphael Warnock, um dos vários democratas vistos como possíveis substitutos de Biden, se manifestou afirmando que “absolutamente não”, sobre a possibilidade.

Durante o programa Meet the Press da NBC, ele comentou que “debates ruins acontecem”. “A pergunta é: ‘Por quem Donald Trump já se mostrou, além dele mesmo e de pessoas como ele? Estou com Joe Biden, e nossa tarefa é garantir que ele ultrapasse a linha de chegada em novembro”, complementou.

Líder democrata da Câmara dos Deputados se manifestou

Hakeem Jeffries, o líder democrata da Câmara dos Deputados, Hakeem, que poderá se tornar presidente da Câmara no próximo ano se seu partido conseguir assumir o controle da casa em novembro, assumiu que Biden sofreu um revés em seu debate com o ex-presidente Trump, o candidato republicano.

“Acredito que um revés nada mais é do que uma preparação para um retorno”, comentou ele à MSNBC. “Portanto, o momento em que estamos agora é um momento de retorno, e isso exigirá que todos nós nos empenhemos, articulando uma mensagem voltada para o futuro sobre por que a plataforma democrata está mais bem equipada para lidar com os desafios que o povo americano enfrenta”, finalou. 

James Clyburn, outro importante democrata da Câmara, concordou com a afirmação. “Biden deve permanecer na disputa. Ele deve demonstrar, daqui para frente, sua capacidade de liderar o país”, disse ele à CNN.

Durante o debate, Biden, que estava rouco, se apresentou de maneira trêmula e hesitante, tropeçando em suas palavras por diversas vezes. Logo após a ocasião, alguns democratas comentaram em particular, que essa apresentação poderia ser um fator de desqualificação.

Gabryella Mendes

Redatora do Melhor Investimento.