A Iguatemi (IGTI11), uma das maiores empresas de shopping centers do Brasil, anunciou a aquisição de uma fatia do Rio Sul, um dos Shoppings mais importantes do Rio de Janeiro.

Vale lembrar que há menos de um mês, a Allos (ALOS3), outra administradora de shoppings da B3, informou que não conseguiu concluir a compra do Shopping Rio Sul. 

De acordo com o comunicado enviado ao mercado nesta segunda-feira (08), a Iguatemi participará do negócio junto com o fundo imobiliário BB Premium Malls (BBIG11). Ambos fecharam um acordo com a Combrashop, que possui 54% do ativo.

É importante destacar que a Combrashop foi a responsável por fazer a Allos desistir da compra, que também seria realizada junto com um fundo imobiliário, o XP Malls (XPML11). Quando soube que o FIP Retail, o outro dono do shopping, iria vender a participação, a companhia optou por exercer o direito de preferência na transação e levou a participação do FIP.

Iguatemi (IGTI11) administrará Rio Sul

A fatia do Shopping Rio Sul foi negociada pela Combrashop com a Iguatemi e o fundo BBIG11. Com a compra, a Iguatemi pagará R$ 360 milhões por uma participação de 16,6%, enquanto o FII ficará com 33,3% e a Combrashop permanecerá com 50,1% do ativo.

Além disso, o acordo determina que a empresa será contratada como administradora do empreendimento.

“A oportunidade de investimento está alinhada à estratégia da Iguatemi de estar presente nas principais propriedades, nos mercados mais importantes do país, fortalecendo o seu portfólio de ativos”, afirma o comunicado.

Sobre o Rio Sul

Primeiro shopping construído no Rio de Janeiro, o Rio Sul está localizado em Botafogo, uma região nobre da cidade, e é considerado um “trophy asset” – uma propriedade excepcionalmente rara e altamente demandada por investidores.

A Iguatemi enfatiza que a área ao redor do shopping é “altamente qualificada”, com 81% dos domicílios habitados por famílias das classes A e B, e com renda média duas vezes maior que a da cidade.

Vale destacar que o shopping está localizado dentro de um raio de cinco quilômetros que inclui bairros renomados como Ipanema, Copacabana, Leme, Lagoa, Flamengo e Leblon, além de estar próximo a pontos turísticos e cartões-postais do Rio de Janeiro.

Além disso, a performance financeira do Rio Sul foi robusta nos últimos três anos, com crescimento anual de dois dígitos na receita líquida entre 2021 e 2023. Considerando as receitas líquidas de impostos oriundas da administração do empreendimento, estima-se um cap rate implícito de 11% e uma TIR (Taxa Interna de Retorno) de 17,1% para o investimento, de acordo com a Iguatemi.

Gabryella Mendes

Redatora do Melhor Investimento.