Dilma Rousseff liderou a primeira reunião do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB), conhecido como Banco dos Brics, durante a madrugada de terça-feira (30). O encontro teve como propósito apresentar as demandas dos governadores, conforme revelado pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

O objetivo principal foi discutir a expansão dos fundos, a possível inclusão de novos membros e concentrar os investimentos em questões estratégicas, especialmente no Sul global e na transição ecológica. Durante a madrugada, o ministro destacou que a Argentina não foi abordada especificamente nas discussões.

Dilma no Banco dos Brics

Em abril deste ano, a ex-presidente do Brasil, Dilma Rousseff assumiu o cargo de nova presidente do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB, na sigla em inglês), o chamado banco dos Brics – grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Desde a sua posse, Dilma destaca o compromisso do banco na mobilização de recursos para investimentos em “energia limpa e eficiente, infraestrutura de transporte, água e saneamento, proteção ambiental, infraestrutura social e infraestrutura digital”.

Além disso, a nova líder do NDB acredita que o banco não pode agir sozinho, e que levantar fundos próprios para o financiamento de projetos é uma “grande prioridade”.

Segundo a ex-presidente do Brasil, o Banco dos Brics está em uma “posição única para liderar o caminho ao modelo de desenvolvimento de um mundo próspero”, respeitando as características de cada país.

Veja também:
Nvidia (NVDC34) atinge valor de mercado de US$ 1 trilhão e lidera setor de tecnologia

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.