O presidente da Coinbase Global, Brian Armstrong, afirmou nesta terça-feira (18) que os Estados Unidos e o Reino Unido precisam tornar suas regulamentações para a indústria de criptos (criptoativos) mais claras, a fim de evitar que as empresas do setor se desenvolvam em “paraísos offshore”.

Durante uma conferência do setor, Brian Armstrong mencionou o colapso da FTX, que tem sede nas Bahamas, como uma ilustração da importância das principais economias desenvolverem regulamentações mais claras para o setor de criptoativos.
“Esta é a razão pela qual precisamos de clareza sobre a legislação e regulamentação onshore, porque se o Reino Unido não tiver isso, se os Estados Unidos não tiverem isso, essas empresas serão criadas em paraísos fiscais“, disse Armstrong.

Apesar de algumas grandes economias, como a União Europeia, já terem elaborado algumas regras para o setor, a indústria de criptoativos ainda não é regulamentada nos Estados Unidos.

Fiscalização sobre as criptos

Este ano, os reguladores norte-americanos intensificaram sua fiscalização sobre as empresas de criptomoedas, mirando em ofertas ilegais e no descumprimento das regras destinadas a prevenir atividades ilícitas. Em março, a SEC (Securities and Exchange Commission – organização que controla e regula todas as operações nos mercados de valores mobiliários) ameaçou processar a Coinbase devido a alguns produtos oferecidos pela empresa.

Veja também:
Entenda como funciona a mineração de criptomoedas e seu impacto no meio ambiente

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.