A Copasa (CSMG3) anunciou a distribuição de proventos referentes ao segundo trimestre de 2024 (2T24), totalizando R$ 145 milhões. Os rendimentos estão divididos em Juros sobre o Capital Próprio (JCP) e dividendos.

Para o JCP, o montante será de R$ 120,1 milhões, equivalente a R$ 0,3168070128 por ação, pago após a dedução do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) conforme a legislação vigente.

Vale enfatizar que os acionistas imunes, isentos ou dispensados de retenção devem comprovar sua condição para receber o valor integral.

Sendo assim, a data de corte para o recebimento dos JCP é 25 de junho, com pagamento previsto para 19 de agosto.

Em relação aos dividendos, o valor total é de R$ 25,7 milhões, correspondendo a R$ 0,0679025099 por ação, com a mesma data base de 25 de junho e pagamento também previsto para 19 de agosto.

Copasa (CSMG3) tem lucro de R$351,6 milhões no 1T24

A Copasa registrou um lucro líquido de R$351,6 milhões no primeiro trimestre de 2024 (1T24), um aumento de 4,1% em comparação com o mesmo período do ano anterior, conforme anunciado pela empresa em seu balanço.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) alcançou R$700,7 milhões no 1T24, representando um crescimento de 3,4% em relação ao 1T23.

Já a margem Ebitda para o período de janeiro a março deste ano foi de 41,1%, uma redução de 1 ponto percentual em comparação com o mesmo período do ano anterior.

No primeiro trimestre de 2024 (1T24), a receita líquida proveniente de água, esgoto e resíduos sólidos totalizou R$1,69 bilhão, representando um crescimento de 7,4% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

O resultado de equivalência patrimonial do 1T24, referente à subsidiária COPANOR, foi negativo em R$2,8 milhões, enquanto no 1T23 esse resultado foi negativo em R$13,2 milhões.

Os custos e despesas atingiram R$1,15 bilhão no 1T24, em comparação com R$1,05 bilhão no 1T23, refletindo um aumento de 9,2%.

No primeiro trimestre de 2024, o resultado financeiro líquido foi negativo em R$48,5 milhões, registrando uma redução de 1,1% em relação às perdas financeiras do mesmo período de 2023.

Gabryella Mendes

Redatora do Melhor Investimento.