A partir de 19 de julho, os clientes empresariais da Caixa Econômica Federal terão que pagar para realizar transferências instantâneas por meio do Pix. Essa nova cobrança foi autorizada pelo Banco Central e já está sendo implementada pela maioria das instituições financeiras.

Recentemente, surgiram boatos falsos sobre as tarifas e quais clientes seriam afetados por essas cobranças. No entanto, o banco emitiu um comunicado desmentindo tais informações e esclarecendo que pessoas físicas, microempreendedores individuais (MEIs) e beneficiários de programas sociais continuarão a utilizar o Pix sem custo.

A Caixa afirmou que essa prática de tarifação do Pix para pessoas jurídicas já é realizada por outras instituições financeiras e está de acordo com a Resolução BCB nº 30/2020, que autoriza essa cobrança desde novembro de 2020.

Além disso, o banco informou que a nova tarifa a ser aplicada às empresas que utilizam o Pix será uma das mais baixas do mercado. Segundo o comunicado, a Caixa reafirma seu compromisso de oferecer aos clientes as melhores condições em seus produtos e serviços bancários.

As tarifas para envio e recebimento do Pix para pessoas jurídicas privadas estão detalhadas abaixo:

Transferência Pix

  • Enviar dinheiro de uma empresa para uma pessoa física através de chave Pix, inserção de dados bancários ou iniciação de pagamento.
  • Enviar dinheiro entre empresas através de chave Pix ou inserção de dados bancários.
  • A tarifa é de 0,89% do valor da transação, com um valor mínimo de R$ 1 e máximo de R$ 8,50.

Compra Pix

  • Empresas recebem pagamentos de pessoas físicas em operações de compra através de chave Pix, inserção de dados bancários, iniciador de pagamento ou Código QR estático.
  • Empresas recebem pagamentos de outras empresas através de Código QR estático ou iniciador de pagamento.
  • A tarifa é de 0,89% do valor da transação, com um valor mínimo de R$ 1 e máximo de R$ 130.

Pix Checkout

  • Empresas recebem pagamentos de pessoas físicas ou outras empresas através de Código QR dinâmico.
  • A tarifa é de 1,20% do valor da transação, com um valor mínimo de R$ 1 e máximo de R$ 130.

Informações fornecidas pela Caixa Econômica Federal (CEF) e pela Agência Brasil.

Veja também:

O PIX domina o mercado de pagamentos com 29% das transações em 2022, diz BC

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.