A Anglo American (LON: AAL) rejeitou nesta quarta-feira (29) o pedido de última hora da BHP (ASX: BHP) por mais tempo para discutir uma oferta de aquisição de US$ 49 bilhões, considerando-a altamente complexa. Esta decisão provavelmente é a última tentativa de compra pela mineradora rival que já durava cinco semanas.

Anteriormente, a Anglo havia concedido à BHP uma prorrogação de uma semana, até a tarde desta quarta-feira, em relação ao prazo original de 22 de maio para apresentar uma oferta vinculante, após rejeitar uma terceira proposta de aquisição que considerou difícil de ser executada.

A BHP ainda tem até essa data para fazer uma oferta firme ou desistir. A companhia não respondeu imediatamente a um pedido de comentário, mas havia indicado anteriormente que não faria uma oferta hostil.

Listada em Londres, a Anglo concordou em manter conversas com a BHP para tentar resolver as preocupações sobre a estrutura do acordo proposto, que inclui a condição de que a Anglo separe as unidades de platina e minério de ferro da África do Sul antes da aquisição.

Vale lembrar que a  BHP já havia declarado que precisava de mais tempo no processo com a Anglo e delineou compromissos para minimizar o risco regulatório na África do Sul, incluindo a segurança do emprego dos funcionários e a cobertura dos custos do aumento da participação dos funcionários sul-africanos, que deverá ser exigido em qualquer cisão.

No entanto, a Anglo sinalizou que esses compromissos não eram suficientes. “A BHP continua a reafirmar sua crença de que os riscos de sua estrutura complexa não são materiais, mas declarou repetida e consistentemente, tanto publicamente quanto durante os compromissos, que não está disposta a alterar a estrutura proposta para assumir esses riscos”, afirmou a Anglo em comunicado.

O analista Hayden Bairstow, da corretora Argonaut, em Perth, comentou que “a BHP está fazendo tudo o que pode para aplacar quaisquer preocupações que a diretoria da Anglo possa ter do ponto de vista dos empregos na África do Sul e do ponto de vista regulatório.”

Apesar disso, uma fonte próxima à visão da Anglo disse que os investidores compartilhavam as reservas expressas pela companhia sobre a proposta da BHP.

“A maioria dos acionistas da Anglo entende perfeitamente as preocupações que estão sendo expressas e não acredito que eles considerem que os riscos da estrutura e do preço foram totalmente levados em consideração pela BHP”, disse a fonte.

A última proposta da BHP avaliava a Anglo em 29,34 libras por ação, ou 38,6 bilhões de libras (US$ 49 bilhões). A aquisição da Anglo fortaleceria a posição da BHP no cobre e em outros metais essenciais para a transição mundial para energia limpa.

Enquanto isso, a Anglo delineou seu próprio plano para alienar ativos menos lucrativos e se concentrar na expansão da produção de cobre.

Gabryella Mendes

Redatora do Melhor Investimento.