As principais tendências do mercado de ações geralmente se concentram em torno de um ponto fundamental: o Ibovespa. Afinal, trata-se de uma importante ferramenta que muitos investidores utilizam como um guia para avaliar o desempenho de seus investimentos.

Como o principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3), ele não apenas reflete o cenário econômico do Brasil, mas também serve como bússola para investidores, analistas e até mesmo para aqueles que acompanham de longe as flutuações do mundo financeiro.

Afinal, o termo é consideravelmente conhecido, em grande parte, devido às constantes notícias diárias ligada ao campo do investimento que informam que o Ibovespa caiu ou subiu. Contudo, você entende completamente o que isto significa? 

Se não, continue sua leitura! Neste artigo, o Melhor Investimento aborda os principais detalhes sobre este importante índice da bolsa, incluindo seu histórico, cotação e produtos relacionados.

Ibovespa hoje 

Nesta terça-feira (18), Ibovespa abriu operando em leve queda de 0,08%, cotado aos 119.044 pontos. O recuo do principal índice da bolsa de valores brasileira ocorre com atenções voltadas à reunião do Copom, e preocupações quanto ao equilíbrio fiscal.

No início da tarde, o mercado financeiro apresentou flutuações significativas. Por volta de 14:20, o IBOV subia 0,60%, aos 119.864 pontos. Durante o segundo pregão da semana, o índice oscilou, descendo abaixo da marca dos 119 mil pontos e, em um dado momento, superando a linha dos 120 mil pontos.

Informações gerais

Máxima120.109
Mínima118.872
Variação (dia)+0,60%
Fechamento anterior119.138
Abertura119.138

O que é IBOV e Ibovespa? 

Os termos “Ibovespa” e “IBOV” representam abreviações de “Índice Bovespa”, sendo que “Bovespa” era o nome anterior da Bolsa de Valores de São Paulo. Posteriormente, essa bolsa fundiu-se com a BM&F em 2008, que por sua vez se uniu com a Cetip em 2017, formando a bolsa hoje conhecida como B3. 

Em resumo, o Ibovespa desempenha um papel vital como indicador do mercado de ações brasileiro, sendo hoje considerado a principal referência da B3. Ele é composto por uma carteira teórica das ações mais negociadas e representativas do mercado de capitais brasileiro.

Nesta linha, o índice reflete o comportamento das ações mais negociadas na B3 em um determinado período de tempo, servindo como um parâmetro para a bolsa como um todo.  

Entendendo essa dinâmica, consegue-se conceber o estado do mercado naquele momento específico. Isto é, quando se diz que o “Ibovespa subiu”, significa que o mercado de forma geral está mais otimista, pois, ações mais negociadas na B3, que compõem o índice, valorizaram. 

Da mesma forma, quando o Ibovespa “cai”, significa que o valor médio das ações mais negociadas diminuiu em relação ao período anterior, deixando os investidores em geral mais cautelosos. 

Em síntese, a importância do IBOV reside no fato de que ele representa um indicador-chave do desempenho médio das principais ações da B3, influenciando decisões de investimento, refletindo a confiança dos investidores. 

Construção e metodologia Ibovespa B3

Agora que entendemos melhor o que é o Ibovespa, é hora de explorar mais detalhadamente como esse índice funciona. 

Quando dizemos que ele acompanha o desempenho das principais ações da bolsa, estamos nos referindo às empresas com maior capitalização de mercado, ou seja, aquelas cujas ações movimentam mais dinheiro na B3.

Nesta linha, é importante ter em mente que o Ibov não é uma carteira de investimentos real, na qual se pode investir diretamente. Em vez disso, trata-se de uma composição hipotética (carteira teórica) de ações selecionadas para representar o mercado de ações brasileiro. 

Como é estipulada a composição da carteira teórica do IBOV?

Para selecionar as tais ações mais representativas da bolsa, aquelas com maior volume financeiro, o índice conta com determinadas regras. Em suma, somente participam do Ibovespa, as ações que cumprem com critérios pré-estabelecidos, são eles: 

  • Ter sido negociada em pelo menos 95% dos dias de pregão nos últimos 12 meses; 
  • Ter volume de negociação der pelo menos 0,1% do total negociado na bolsa nos últimos 12 meses; 
  • Estar incluída nas ações mais negociadas, se posicionado entre os ativos que representem 85% em ordem decrescente de Índice de Negociabilidade (IN) – com uma margem de segurança de 90%; 
  • Não estar passando por problemas legais graves (recuperação judicial ou extrajudicial, regime especial de administração temporária, ou intervenção); 
  • Não ser considerada uma penny stock (ações com cotação média abaixo de R$ 1,00). 

Processo de atualização da carteira

Desde sua criação em 1968, o Ibovespa atualiza a lista de ações que o compõem a cada quatro meses, reavaliando sua carteira de acordo com os critérios mencionados anteriormente.

Em outras palavras, durante esse processo, as ações são avaliadas de acordo com as regras estabelecidas e aquelas que atendem aos requisitos são incluídas na carteira teórica do Ibovespa, enquanto outras podem ser removidas, por descumprimento das exigências. 

A nova lista passa a vigorar na primeira segunda-feira do primeiro mês de cada período. Neste escopo, consideram-se os seguintes quadrimestres: 

QuadrimestreData de Atualização
Janeiro a abril1ª segunda-feira de maio (06/05/2024)
Maio a agosto1ª segunda-feira de setembro (02/09/2024)
Setembro a dezembro1ª segunda-feira de janeiro (06/01/2025)

Histórico de cotação mensal do IBOV 2024

DataÚltimoAberturaMáximaMínimaVolumeVariação
01.05.2024128.769125.924128.787125.924+2.26%
01.04.2024125.924128.106129.956123.3978,90M-1.70%
01.03.2024128.106129.026129.716125.80210,82M-0.71%
01.02.2024129.020127.752131.696126.443203,81M+0.99%
01.01.2024127.752134.186134.195125.876210,77M-4.79%
Fonte: Investing.com

Empresas que estão no IBovespa

De antemão, é importante lembrar que a carteira teórica é reavaliada a cada quatro meses. A próxima atualização está prevista para o começo do mês de agosto de 2024.

Adiante você pode conferir as principais empresas que compõem a carteira teórica do IBOV, válida para o quadrimestre compreendido no período entre maio e agosto de 2024.

CódigoAçãoTipo
ABEV3AMBEV S/AON
ALOS3ALLOSON ED NM
ALPA4ALPARGATASPN N1
ARZZ3AREZZO COON NM
ASAI3ASSAION NM
AZUL4AZULPN N2
B3SA3B3ON NM
BBAS3BRASILON NM
BBDC3BRADESCOON EJ N1
BBDC4BRADESCOPN EJ N1
BBSE3BBSEGURIDADEON NM
BEEF3MINERVAON NM
BPAC11BTGP BANCOUNT N2
BRAP4BRADESPARPN ED N1
BRFS3BRF SAON ATZ NM
BRKM5BRASKEMPNA N1
CCRO3CCR SAON NM
CIEL3CIELOON NM
CMIG4CEMIGPN EDB N1
CMIN3CSNMINERACAOON N2

Para conferir a lista completa, basta acessar o site oficial da B3

Ações mais ativas IBOV

Cada ação que compõe a carteira teórica do IBOV, possui um peso diferente. Sua participação no índice irá depender de fatores como sua liquidez e seu volume de negócios no mercado de capitais, em relação ao total da carteira. 

Cabe salientar que cada ação pode ter no máximo 20% de participação no Ibovespa do total da carteira, conforme estipula as regras do índice. Caso este percentual seja ultrapassado, a participação é reduzida ao limite permitido, e o restante é distribuído entre as demais ações. 

Considerando dados atuais da B3, dentre as ações com mais participação no índice, pode-se destacar:  

Como investir? Produtos relacionados ao índice Bovespa

Enquanto investidor, é importante ficar por dentro dos produtos relacionados ao IBOV. Dentre as formas de investir no índice, destacam-se os chamados ETFs (Exchange-traded funds), alternativas interessantes para quem deseja diversificar a carteira com investimentos em renda variável

ETFs são fundos de investimento negociados na bolsa de valores. Em geral, estes fundos são atrelados a algum índice de referência, de modo que sua composição seja semelhante à carteira teórica do indicado. 

Por tais características, eles também podem ser chamados de fundos de índices. Atualmente, existem diferentes ETFs que acompanham o desempenho do Ibovespa, dentre eles, pode-se citar: BlackRock (BOVA11), Itaú Asset (BOVV11), XP Asset (BOVX11), BOVB11 Bradesco Asset, BTG Pactual Asset (IBOB11), entre outros. 

Outra alternativa está ligada aos Contratos de Futuro de Ibovespa, ou apenas Futuro de Ibovespa, representam acordos que estimam o valor do índice, em pontos. Eles são negociados em um ambiente da bolsa conhecido como Mercado Futuro.

Em geral, quem compra esses contratos, possui a expectativa de que o índice suba, para obter ganhos. Eles costumam ser procurados por aqueles que desejam operar com agilidade, e obter alta liquidez.    

Além destas opções mais conhecidas, existem outras diversas formas de investir no IBOV através de produtos indexados ao índice. Confira os exemplos elencados pela B3

  • Futuro Mini de Ibovespa
  • Opção sobre Ibovespa
  • Operação Estruturada de Rolagem de Minicontrato de Ibovespa
  • Operação Estruturada de Rolagem de Ibovespa
  • Opção Flexível de Ibovespa
  • Opção Flexível de BOVA11

Cabe evidenciar que este artigo não se trata de uma orientação personalizada. Portanto, antes de decidir fazer qualquer aporte, consulte um assessor financeiro e entenda de forma mais aprofundada quais investimentos se adequam mais ao seu perfil e objetivo.

Lucas Machado

Redator do Melhor Investimento e estudante de Psicologia, com mais de dois anos de experiência em redação de artigos relacionados aos mais variados assuntos e campos do saber.