A estratégia de redução de preços adotada pela Tesla (TSLA) impulsionou as vendas da empresa no primeiro trimestre de 2023 (1TRI23) a níveis recordes.

Segundo dados divulgados no último domingo (2), a fabricante de veículos elétricos liderada por Elon Musk entregou 422.875 carros em todo o mundo, o que representa um aumento de 36% em relação ao ano anterior.

Embora tenha superado as entregas do quarto trimestre de 2022 em cerca de 4%, a empresa ficou abaixo da previsão de cerca de 432 mil dos analistas consultados pela FactSet.

No entanto, a ação da empresa tem sofrido com a inflação global e outras pressões econômicas, levando a uma queda de 6,98% por volta das 15h desta segunda-feira (3), com a ação cotada a R$ 192,98.

A Tesla tem sido impactada pela elevação dos preços de produtos e serviços em todo o mundo, bem como pela alta da taxa de juros dos EUA e pela crise energética na Europa. Isso tem levado seu público-alvo, composto por executivos, empresários e profissionais de tecnologia, a preferir investir em ativos de proteção em vez de bens de consumo. 

Além disso, a própria Tesla enfrenta pressões de custo, comuns às empresas de alta tecnologia, o que a obriga a buscar um reposicionamento estratégico. Neste caso em específico, a empresa optou por reduzir os preços de seus veículos para estimular as vendas.

Outras notícias:
Telefônica Brasil (VIVT3) altera JCP

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.