Na mesma semana em que comunicou os planos de demitir 10% de sua força de trabalho em todo o mundo, a Tesla (TSLA34) informou que solicitará aos seus acionistas a ratificação de um pacote de remuneração para Elon Musk no valor de US$55,8 bilhões (cerca de R$293 bilhões).

A solicitação foi incluída em uma carta aos acionistas enviada nesta quarta-feira (17) à SEC – a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos – e será votada na reunião anual agendada para 13 de junho.

Além desse pedido, também será submetida à votação a mudança do estado de incorporação da Tesla de Delaware para o Texas, uma medida relacionada à controvérsia em torno do pacote de remuneração de Musk.

Vale lembrar que a solicitação do pagamento extraordinário a Musk foi feita pela primeira vez em 2018, consistindo em uma concessão de opções de ações de 10 anos, condicionada ao cumprimento de metas operacionais e financeiras pela empresa.

No entanto, um acionista contestou o pedido nos tribunais de Delaware. Em janeiro deste ano, o pacote foi invalidado por uma decisão da juíza Kathaleen McCormick. Ela afirmou que Musk controlava o processo de aprovação e que o conselho teria enganado os investidores. De acordo com a mesma, o processo de compensação de Musk era “profundamente falho”.

Retaliação

Em resposta à decisão, Musk transferiu o estado de incorporação da SpaceX do Delaware para o Texas no mês de feveireiro, no mesmo movimento que pretende realizar com a Tesla. “Se sua empresa ainda estiver incorporada em Delaware, recomendo mudar para outro estado o mais rápido possível”, disse Musk na plataforma X.

A presidente do conselho da Tesla, Robyn Denholm, pediu hoje, em carta assinada, o apoio à mudança, lembrando que o Texas já é a sede de negócios da empresa e que a Gigafactory Texas é uma das maiores fábricas dos Estados Unidos.

“No Texas, devemos continuar a trabalhar na nossa missão de acelerar a transição mundial para a energia sustentável, à medida que estabelecemos as bases para o nosso crescimento, bem como com o nosso progresso em inteligência artificial através de condução totalmente autônoma”, disse Robyn.

Conselho está do lado de Musk

Sobre o pacote salarial de 2018, a presidente do conselho afirmou que havia a exigência de que Musk proporcionasse um crescimento transformador e sem precedentes para receber qualquer remuneração e que isso representava um grande risco. “Isso levou à incrível inovação e progresso – e ganhos econômicos – que alcançamos na Tesla”, associou.

“O Conselho apoia este pacote de remuneração. Acreditávamos nisso em 2018, quando pedimos a Elon que perseguisse objetivos notáveis para fazer crescer a empresa. Vocês, como acionistas, também acreditaram nisso em 2018, quando o aprovaram por maioria esmagadora. O tempo e os resultados apenas mostraram a sabedoria do nosso julgamento.”, finalizou Robyn Denholm.

Gabryella Mendes

Redatora do Melhor Investimento.