A empresa do setor de metais não ferrosos Paranapanema (PMAM3) reportou no quarto trimestre de 2023 um resultado líquido negativo de R$215,528 milhões, marcando uma melhora de 89% em relação ao mesmo período do ano anterior. O prejuízo líquido ajustado foi de R$175,098 milhões, comparado a R$171,9 milhões um ano antes.

No mesmo período, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) ficou negativo em R$96,692 milhões, enquanto o EBITDA ajustado registrou negatividade de R$170,538 milhões. No ano de 2022, esses números foram de R$929,2 milhões e R$151,8 milhões, respectivamente.

De acordo com o relatório do balanço, o desempenho adverso do lucro e do EBITDA da Paranapanema foi atribuído a diversos fatores. A empresa menciona a restrição de caixa como um dos principais impactos, resultando em uma diminuição no volume de vendas. 

Além disso, a estratégia de expandir as operações de industrialização para terceiros teve um efeito negativo nos resultados. Outro fator significativo foi a suspensão temporária da unidade na Bahia. 

A redução na receita líquida também contribuiu para o resultado negativo. Ainda em relação ao lucro, houve um lucro bruto ajustado negativo, devido à necessidade de manter os custos fixos essenciais para a atividade operacional.

A receita líquida no quarto trimestre de 2023 alcançou R$73,682 milhões, representando uma queda de 56% em comparação com o mesmo período de 2022. Os principais destaques em termos de receita da empresa foram:

  • Mercado Interno, que representou 41,3% da Receita, com um aumento de 11,1 pontos percentuais;
  • Mercado Externo, que representou 12,5% da Receita, com uma queda de 50,5 pontos percentuais;
  • Transformação, que representou 46,2% da Receita, com um aumento de 29,9 pontos percentuais.

A empresa imputa a queda na receita à restrição de caixa, à suspensão temporária da unidade da Bahia e à estratégia de aumentar as operações de industrialização para terceiros.

Paranapanema (PMAM3) mantém foco nos planos futuros

Diante desse cenário desafiador, a empresa está concentrada em assegurar a continuidade das operações e avançar no processo de Recuperação Judicial, visando aumentar o acesso às linhas de financiamento para capital de giro e impulsionar o volume de produção e vendas. Houve uma redução de custos de 10% em comparação ao ano anterior, o que resultou em uma economia de cerca de R$ 47 milhões.

Apesar disso, a Paranapanema encerrou o ano de 2023 com um fluxo de caixa positivo de R$137 milhões. A empresa continua em negociação com os credores para obter melhores condições para o equacionamento de sua dívida do Acordo Global.

Em resumo, a PMAM3 enfrentou um trimestre complexo em 2023, com prejuízo líquido e EBITDA negativos. A redução na receita líquida foi impactante, influenciada pela restrição de caixa, entre outros fatores. No entanto, a empresa destaca seu compromisso em superar essa situação por meio do plano de recuperação, buscando eficiência e redução de custos.

Gabryella Mendes

Redatora do Melhor Investimento.