A recente divulgação dos dados de inflação nos Estados Unidos trouxe novidades significativas para os mercados globais e para as políticas monetárias internacionais. Em junho, o índice de preços ao consumidor registrou uma variação negativa de 0,1%, contribuindo para uma inflação acumulada de 3% nos últimos 12 meses, a menor taxa em um ano. Esses números têm potencial para moldar as decisões futuras do Federal Reserve (Fed), o banco central norte-americano, impactando diretamente economias ao redor do mundo.

Expectativas de corte de juros pelo Fed

As expectativas de um possível corte de juros pelo Fed foram reforçadas após a recente fala de Jerome Powell no Senado e a divulgação dos dados de inflação abaixo das expectativas. Analistas e investidores agora estimam que o Fed poderá realizar dois cortes de juros já em setembro, uma revisão significativa em comparação às previsões anteriores. A probabilidade de um corte em setembro agora é quase de 90%, sinalizando uma resposta forte do mercado às condições econômicas atuais nos Estados Unidos.

Impacto nos mercados financeiros

O mercado financeiro reagiu imediatamente às novas expectativas de política monetária nos EUA. Os juros dos Treasuries, especialmente nos títulos de dois e 10 anos, experimentaram uma queda substancial. Este movimento reflete a confiança do mercado em uma abordagem mais flexível do Fed para estimular a economia, diante de sinais de desaceleração e da necessidade de sustentar o crescimento.

Visão dos especialistas e estrategistas

Especialistas como Ed Al-Hussainy, estrategista de taxas da Columbia Threadneedle Investment, interpretam as condições atuais como favoráveis para o início dos cortes de juros em setembro. Acreditam que o ambiente econômico e as pressões inflacionárias moderadas oferecem espaço suficiente para medidas de estímulo, visando manter a estabilidade econômica e o crescimento sustentável a longo prazo.

Julia Peres

Redatora do Melhor Investimento.