A confiança do consumidor brasileiro apresentou uma recuperação significativa em junho, conforme dados divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Após uma queda expressiva no mês anterior, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) registrou um aumento de 1,9 ponto, alcançando 91,1 pontos.

Em médias móveis trimestrais, o índice permaneceu estável em 91,2 pontos, indicando uma estabilização após oscilações recentes. A análise de Anna Carolina Gouveia, economista do FGV/Ibre, destaca que esse crescimento da confiança foi influenciado tanto pela melhora da percepção sobre a situação atual quanto pelas expectativas para os próximos meses.

No desmembramento dos índices, observou-se um avanço significativo no Índice de Expectativas (IE), que subiu 2,6 pontos em junho, atingindo 98,1 pontos. Ao mesmo tempo, o Índice da Situação Atual (ISA) apresentou um aumento de 1,0 ponto, chegando a 81,6 pontos, o maior nível desde novembro de 2023.

A estabilidade no índice trimestral reflete a dificuldade em alcançar níveis mais satisfatórios de confiança, apontando para limitações financeiras das famílias e taxas de juros elevadas como fatores influenciadores. Avaliações específicas sobre as finanças pessoais das famílias e a economia local foram destacadas como pontos de atenção.

Julia Peres

Redatora do Melhor Investimento.