Segundo os dados divulgados na última quinta-feira (11) a Caixa obteve um lucro líquido recorrente de R$ 1,9 bilhões no primeiro trimestre do ano. Houve uma queda de 23,9% em relação ao mesmo período do ano anterior e a variação em comparação com o quarto trimestre de 2022 foi negativa em 5,3%.

A margem financeira bruta do banco, que representa os lucros obtidos com operações de juros, alcançou R$ 13,898 bilhões, apresentando um aumento de 30,4% em um ano. Esse crescimento pode ser atribuído ao aumento de 41,6% das receitas geradas pelas operações de crédito.

O banco apresentou um retorno sobre o patrimônio líquido (ROE, na sigla em inglês) recorrente de 7,08%. Esse valor representa uma queda de 3,94 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano anterior.

De acordo com o critério contábil, a Caixa apresentou um ROE de 7,55%, o que representa uma redução de 6,62 pontos em relação ao mesmo período do ano anterior. Esses números indicam uma queda no lucro do banco público nos últimos 12 meses.

No primeiro trimestre deste ano, os ativos da Caixa atingiram R$ 1,652 trilhão, apresentando um aumento de 11,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. Esse valor inclui a carteira de crédito, que alcançou R$ 1,036 trilhão (alta de 16,6%), bem como a carteira de títulos e valores mobiliários e derivativos, que totalizou R$ 249,4 bilhões, registrando uma queda de 1,4% em um ano.

Vale ressaltar que esses números não contemplam os fundos gerenciados pelo banco, como o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Incluindo esses fundos, o total de ativos da Caixa sobe para R$ 2,989 trilhões, representando um aumento de 8,1% em um ano.

No encerramento do trimestre, o patrimônio líquido da CEF era de R$ 124,547 bilhões, representando um crescimento 5,4% em 12 meses.

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.