A Auren (AURE3) e a AES Brasil (AESB3) anunciaram nesta quarta-feira (15) a combinação de negócios entre as companhias elétricas, resultando na conversão da AES em subsidiária integral da Auren e na consolidação das bases acionárias.

Essa operação criará uma plataforma com uma potência instalada de 8,8 GigaWatts (GW), composta por um portfólio robusto de geração de energia totalmente renovável, e um Ebitda combinado, relativo ao ano de 2023, estimado em R$3,5 bilhões.

Conforme comunicado oficial, a Auren, como empresa combinada resultante, assumirá a posição de 3ª maior empresa geradora de energia do Brasil.

O documento ressalta a diversificação das fontes renováveis da empresa resultante, distribuindo sua capacidade entre geração hidrelétrica (54%), geração eólica (36%) e geração solar (10%). Atualmente, a Auren ocupa a 11ª posição entre as maiores geradoras do Brasil.

O acordo prevê que a operação será realizada por meio da incorporação, pela ARN, uma sociedade cujo capital é integralmente detido pela Auren, da totalidade das ações ordinárias de emissão da AES BRASIL, com a consequente conversão da AES Brasil em subsidiária integral da ARN e a emissão, pela ARN, de novas ações ordinárias e preferenciais compulsoriamente resgatáveis.

Posteriormente, a ARN será incorporada pela Auren, de modo que a ARN será extinta e a AUREN passará a ser titular da totalidade do capital social da AES Brasil.

Nesse sentido, para cada ação ordinária da AES Brasil, serão entregues 0,762376237623 Ações ON da Auren. No âmbito da Incorporação, cada acionista da AES Brasil terá a opção de escolher entre três opções.

Gabryella Mendes

Redatora do Melhor Investimento.