A Via, empresa detentora da Casas Bahia, fechou o primeiro trimestre de 2023 com um prejuízo líquido de R$ 297 milhões, segundo informações divulgadas na última quinta-feira (4). 

O resultado representa uma queda significativa em relação ao mesmo período do ano anterior, quando a varejista anotou lucro líquido de R$ 18 milhões.

De acordo com o balanço da Via referente ao primeiro trimestre de 2023, a receita líquida da empresa foi de R$ 7,354 bilhões, o que representa uma queda de 0,6% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

 Por outro lado, o Ebitda ajustado da companhia teve uma alta de 0,2%, atingindo R$ 675 milhões no primeiro trimestre deste ano.

A Via destacou que o prejuízo líquido foi devido principalmente aos ajustes não recorrentes relacionados à atualização dos processos trabalhistas, que totalizaram R$ 80 milhões no trimestre. Isso refletiu em um prejuízo líquido operacional de R$ 217 milhões e uma margem líquida de -4,0% no período, com uma queda de 4,2 pontos percentuais em relação ao primeiro trimestre de 2022.

Os resultados não foram recebidos com entusiasmo pelo mercado, que viu queda nas ações da empresa após o anúncio dos números. Ainda assim, a companhia permanece confiante em relação ao futuro e afirmou que continua trabalhando para melhorar sua posição no mercado.

Debêntures da Via (VIIA3)

Além da divulgação do seu balanço referente ao primeiro trimestre de 2023, a Via, empresa detentora das Casas Bahia, anunciou a aprovação da nona emissão pública de debêntures simples, não conversíveis em ações. 

“Serão emitidas 1,119 milhão de debêntures, perfazendo o valor total da emissão de R$ 1,119 bilhão na data de emissão (15 de junho de 2023). O valor nominal unitário das debêntures será de R$ 1 mil”, explicaram os administradores da varejista. Os papéis terão prazo de vigência de dois anos.

Ainda segundo os administradores da Via, o saldo do valor nominal unitário das debêntures será amortizado trimestralmente, sendo a primeira amortização em 15 de janeiro de 2024 e a última na data de vencimento. 

A remuneração será paga nos dias 15 de setembro e 15 de dezembro de 2023 e, a partir de 15 de janeiro de 2024 (inclusive), trimestralmente, sempre no dia 15 dos meses de janeiro, abril, julho e outubro de cada ano até o dia 15 de abril de 2025.

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.