JBS (JBSS3) anunciou um investimento de R$ 800 milhões que visa expandir uma
unidade da Friboi em Diamantino (MT) e aumentar sua capacidade de produção. A empresa informa que destinará os recursos para recuperar e modernizar a fábrica, que foi parcialmente afetada por um incêndio ocorrido em 11 de junho. Com o investimento, a unidade de Diamantino se tornará a maior da Friboi no Brasil.

O CEO da JBS no Brasil, Gilberto Xandó, e o presidente da Friboi, Renato Costa, anunciaram o investimento durante uma reunião com autoridades locais e o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, que estavam visitando a unidade. Também estavam presentes no encontro Wesley e Joesley Batista, do grupo J&F, a holding que controla a JBS,

“Mato Grosso é uma região de grande importância para a JBS e para a Friboi. Esse investimento em Diamantino reflete nosso compromisso contínuo em apoiar e investir no estado”, afirmou Joesley, de acordo com o comunicado da JBS.

Xandó também reforçou a ideia de que o investimento será bom não somente para a cadeia produtiva, mas também para o território: “Estamos entusiasmados com a perspectiva de expandir nossa presença no município e esperamos fortalecer ainda mais a indústria pecuária de Mato Grosso, contribuindo para o desenvolvimento econômico da região”, disse o presidente da Friboi.

JBS vai criar 1,4 mil empregos

Além de comunicar o investimento em crescimento, Xandó e Costa declararam que a JBS assegurará o emprego dos aproximadamente 1,4 mil colaboradores da fábrica durante o período de reconstrução das instalações afetadas.

No comunicado, a empresa também informa que serão criados no mínimo 1,4 mil empregos no local, além da manutenção dos postos de trabalho atuais, resultando em um total de 2,8 mil funcionários na unidade. Com a expansão, o número de empregos diretos mantidos pela empresa no Estado deve aumentar de mais de 9,5 mil para quase 11 mil.

Espera-se que as obras de recuperação e expansão da fábrica estejam finalizadas até o final deste ano, possibilitando a retomada das operações no local.

Pecuária brasileira pode se beneficiar com o período desfavorável nos EUA

Nesta segunda-feira (19), uma unidade de processamento de carne da empresa Minerva (BEEF3), localizada em Mato Grosso (MT), recebeu a autorização para exportar carne fresca para os Estados Unidos.

A planta foi submetida a uma auditoria rigorosa para verificar se estava em conformidade com os requisitos estabelecidos pelo Food Safety and Inspection Service, órgão responsável por garantir a segurança alimentar nos Estados Unidos.

Com a aprovação, a empresa agora possui um total de oito unidades autorizadas a exportar. Para a Mirae, essa notícia é positiva para a empresa.

Devido ao cenário desfavorável para a indústria pecuária nos EUA, acredita-se que o país aumentará suas importações de países onde os custos de produção de carne bovina são mais baixos, como o Brasil, onde as condições para a criação de gado são favoráveis, de acordo com o relatório da instituição.

Nesse sentido, com o aumento do número de plantas autorizadas, a Mirae prevê que a Minerva tem grandes chances de se beneficiar desse movimento.

Ainda nesta segunda-feira (19), por volta das 10h15, as ações da Minerva estavam subindo 0,27%, sendo negociadas a R$ 11,19.

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.