O programa anunciado pelo vice-presidente e ministro da Indústria e Comércio, Geraldo Alckmin (PSB), nesta quinta-feira (25), tem potencial para beneficiar diversas indústrias, incluindo empresas de autopeças, locadoras de veículos e até mesmo siderúrgicas, ao reduzir os preços dos carros no Brasil.

De acordo com especialistas consultados pelo E-Investidor, a lógica é simples: com a aplicação de descontos nos impostos federais PIS, Cofins e IPI para veículos com valor abaixo de R$ 120 mil, com reduções que podem variar entre 1,5% e 10,79%, espera-se uma diminuição no preço dos carros, o que provavelmente resultará em um aumento na demanda. Como consequência, toda a cadeia produtiva será impulsionada.

Os analistas ressaltam que o impacto dessa medida pode refletir positivamente no setor de autopeças, beneficiando empresas como a Fras-Le (FRAS3), que desenvolve materiais de fricção para sistemas de frenagem, e a Romi (ROMI3), que fabrica e comercializa ferramentas e máquinas para processamento de plásticos.

Outras empresas do setor de autopeças que podem ser afetadas positivamente são a Metal Leve (LEVE3), especializada na fabricação e venda de componentes de motores de combustão interna e filtros automotivos, e a Randon (RAPT4), um conglomerado com dez empresas atuando em três áreas principais: implementos e veículos para transporte de carga, produção de autopeças em geral, além de serviços como consórcio de máquinas e imóveis.

Além disso, empresas como Localiza (RENT3), Movida (MOVI3) e até mesmo Usiminas (USIM5) podem ver suas ações valorizadas como resultado dessa medida.

Redução no preço dos carros populares

Na última quinta-feira (25), o Governo brasileiro anunciou uma medida para diminuir o preço final dos carros populares, cortando impostos. O objetivo é reduzir em até 10,79% o valor dos veículos de até R$ 120 mil.

Com isso, espera-se que os carros populares voltem a ser vendidos por menos de R$ 60 mil, já que atualmente o preço inicial de um carro zero é de R$ 68 mil. O Renault Kwid é atualmente o veículo mais barato no mercado, custando R$ 68.990,00.

A decisão do Governo Federal foi comunicada após uma reunião com representantes do setor automotivo no Palácio do Planalto.

No anúncio da medida, o vice-presidente Geraldo Alckmin afirmou: “Hoje, o carro mais barato custa quase R$ 70 mil. Queremos reduzir esse valor. E os preços de outros modelos também serão reduzidos. Quanto menor o preço, mais acessível será, e maior será o desconto do IPI, PIS e Cofins. O primeiro objetivo é social, é atender a população que mais precisa.”

Investimentos de A-Z: guia de como começar a investir

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.