No segundo trimestre de 2024, a Aura Minerals (AURA33) alcançou um marco significativo em sua produção de ouro, com um total de 64.326 onças equivalentes de ouro (GEO). Este resultado marca uma queda de 6% em relação ao trimestre anterior, mas representa um robusto aumento de 33% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Desempenho por mina da Aura no 2T24

Minosa: Destacando-se no trimestre, a mina de Minosa manteve uma produção estável de aproximadamente 19 mil GEO. Esse resultado foi impulsionado por melhorias operacionais implementadas ao longo de 2023.

Aranzazu: Registrando uma produção de 24.692 GEO, Aranzazu viu uma leve queda de 4% em relação ao trimestre anterior e um declínio mínimo de 1% em comparação com o mesmo trimestre do ano passado, mantendo-se estável em condições desafiadoras.

Apoena (EPP): Apoena reportou uma produção de 9.912 GEO, refletindo uma queda de 18% em relação ao trimestre anterior. No entanto, o resultado representa um aumento significativo de 43% em comparação com o segundo trimestre de 2023, beneficiado por teores mais elevados.

Almas: Com uma produção de 10.580 GEO, Almas enfrentou uma redução de 11% em comparação com o trimestre anterior, devido a ajustes relacionados a mudanças no contratante durante o período.

No acumulado do primeiro semestre de 2024, a Aura Minerals alcançou uma produção total de 132.513 GEO, alinhada com as expectativas da companhia para atingir o guidance anual. A empresa reiterou suas projeções de produção para o ano completo, estimando entre 244.000 e 292.000 GEO.

Julia Peres

Redatora do Melhor Investimento.