Em anúncio conjunto no último domingo (23), o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Ministério da Economia da Argentina informaram que chegaram a um acordo para renegociar a dívida do país com a instituição financeira. Atualmente, a Argentina enfrenta uma dívida de cerca de 44 bilhões de dólares com o FMI.

O objetivo principal do acordo é liberar US$ 4 bilhões em pagamentos para a Argentina, valor que estava programado para ser entregue até o fim de junho. Contudo, o pagamento não ocorreu devido ao não cumprimento das metas previamente acordadas entre a Argentina e o FMI. Nesse contexto, o país sul-americano está passando por uma crise hídrica severa.

A nota conjunta divulgada pelas duas partes informa que foram estabelecidos os objetivos e parâmetros centrais que servirão como base para um “Staff Level Agreement” (acordo técnico), que deverá ser finalizado nos próximos dias. 

Esse acordo será então utilizado para avançar na revisão do programa argentino junto ao FMI. Vale ressaltar que esta será a quinta revisão do acordo, que foi inicialmente estabelecido durante o governo do ex-presidente Mauricio Macri, em 2018.

O comunicado do Ministério da Economia argentino destaca que o objetivo desse acordo é consolidar a ordem fiscal e fortalecer as reservas do país, levando em consideração os impactos significativos causados pela seca, que resultaram em prejuízos nas exportações e nas receitas fiscais argentinas.

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.