As ações da Braskem (BRKM5) abriram o pregão desta segunda-feira (8) em disparada de quase 20%. O movimento segue o comunicado de que a Novonor, antiga Odebrecht, recebeu uma proposta, não vinculante, envolvendo o controle da petroquímica.

Por volta das 10h18, as ações da BRKM5 dispararam 19,70%, chegando a ser negociadas a R$ 28,44, antes de entrarem em leilão. Essa performance colocou as ações no topo da lista de maiores ganhos do Ibovespa (IBOV), em uma sessão que também foi positiva para o índice.

De acordo com a Braskem, a proposta recebida pela Novonor, antiga Odebrecht, “será avaliada juntamente com as outras partes interessadas”. No entanto, a empresa não divulgou informações detalhadas sobre a oferta ou sobre quem são os responsáveis por ela.

Atualmente, a Novonor detém 50,1% do capital votante da Braskem, enquanto a Petrobras (PETR3; PETR4) e outros acionistas possuem 36,1% e 25,6%, respectivamente.

Venda da Braskem (BRKM5)

Na sexta-feira (5), as ações da Braskem tiveram um aumento significativo de até 40% após a notícia de que a empresa estatal de petróleo Abu Dhabi National Oil Company (Adnoc), em parceria com a gestora Apollo, estava preparando uma oferta para adquirir o controle da empresa por até R$ 37,5 bilhões, de acordo com informações divulgadas pela Folha de S.Paulo. No entanto, as ações fecharam o dia com um aumento de 14%.

Conforme reportado pelo colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, na sexta-feira foram apresentadas aos bancos credores da Novonor, que possuem ações da Braskem como garantia, as linhas gerais da proposta.

Em resposta aos rumores, o senador Renan Calheiros (MDB) declarou em suas redes sociais que tanto o Senado quanto o Estado de Alagoas não permitirão que a Braskem faça um acordo que não resolva os problemas ambientais causados pela empresa no nordeste.

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.