A Cemig (CMIG4) registrou um lucro líquido IFRS de R$1,88 bilhão no quarto trimestre de 2023 (4T23), o que representa um aumento de 34,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. No acumulado de 2023, o lucro líquido da empresa cresceu 41,4%, atingindo o montante de R$5,8 bilhões.

Durante os meses de outubro a dezembro, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) IFRS ajustado, excluindo itens não recorrentes, aumentou 24,5% em comparação anual, totalizando R$2,45 bilhões. Em um período de 12 meses, o Ebitda da Cemig alcançou R$8,5 bilhões, um aumento de 23,1% em relação ao ano anterior.

A receita líquida da Cemig no quarto trimestre teve um crescimento de 2,1%, alcançando R$9,95 bilhões. No ano todo, a empresa registrou uma receita de R$36,8 bilhões, representando um crescimento de 6,9% em comparação com o ano anterior.

Aspectos Operacionais

A receita bruta proveniente da energia vendida a consumidores finais entre outubro e dezembro totalizou R$7,6 bilhões, um aumento de 32,7% em relação ao mesmo período de 2022. Durante esse trimestre, o fornecimento bruto de energia atingiu 5.865 megawatts-hora (MWh), um aumento de 2,7% em comparação com o ano anterior.

No que diz respeito ao gás, a companhia registrou uma receita de fornecimento de R$953 milhões no trimestre, o que representa uma redução de 23,2% em relação ao ano anterior. No mesmo período, o volume de gás vendido diminuiu em 8,2%, enquanto o número de consumidores aumentou em 16,1%.

JCP da Cemig

A Cemig também anunciou a aprovação do pagamento de R$386,337 milhões em juros sobre capital próprio (JCP) aos acionistas.

O valor bruto por ação é de R$0,17556586886, a ser compensado com o dividendo mínimo obrigatório do exercício de 2024, com uma retenção de 15% de imposto de renda na fonte.

Terão direito aos proventos os acionistas detentores de ações ordinárias (ON) e preferenciais (PN) no dia 26 de março de 2024, com a ação negociando ex-direito aos proventos a partir do dia 27.

O pagamento será feito em duas parcelas iguais, a primeira até 30 de junho de 2025 e a segunda até 30 de dezembro de 2025.

Gabryella Mendes

Redatora do Melhor Investimento.