É possível encontrar algumas vertentes de análise de ações, mas existem duas que se destacam entre as demais sendo as preferidas dos investidores. São elas: a análise técnica e a análise fundamentalista. Mas afinal, o que é e qual a diferença entre elas? Nesse artigo vamos explicar todos esses detalhes.

O que é análise fundamentalista?

Essa análise atua como uma ferramenta eficiente para que o investidor tenha um panorama de uma determinada empresa listada na Bolsa de Valores. Ou seja, ele pesquisa fatores como a situação financeira, econômica e mercadológica de uma companhia. Dessa forma, ele coloca em prática uma análise de múltiplos com base nos indicadores de avaliação que vão possibilitar que os investidores examinem os fundamentos das companhias. E só depois disso, fazem as suas escolhas sobre quais ações comprar baseado nesses múltiplos.

Alguns dos indicadores usados na análise fundamentalista são:

P / L – A letra P significa o preço da ação de uma empresa no momento atual que está cotada no mercado de ações. Já a letra L representa o lucro da companhia por ação. Logo, esse indicador determina em quanto tempo uma organização consegue gerar lucros que cubram o valor de aquisição de suas ações. Além disso, mostra quanto o investimento está menor e mais atrativo.

P / VPA – Novamente, a letra P significa o preço da ação de uma empresa no presente. Já a sigla VPA refere-se ao Valor Patrimonial por Ação, que nada mais é do que pegar o valor do patrimônio líquido da companhia por ação. O indicador P / VPA aponta o número de vezes que o preço está sendo negociado em relação ao valor patrimonial da organização. O normal é que toda atividade da empresa tenha um valor de mercado acima do preço do seu próprio patrimônio.

Dividend Yield – Traduzindo para o português, temos o rendimento de dividendo. Esse indicador mensura a performance da empresa em relação aos proventos pagos aos seus acionistas. O dividend yield aponta a proporção entre os dividendos distribuídos e o valor presente da ação da companhia. É a divisão dos dividendos pagos por ação em um período de tempo pelo valor de cada ação em separado antes da distribuição desses dividendos. Depois, o resultado é multiplicado por 100.

O que é análise técnica?

A análise técnica ou análise de gráficos, como também é conhecida, é um estudo baseado nos gráficos. Dessa forma, o investidor observa os comportamentos dos preços dos ativos. O gráfico mais utilizado é o candlestick (figura 01), nele os investidores podem observar o que a ação fez no passado, o que ela está fazendo no momento atual e as probabilidades de repetirem algum movimento no futuro.

Gráfico candlestick da Petrobras

As ações podem repetir comportamentos passados no decorrer do tempo e assim, é possível que, ao fazer as análises, o investidor identifique algumas tendências de alta e baixa. Ao final de todo o estudo, o investidor leva em consideração o preço e o comportamento de preço de um determinado ativo para fazer as suas transações.

É possível usar as duas técnicas ao mesmo tempo?

Sim! Essa é uma prática que alguns investidores já estão aderindo. Quando eles gostam de uma determinada empresa e do negócio que ela faz, pesquisam os seus gráficos e assim, conseguem entender melhor o momento de entrar na companhia e pagar um valor justo. Além disso, é possível perceber os comportamentos passados como por exemplo, se ela enfrentou crises, como lidou com o momento, se foi resiliente ou outras informações desse tipo. Logo, unir as análises ajuda e facilita na tomada de decisão pelo investimento mais adequado e seguro.

Principais diferenças entre essas análises

Cada uma das análises apresenta características próprias que as diferenciam uma da outra. A primeira delas é que a análise técnica foca em retornos no curto prazo. Baseados no padrão dos gráficos, os investidores acreditam que irão render bons frutos. Já a análise fundamentalista, além dos investidores demorarem para tomar a decisão de qual companhia investir, eles fazem aplicações de médio-longo prazo e ao invés de analisarem gráficos, analisam múltiplos.

Conclusão

Agora que você já sabe quais são as análises mais utilizadas entre os investidores, pode escolher a mais adequada para as suas aplicações. Ou ao invés de decidir por apenas uma, pode combinar as duas. Em alguns casos esse é o ideal a ser feito, pois a escolha estará fundamentada em uma pesquisa mais completa e será mais fácil obter rendimentos próximos ao esperado.

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.