A gigante do setor de tecnologia Samsung está focada em acirrar sua competição com a Apple (AAPL34) no mercado de dispositivos vestíveis. Nesta quarta-feira (10), durante seu evento Unpacked, realizado em Paris, a empresa anunciou o lançamento de um anel inteligente e um relógio de alta qualidade com características similares ao Apple Watch Ultra.

O aguardado Galaxy Ring, que custará US$ 400 (aproximadamente R$ 2.160), é um anel inteligente que monitorará a saúde e o sono do usuário, contando com sensores de temperatura da pele, rastreamento do ciclo menstrual feminino e uma bateria que durará até uma semana com uma única carga, de acordo com as informações da empresa.

Já o outro produto destacado, o Galaxy Watch Ultra, é um dispositivo vestível de US$ 650 (aproximadamente R$ 3.510), feito de titânio e que possui detecção de apneia do sono e uma bateria com duração de dois dias.

A entrada da Samsung no segmento premium de dispositivos de saúde evidencia que a maior fabricante de smartphones do mundo está enfrentando a Apple e outras empresas menores, como a Oura Health Oy, fabricante do anel Oura.

Conforme a empresa sul-coreana, cujo setor de tecnologia de consumo foi um dos poucos pontos positivos em um difícil 2023, este movimento representa mais um passo na construção de um ecossistema similar ao da Apple, com produtos complementares. Fora isso, a incursão servirá como um teste para avaliar o quanto as pessoas estão dispostas a gastar em dispositivos de saúde e bem-estar.

“Os anéis inteligentes têm sido um mercado de nicho; esperamos que menos de dois milhões de unidades sejam vendidas neste ano. Isso se compara ao mercado muito maior de smartwatches, com 163 milhões de unidades”, comentou Bryan Ma, vice-presidente da IDC.

Ele ainda acrescentou que  “a Samsung tem o potencial de mudar o tamanho do mercado, dada sua enorme presença de distribuição e alcance de marketing”, disse.

Mais detalhes sobre os produtos lançados

Quanto ao Galaxy Ring, o produto estará disponível em nove tamanhos, e a Samsung oferecerá kits de ajuste para ajudar os usuários a encontrar o tamanho ideal. Além disso, a empresa prometeu que o dispositivo não exigirá uma assinatura, diferenciando-o do anel Oura, que é mais barato, e de outros dispositivos vestíveis.

Mesmo que a ausência de uma tela ou ecossistema de aplicativos possa dificultar a monetização da categoria para a empresa, a Samsung espera que isso melhore a experiência geral de seus outros dispositivos, como smartphones Galaxy.

Já o novo Galaxy Watch Ultra se assemelha e funciona de maneira muito semelhante ao Apple Watch Ultra, que custa US$ 799 (cerca de R$ 4.314), apresentando construção similar, opções de interface de modo noturno, uma sirene de emergência e um chamado “Quick Button” para iniciar exercícios ou outras funções mais usadas.

O super lançamento também possui sensores aprimorados para monitoramento da frequência cardíaca, GPS de dupla frequência para melhor rastreamento em cidades congestionadas e um processador mais rápido.

E as novidades não pararam por aí: a Samsung também anunciou o Galaxy Watch 7, que mantém a aparência dos modelos anteriores, mas inclui novos recursos de IA, como uma pontuação de energia que prevê o quão preparada uma pessoa está para cada dia com base em seu sono e níveis de atividade. Os dispositivos Fitbit do Google já oferecem essa métrica.

Gabryella Mendes

Redatora do Melhor Investimento.