Após 25 anos de colaboração com a Valentino, o designer Pierpaolo Piccioli está deixando a grife italiana, marcando uma mudança significativa no setor de luxo. A saída de Piccioli reflete as turbulências enfrentadas por marcas de alto padrão, enquanto se ajustam a um crescimento mais lento após o frenesi pós-pandemia.

Nesta sexta-feira (22), a Valentino anunciou oficialmente o encerramento da colaboração com Pierpaolo Piccioli, diretor criativo da marca, em meio a um contexto de transformações no cenário do luxo global. A notícia vem em um momento em que o setor se adapta a uma nova realidade econômica, com projeções de crescimento mais moderado após os anos de gastos exuberantes durante a pandemia.

Com uma trajetória de 25 anos na Valentino, Piccioli é reconhecido por seus designs de alta costura que conquistaram não apenas o mundo da moda, mas também o tapete vermelho das celebridades. Sua saída levanta questões sobre o futuro criativo da grife e como ela planeja se adaptar às mudanças no comportamento do consumidor.

Enquanto isso, outras marcas de luxo também passam por mudanças em suas direções criativas, como a Gucci, sob a liderança de Sabato de Sarno, e a Alexander McQueen, com Sean McGirr assumindo o cargo de diretora criativa. Essas movimentações refletem uma busca por renovação e reinvenção em um mercado cada vez mais competitivo.

O legado de Piccioli e o futuro da Valentino

Piccioli deixou sua marca na Valentino ao longo de suas duas décadas e meia na empresa, criando um legado de designs icônicos e inovações no mundo da moda de luxo. Sua saída levanta questionamentos sobre o próximo capítulo da marca e como ela planeja manter sua relevância em um mercado em constante evolução.

Julia Peres

Redatora do Melhor Investimento.