Mesmo com o imposto de exploração sobre a commodity em vigência, as vendas externas de petróleo do Brasil bateram recorde em março.

De acordo com a Secretaria de Comércio Exterior (Secex), entre os dias 1 e 24  do mês de março, o Brasil exportou 9,4 milhões de toneladas de petróleo, o que representa um aumento de 75,4% em relação ao mês de março inteiro do ano de 2022. Acredita-se que o aumento na exportação de petróleo deverá ter um impacto positivo na arrecadação da União.

O Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP), que representa as empresas de petróleo no Brasil, explicou que esse resultado também foi influenciado pelo baixo número de embarcações em fevereiro, quando apenas 2,5 milhões de toneladas foram exportadas, o menor volume registrado para o mês desde 2015.
Ainda de acordo com  dados do IBP, o recorde anterior de exportação de petróleo do Brasil havia sido registrado em dezembro de 2019, com um total de 8,5 milhões de toneladas exportadas. A Secex publicará o volume total de petróleo exportado pelo Brasil em março na próxima segunda-feira (3).

Imposto sobre exportações de petróleo

O novo imposto sobre o petróleo exportado, de 9,2%, foi anunciado pelo governo em 28 de fevereiro, um dia antes de começar a ser cobrado em 1º de março, de forma a compensar a decisão da União de manter parcialmente a desoneração de impostos sobre combustíveis. 

Com duração até o dia 30 de junho de 2023, o tributo foi criado por medida provisória e tem sido alvo de questionamentos de petroleiras, especialistas e partidos políticos, que chegaram a recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para contestá-lo. O impacto financeiro positivo da MP aos cofres da união é da ordem de R$ 6,65 bilhões.

Veja também:
Governo solicita à Petrobras que reveja venda de ativos

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.