Durante o auge da pandemia em 2021, a indústria enfrentou uma alta demanda por embalagens de papelão devido ao aumento significativo nas entregas, impulsionado pelo isolamento social. Este cenário elevou os preços do papelão a um pico de R$ 2 por quilo, refletindo a necessidade urgente por caixas de papelão para o intenso fluxo logístico. No entanto, desde o início de 2022, os preços despencaram dramaticamente, trazendo novos desafios para os catadores de materiais recicláveis.

A queda acentuada nos preços do papelão reciclado é atribuída principalmente ao aumento do uso de matéria-prima virgem pela indústria. Com a produção nacional de celulose se tornando mais acessível, as empresas optaram por essa opção mais econômica, reduzindo assim a demanda por papelão reciclado. Esta mudança teve um impacto direto na renda dos catadores, cujas atividades dependem da coleta e venda de materiais recicláveis.

Recentemente, uma leve recuperação nos preços do papelão foi observada devido às enchentes que afetaram o Rio Grande do Sul. Esses eventos naturais interromperam temporariamente a coleta de papelão pelos catadores, resultando em uma oferta momentaneamente reduzida. Esta situação temporária elevou marginalmente os preços, oferecendo um breve alívio para os envolvidos na cadeia de reciclagem.

Os catadores desempenham um papel crucial na reciclagem no Brasil, sendo responsáveis por 90% dos materiais reciclados no país. No entanto, enfrentam desafios significativos de renda devido às oscilações nos preços do papelão reciclado. Com uma renda média mensal entre R$ 500 e R$ 800, esses trabalhadores enfrentam incertezas econômicas que refletem diretamente em suas comunidades e famílias.

A indústria de embalagens em papel e celulose enfatiza a necessidade de certos produtos utilizarem 100% de matéria-prima virgem, limitando o potencial de crescimento do papelão reciclado em certas aplicações. Apesar das preferências por matéria-prima virgem, a associação do setor destaca a importância contínua da reciclagem, oferecendo insights sobre os desafios e as perspectivas para o futuro da reciclagem de papelão no Brasil.

Julia Peres

Redatora do Melhor Investimento.