Por Julia Gonzatto

Casas na Itália “entram em promoção” e são vendidas por um euro.

Será bom demais para ser verdade? Isso é o que muitos questionaram depois de ver anúncios para o que poderia ser a maior oportunidade de investimento de suas vidas – casas em pequenas cidades italianas sendo vendidas por 1 euro cada. Ou seja, a possibilidade de ser dono de um imóvel na Europa por menos de R$6.

Mas… como essas residências chegaram a esse preço? E, mais importante, por quê?

A resposta começa com um contexto de “envelhecimento populacional” que vem envolvendo várias cidades rurais italianas. Enquanto grupos de cidadãos jovens migram cada vez mais para as metrópoles do país, em busca de novas oportunidades, essas cidades são “abandonadas” apenas com moradores mais velhos – que muitas vezes não tem com quem deixar seus imóveis depois que forem dessa pra melhor

Querendo, acima de tudo, que as casas fiquem ocupadas nos próximos anos, cerca de 25 municípios italianos de diferentes regiões (Abruzzo, Sicília, Apúlia, Sardenha, Campânia e Emília-Romanha, entre outras) se juntaram e chegaram num consenso. Renovar sua população, e de quebra alguns imóveis, vale mais para as cidades do que vender as casas pelo seu preço integral. 

E assim surge a ideia. Potenciais novos proprietários, com uma oferta irrecusável – uma casa pelo preço “simbólico” de 1€.  

Como nem tudo são flores, claro, esses investidores também precisam correr atrás do prejuízo. Além das burocracias e taxas que envolvem a compra de uma casa (que podem acrescentar cerca de 3.000€ ao valor final), a grande maioria das residências selecionadas para o “projeto” estão quase em ruinas, o que exige esforços de reforma e renovações para reparar danos superficiais e estruturais.  

Mas o que deveria ser encarado como um investimento a longo prazo, enganou muitos que acreditam estar comprando uma casa já pronta para morar, sem precisar investir mais do que seus suados 1€.  

Douglas Roque, brasileiro, foi um dos aventureiros que enfrentou toda a papelada e conseguiu adquirir uma residência na Itália por esse preço. Depois de fechar negócio, ele viu o potencial que esse segmento tinha e, inclusive, virou corretor de imóveis para ajudar outros com o mesmo desejo. Em entrevista ao G1, ele afirmou que o processo de compra “é muito burocrático e específico e nem todos são capazes de verificar essa documentação.”

É importante notar também que nem todas as casas acabam sendo vendidas por apenas 1€. Assim como em qualquer outro projeto que chama a atenção do público, a concorrência passa a ser um problema. Os imóveis mais populares tornaram-se alvo de uma guerra de licitações, e chegaram a receber lances de até 20.000€ – muito longe da proposta inicial de um euro.

Para aqueles que ainda acham distante o sonho de comprar um imóvel como forma de investimento, existe também a chance de aplicar em fundos e ter seu dinheiro no mercado imobiliário. Com uma distribuição regular de rendimentos mensais, investir em FIIs, tanto de tijolo quanto de papel, te permite viver com a renda do aluguel, mas sem se preocupar com taxas como IPTU, condomínio e dinheiro para reformas.

Mas, se investir em uma nova residência realmente for seu plano, não é só na Itália que existem boas oportunidades para compra de imóveis. A be.smart imóveis é a única imobiliária do país a fazer parte de uma holding financeira e pode te ajudar a encontrar a casa perfeita através de processos ágeis e tecnológicos – mesmo que ela custe um pouquinho mais do que 1€.

Marca Texto

O seu conteúdo não tão óbvio! Conteúdos multidisciplinares sobre mercado, economia e inovação. O universo dos investimentos conectado com o que é assunto nas mídias sociais e ciclos de relacionamento.