Você já ouviu falar em título de capitalização? É comum que gerentes de grandes bancos ofereçam esse tipo de aplicação para seus correntistas. No entanto, ele pode, de fato, ser considerado um investimento?

Neste artigo, você conhecerá detalhes desse produto para poupança, como contratá-lo, se vale a pena o fazer, assim como possíveis opções mais rentáveis. Confira tudo isso abaixo!

O que é um título de capitalização?

Um título de capitalização funciona como uma economia programada. A instituição financeira utilizará um valor da sua conta previamente definido para a aquisição desse produto. Assim, enquanto ele estiver em vigência, o cliente pode concorrer a sorteios de prêmios diversos enquanto seu capital rende juros. No término desse período, conforme o tipo do título contratado, o dinheiro pode ser devolvido de forma integral ou não.

Isso acontece, porque, a cada pagamento feito, há uma divisão do valor em três cotas. Saiba mais a seguir.

Cota da capitalização

A cota de capitalização é a quantia a ser devolvida ao cliente na data do término do contrato. Seu rendimento segue a Taxa Referencial (TR) e a taxa de juros acertada no acordo firmado para contratação do título.

Cota de carregamento

A cota de carregamento é o valor usado para o pagamento dos gastos administrativos e operacionais envolvidos na gestão do produto.

Cota de sorteio

A função da cota de sorteio é custear os prêmios sorteados. 

Logo, se um título de capitalização contar com o pagamento mensal de R$ 200 dividido em 75% de cota de capitalização, 15% para a de carregamento e 10% para a de sorteio, somente R$ 150 terá rendimento com base na taxa de juros. Outros R$ 30 serão usados para o pagamento dos gastos administrativos e operacionais e R$ 20 para o custeio dos prêmios.

Como funciona o título de capitalização?

Há diferentes tipos de títulos de capitalização disponibilizados pelos grandes bancos. Em geral, tais produtos podem ser adquiridos em três versões distintas:

  • pagamento único (PU): quando o pagamento é feito uma única vez;
  • pagamento mensal (PM): quando o pagamento do valor combinado é feito a cada mês por meio de um desconto em conta;
  • pagamento periódico (PP): o cliente é quem define a periodicidade do pagamento.

Rendimento

O rendimento do título de capitalização está atrelado à TR e a uma taxa de juros variável definida no contrato. Vale frisar que a sua rentabilidade incide somente numa parte do dinheiro pago, isto é, na cota de capitalização.

O que é a TR?

A TR é uma taxa de juros que serve como base para o cálculo de rendimentos, em especial, os de aplicações em renda fixa como a poupança. O responsável por calculá-la é o Banco Central (Bacen), que disponibiliza uma calculadora para a correção de valores pela TR.

Para se ter uma ideia, entre outubro de 2017 e dezembro de 2021, a TR estava zerada por conta da redução da taxa Selic. Entretanto, como em dezembro de 2021 a Selic começou a subir, a TR também se elevou no início de 2022.

O que é a taxa Selic?

A taxa Selic é a taxa básica de juros da nossa economia, por isso, é referência nas transações do mercado financeiro, como financiamentos, juros do cartão de crédito e investimentos.

Ela é definida, a cada 45 dias, pelo Comitê de Política Monetária (Copom). O Bacen a utiliza na administração da inflação, que é o aumento dos preços dos bens e serviços ou, em outras palavras, a desvalorização de uma moeda.

Assim, se a intenção for a desaceleração do consumo para impedir o crescimento da inflação, o Bacen aumenta a taxa Selic. Contudo, se ele quiser elevar o poder de compra dos brasileiros, ele baixa a Selic.

Sorteio

A depender do título de capitalização, os sorteios podem ocorrer mensalmente ou a cada seis meses. Também existem sorteios especiais. Quanto maior é o pagamento, maiores serão os prêmios a serem sorteados.

Para o cliente, o mais interessante é ser sorteado no prazo de duração do título de capitalização, a fim de garantir uma maior rentabilidade. Contudo, se isso não ocorrer, ela pode ser inferior a outros tipos de investimento, até mesmo em relação à poupança.

Resgate

O prazo de resgate do título de capitalização vai depender da sua modalidade, podendo incluir ou não um período de carência. Caso contrate um, a recomendação dos especialistas é estimar um prazo para que não haja risco de pedir seu resgate antecipado, a fim de não pagar multa.

O título de capitalização conta com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC)?

Não, o título de capitalização não tem a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Ele é considerado um seguro regulado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), que é ligada ao Ministério da Fazenda e também realiza o credenciamento de seguros e da previdência complementar.

Dessa forma, a garantia do título de capitalização está baseada na segurança que o banco é capaz de oferecer. Mas, em casos extremos, como uma eventual falência, o cliente pode perder todo o dinheiro aplicado.

O que é o FGC?

Criado em 1995, o FGC é uma associação privada e sem fins lucrativos fiscalizada pelo Bacen cujo objetivo é proteger investidores das instituições financeiras credenciadas a ela.

Dessa forma, caso essas empresas declarem falência, o fundo é capaz de garantir a restituição de até R$ 250 mil por CPF e instituição do valor investido em títulos de renda fixa como:

  • caderneta de poupança;
  • Certificado de Depósito Bancário (CDB);
  • Letra de Crédito Imobiliário (LCI);
  • Letra de Crédito do Agronegócio (LCA);
  • Letra de Câmbio (LC);

Como saber se um título de capitalização está registrado na Susep?

Para saber se um título de capitalização está devidamente registrado na Susep, siga o passo a passo abaixo:

  • acesse o site da Susep;
  • no menu, clique na opção “Serviços”, em seguida “Cidadão” e, por fim, “Consultar produtos”;
  • confira se o título de capitalização está devidamente registrado e liberado.

Saiba que, antes de ser comercializado, todo título de capitalização precisa ter seus critérios técnicos analisados e aprovados pela Susep.

Quais são os tipos de título de capitalização?

Os tipos de título de capitalização vão variar segundo a instituição financeira que faça a comercialização. Logo, eles terão características e regras distintas. Veja, abaixo, os quatro principais.

Tradicional

No tradicional, o cliente vai receber o valor total de seus aportes mais a taxa de juros no término da vigência do título de capitalização. Esse tipo é o mais escolhido pelas pessoas que querem respeitar o período contratado.

Popular

Nesse sistema, o cliente vai receber somente uma parcela do valor pago ao banco no término de vigência do título de capitalização. Antes disso, ele concorre a sorteios de prêmios, estando à mercê da sorte para obter rendimentos mais elevados.

Compra programada

Na compra programada, o cliente vai escolher como receberá o aporte realizado, podendo ser em dinheiro ou em produtos e serviços. Em seus sorteios, o ganhador levará o que valor definido e o saldo do que já tiver sido aplicado.

Incentivo

No incentivo, o cliente não vai receber o valor investido, porque seu objetivo é ganhar um dos prêmios a serem sorteados. Para participar, é necessário estar com o pagamento em dia.

Instrumento de garantia

Nesse modelo, o cliente pode utilizar o saldo do título de capitalização para garantir o cumprimento de obrigação assumida em outro contrato. Contudo, esse valor não pode ser usado para a compra de bem ou serviço.

Filantropia premiável

Na filantropia premiável, o cliente tem a possibilidade de ceder o direito de resgate do saldo do título de capitalização a entidades beneficentes que desenvolvam projetos de assistência social.

Qual é a vantagem de ter um título de capitalização?

A contratação de um título de capitalização pode ser vantajosa para quem não consegue organizar seu dinheiro e fazer investimentos mais rentáveis ou mesmo para aqueles que querem deixar de fazer jogos na loteria ou outros tipos de apostas. 

No primeiro caso, esse produto pode ser uma maneira de criar o hábito de economizar. Já no segundo, a pessoa pode reduzir seus gastos em jogos de azar, porque, enquanto seu dinheiro rende, ela concorre a prêmios por meio dos sorteios.

De qualquer forma, tenha em mente que os títulos de capitalização acabam atraindo clientes mais pelo fato de estarem ligados à sorte do que pelo seu rendimento.

Qual é a diferença entre capitalização e investimento?

A capitalização não é considerada um produto de investimento. As instituições a veem como uma aplicação de caráter lotérico. Afinal, da mesma forma que um jogo, vai depender da sorte do envolvido para ampliar seus rendimentos. Novamente, por conta da existência das cotas de carregamento e de sorteio, o cliente terá, desde o início, uma perda no valor aplicado

Assim, se a proposta de um investimento é multiplicar o dinheiro do investidor, o título de capitalização é está mais próximo de uma tentativa de poupá-lo.

Vale a pena ter um título de capitalização?

Veja, abaixo, os principais pontos de atenção antes de decidir se vale a pena ter um título de capitalização.

Pagamento de cotas de carregamento e de sorteio

O rendimento do título de capitalização só incidirá sobre a cota de capitalização. Assim, o cliente, obrigatoriamente, terá de pagar as cotas de carregamento e de sorteio, o que significa um prejuízo mensal sobre um valor que poderia gerar lucros em outras aplicações.

Rendimento menor do que o da caderneta de poupança

Para se ter uma ideia, na página de perguntas frequentes da Susep, a própria esclarece que o “o capital de resgate do título de capitalização será sempre inferior ao capital constituído por aplicações idênticas na caderneta de poupança“. Afinal, são realizados descontos por conta das cotas de carregamento e de sorteio.

Chances reduzidas de ser premiado

Geralmente, quanto maior é o número de títulos de capitalização emitidos, conhecido como série, menores são as chances do cliente ser sorteado. Além disso, se o prêmio for muito alto, saiba que você está pagando por isso na cota de sorteio. Consequentemente, menor também é o valor resgatado ao término do contrato.

Dificuldade de resgate quando necessário

Mesmo que você tenha necessidade de resgatar o valor aplicado no título de capitalização, será preciso cumprir o período de carência, caso haja, ou esperar o término do contrato.

Para completar, o pagamento mensal deve ser realizado na data previamente acordada. Isso vale mesmo quando o momento não é o mais adequado financeiramente para você fazer isso.

Esses critérios podem gerar dificuldades para os adeptos desses produtos e não existem em outras alternativas de alocação de recursos como Certificados de Depósito Bancário (CDBs) com liquidez diária.

O rendimento de um título de capitalização é igual ao da caderneta de poupança?

O rendimento de um título de capitalização não é igual ao da caderneta de poupança como muitos acreditam. É comum que o cliente receba, ao término do contrato do título de capitalização, o mesmo valor pago quando da sua contratação, quando não um montante menor.

O que é a caderneta de poupança?

Por ser um investimento de baixo risco, a poupança é uma das aplicações mais conhecidas e contratadas no Brasil. Contudo, isso também tem relação com um certo comportamento cultural dos brasileiros.

Na prática, a poupança possibilita que o cliente guarde seu dinheiro e, ao longo do tempo, recebe um rendimento sobre ele, mas a rentabilidade não é tão atrativa. Assim, é um investimento de renda fixa, porque suas regras são previamente conhecidas.

Como funciona o rendimento da poupança?

A partir de 2012, as especificações quanto ao rendimento da poupança passaram a ser as seguintes:

  • se a taxa Selic for igual ou menor do que 8,5% ao ano, a poupança renderá 70% da Selic + TR;
  • se a taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano, a poupança renderá 0,5% ao mês sobre o dinheiro guardado + TR.

No entanto, saiba que a poupança só rende a cada 30 dias depois da realização do depósito, isto é, somente no seu aniversário. Embora ela conte com a garantia do FGC, não é possível considerá-la a melhor estratégia para seus recursos.

Quais as vantagens e as desvantagens da poupança?

Recapitulando, as vantagens da poupança são:

  • ampla oferta desse tipo de investimento pelos bancos;
  • segurança por conta da garantia do FGC;
  • isenção de Imposto de Renda (IR).

Entretanto, dentre as suas desvantagens, podemos citar:

  • baixa rentabilidade;
  • menor rentabilidade quando a inflação está alta;
  • menor rentabilidade quando a taxa Selic está baixa;
  • baixa diversificação da carteira de investimentos.

O que rende mais do que a poupança ou título de capitalização?

Novamente, o título de capitalização pode ter um rendimento até mesmo inferior ao da poupança. Por isso, vale mais a pena optar por outros tipos de investimento disponíveis no mercado com maiores rentabilidades.

Os títulos bancários, por exemplo, são uma forma de investimento em renda fixa. Como o próprio nome diz, são títulos emitidos pelos bancos e funcionam de forma parecida com um empréstimo.

Quem empresta dinheiro para tais instituições recebe o valor aplicado acrescido de juros. Há três tipos de títulos bancários:

  • títulos bancários prefixados: a taxa de juros é conhecida no momento da aplicação;
  • títulos bancários pós-fixados: o rendimento vai depender de um índice de referência, como o Certificado de Depósito Interbancário (CDI) ou o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA);
  • títulos bancários híbridos: uma parte do montante aplicado segue a lógica do rendimento prefixado, enquanto a outra costuma acompanhar a variação do IPCA, como no modelo pós-fixado.

Quais são os principais títulos bancários?

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

Considerado de baixo risco, o Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um título privado cuja emissão é feita por uma instituição financeira. Nesse caso, o investidor empresta dinheiro para a própria, recebendo também o pagamento de juros acordado no momento da contratação do título.

Ele pode ser adquirido tanto por pessoas físicas quanto jurídicas e possui rendimento prefixado, pós-fixado ou híbrido. Além disso, conta com a proteção do FGC.

Letra de Crédito Imobiliário (LCI)

A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) é um título de renda fixa de uma instituição financeira com o objetivo de ser utilizado para o financiamento das atividades do mercado imobiliário. É um investimento considerado de baixo risco. Conta com a cobertura do FGC e também possui modelos diferentes de rentabilidade.

Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)

A Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) segue a lógica da LCI, mas é utilizada para o financiamento as atividades relacionadas ao agronegócio em vez do setor imobiliário. 

É um investimento considerado de baixo risco, com três modelos distintos de gerar rendimentos e ainda conta com a cobertura do FGC.

Letra de Câmbio (LC)

A Letra de Câmbio (LC) é um título emitido por instituições financeiras que pretendem disponibilizar serviços de empréstimo e financiamento. É um investimento classificado como de baixo risco, muito disso por ser mais um a contar com a cobertura do FGC.

Além dos títulos bancários, os títulos públicos também são investimentos mais rentáveis do que o título de capitalização.

Lançado em 2002, o Programa do Tesouro Direto é uma parceria do Tesouro Nacional com a bolsa de valores do Brasil, a B3. Assim, os títulos públicos são aplicações cuja emissão fica por conta do Governo Federal.

Funcionando como empréstimos de dinheiro ao governo, são rentabilizados de três formas:

  • títulos públicos prefixados: a remuneração é conhecida quando é efetuada contratação da aplicação;
  • títulos públicos pós-fixados: a remuneração não é conhecida quando há a contratação da aplicação, porque ela está atrelada a um indexador como (taxa Selic ou IPCA);
  • títulos públicos híbridos: uma parte da remuneração é conhecida quando ocorre a contratação da aplicação, enquanto outra está atrelada a um indexador.

Qual título público vale a pena para começar a investir?

Com frequência, o Tesouro Selic é a entrada de quem quer começar no mundo dos investimentos. Trata-se de um investimento de renda fixa pós-fixado, porque acompanha o desempenho da taxa Selic. Além disso, como ele conta com a garantia do Tesouro Nacional, apresenta um baixo risco.

Por fim, caso precise de ajuda para saber como investir seu patrimônio, entre em contato InvestSmart, assessoria de investimentos parceira da XP. 

Ela pode auxiliá-lo na identificação e avaliação dos seus objetivos e perfil de risco como investidor, assim como na administração mais eficiente do seu patrimônio. Esse apoio também é responsável por fornecer as melhores informações para que as decisões de investimento sejam tomadas com embasamento.

Criada em 2013, a InvestSmart já atingiu a marca de 15 bilhões sob custódia e mais de 60 escritórios por todo o país.

O conteúdo foi útil para você? Aproveite para saber o que são e como lucrar com proventos!

Resumindo

Quando posso resgatar título de capitalização?

A data do resgate do título de capitalização vai depender do prazo estipulado previamente em contrato. Vale lembrar que essa e outras informações como prazo de pagamento e rendimento devem ser informadas antes da assinatura do vínculo. Na maioria dos casos, o resgate antecipado dos recursos alocados nessa modalidade só é possível por meio de pagamento de multa.

Como saber se eu ganhei no título de capitalização?

A instituição financeira na qual você fez a contratação do título de capitalização é responsável por entrar em contato nessas situações. De qualquer forma, também é possível acessar o seu site e fazer essa checagem por conta própria.

Como funciona o título de capitalização?

Há diferentes tipos de títulos de capitalização disponibilizados pelos bancos. Em geral, eles podem ser pagos de três formas:

  • pagamento único (o pagamento é feito uma única vez);
  • pagamento mensal (o pagamento do valor combinado é feito a cada mês por meio de um desconto em sua conta);
  • pagamento periódico (o cliente é quem define a periodicidade do pagamento).

Tenha em mente que, nesse pagamento, além do valor combinado previamente, estão inclusas as despesas administrativas.

Já seu rendimento costuma estar atrelado à Taxa Referencial (TR) e a uma taxa de juros variável. Por fim, o seu prazo de resgate vai depender da sua modalidade, podendo incluir ou não um período de carência.

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.