O rendimento dos fundos de investimento é um dos principais indicadores para quem busca aumentar o patrimônio e alcançar seus objetivos financeiros. Afinal, quem investe deseja saber quanto pode esperar receber ao longo do tempo, como seus recursos serão aplicados e quais fatores influenciam os resultados.

Você sabia que existem 19,1 milhões investidores brasileiros em 2023, segundo a B3? Esse aumento representa 8% em comparação com o período anterior. Na renda fixa, 17,1 milhões de investidores registraram alta de 12%, enquanto a renda variável, apesar da queda de 3,1%, ainda conta com 5 milhões de investidores.

A seguir, o Melhor Investimento explicará o que é rendimento, como ele se apresenta em diferentes tipos de fundos de investimento, como analisar o desempenho e muito mais. Confira!

O que é o rendimento de um fundo de investimento?

O rendimento de um fundo de investimento é o lucro gerado pelo fundo através dos investimentos feitos com o dinheiro dos cotistas. Em outras palavras, o dinheiro investido em fundos de investimento gera lucro, conhecido como rendimento.

Esse lucro pode vir de diferentes fontes, como juros de renda fixa, dividendos de ações, ou ganhos com compra e venda de ativos.

Antes de investir, é importante ter em mente que o rendimento de um investimento não é garantido. Ele depende do tipo de fundo renda fixa costuma ter menos risco , da habilidade do gestor e do clima do mercado financeiro. Ou seja, resultados passados não garantem o futuro.

Para investir de forma consciente, a dica é ler o documento oficial do fundo prospecto e entender os riscos envolvidos. Busque por informações em sites como o da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA) ou da instituição financeira onde pretende investir.

Quais fatores influenciam o rendimento de um fundo de investimento?

O rendimento dos fundos de investimentos depende de alguns fatores, como a composição, valor da cota, rentabilidade, dividendos e taxas.

Cada fundo reúne diversos tipos de investimento, como ações, renda fixa e moedas. A proporção desses ativos varia de acordo com o objetivo do fundo, que pode ser tanto superar índices benchmark, como CDI, Índice de Debêntures ANBIMA (IDA) e Ibovespa, assim como crescimento, renda, entre outros.

O valor da cota pelo qual você adquire uma parte do fundo flutua diariamente. Ele acompanha o desempenho dos ativos que compõem a carteira do fundo. Outro fator importante é a rentabilidade, que é o ganho ou perda que você obtém com o fundo ao longo do tempo, medido pela variação do valor da cota.

Alguns fundos distribuem dividendos periodicamente, que é uma parte dos lucros repassada aos investidores, e cobram taxas para cobrir custos administrativos e a performance do gestor. Essas taxas são deduzidas da rentabilidade do fundo.

Outros fatores que influenciam no rendimento incluem a estratégia de investimento, a qualidade da gestão, os custos, o risco, a concentração, o histórico, as condições de mercado, o ciclo econômico e eventos externos.

Como funciona o rendimento de um fundo de investimento? 

Investir em fundos de investimento pode parecer simples: você coloca seu dinheiro e ele rende. Mas a realidade é um pouco mais complexa. Diferentemente da poupança, com retorno previsível, fundos não garantem um rendimento fixo.

Isso porque o valor investido está sujeito a variações do mercado. ETFs, BDRs e ações, por exemplo, são mais propensos a essas oscilações. Mesmo os fundos de renda fixa, considerados mais estáveis, são influenciados por indicadores como CDI e Selic, que mudam ao longo do tempo. 

Alguns investimentos de renda fixa, como debêntures, emitidas por empresas, também sofrem impacto na saúde financeira delas.

Apesar da incerteza, os fundos oferecem a vantagem da diversificação. Você minimiza riscos ao distribuir seu dinheiro em diferentes fundos e ativos. O ideal é ter uma visão de longo prazo, já que os resultados tendem a se tornar mais positivos com o passar do tempo.

Como funciona o rendimento nos principais tipos de fundos de investimento?

O rendimento de um fundo de investimento depende da sua estratégia e dos ativos em que ele investe. Cada tipo de fundo possui características e riscos próprios, que impactam na sua rentabilidade.

Rendimento de fundo de renda fixa

Os fundos de renda fixa são compostos por títulos de renda fixa, como Tesouro Direto, CDBs, LCIs e Tesouro Direto. A rentabilidade desses fundos está atrelada à taxa de juros, ou seja, quanto maior a taxa, maior o potencial de retorno. O CDI é o principal indicador de referência para a rentabilidade dos fundos de renda fixa e, atualmente, está em 11,25% ao ano.

O valor dos títulos pode flutuar de acordo com as condições do mercado, especialmente em fundos que investem em empresas.

Os fundos podem ter ganhos prefixados, pós-fixados ou híbridos. Com o prefixado, você sabe o quanto vai ganhar desde o início, enquanto a rentabilidade do pós-fixado acompanha uma taxa de referência, como o CDI, e pode variar ao longo do tempo. Já a híbrida combina a segurança da rentabilidade fixa com a proteção da inflação.

Rendimento de fundo de renda variável

Os fundos de renda variável investem principalmente em ações, que são pequenos pedaços de empresas. O rendimento desses fundos está diretamente relacionado ao desempenho das ações na bolsa de valores. O valor das ações oscila de forma constante, de acordo com o desempenho das empresas e as expectativas do mercado.

Por isso, esse tipo de fundo oferece um potencial de retorno maior do que a renda fixa, mas também apresenta um risco maior. É importante ter um perfil de investidor mais tolerante ao risco para investir nesse tipo de fundo.

Descubra o seu perfil de investidor com o nosso questionário.

Rendimento de fundo imobiliário (FII)

Os fundos imobiliários (FIIs) investem em imóveis, como shopping centers, galpões logísticos e edifícios de escritórios. O rendimento dos FIIs vem dos dividendos dos imóveis do fundo e da valorização das cotas. 

O desempenho dos FIIs depende do tipo de imóvel, da localização, da qualidade dos inquilinos e da gestão do fundo. Eles são uma boa opção para quem busca renda passiva e diversificação de investimentos.

Rendimento de fundo de ações

Os fundos de ações investem em ações de empresas negociadas na bolsa de valores. O rendimento desse tipo de fundo está diretamente relacionado com a valorização das ações que compõem a carteira. Por isso, ele oferece alto potencial de retorno, mas também apresenta alto risco. 

A diversificação da carteira é importante para minimizar os riscos associados, e o gestor do fundo deve ser especialista na seleção de ações com bom potencial de crescimento.

Rendimento de fundo cambial

Ja os fundos cambiais investem em moedas estrangeiras, e o rendimento desses fundos está atrelado à variação cambial da moeda em que ele investe. É uma opção para quem quer se proteger contra a desvalorização do real, e pode ter rentabilidade positiva ou negativa. O investidor deve estar atento ao risco cambial e às oscilações do mercado de câmbio.

Rendimento de fundos de crédito privado

Os fundos de crédito privado investem em títulos de renda fixa privada, como CRAs e CDBs. O rendimento desses títulos está atrelado à taxa de juros e à qualidade dos créditos investidos. Eles podem oferecer retornos superiores à renda fixa tradicional, mas é importante considerar o risco de crédito associado, já que esses títulos não são garantidos pelo governo.

Como analisar o rendimento de uma aplicação?

Para analisar o desempenho do seu investimento, é importante compará-lo com a inflação.

O primeiro passo é escolher um índice inflacionário como referência, como o IPCA. Depois, calcule o quanto você ganhou em relação ao valor inicial do investimento (rendimento nominal). Se o rendimento for maior do que a inflação, significa que seu dinheiro rendeu acima do aumento do custo de vida e você teve ganho real.

Além de comparar com a inflação, esse método permite avaliar o crescimento do seu patrimônio considerando a manutenção do poder de compra, o que é importante para saber se o seu investimento está te ajudando a alcançar seus objetivos financeiros.

Para acompanhar o desempenho dos seus investimentos e tomar boas decisões, lembre-se de comparar o rendimento com outras opções e buscar ajuda de um assessor de investimento para escolher as melhores aplicações para seus objetivos.

Qual é a diferença entre rendimento, rentabilidade e lucratividade?

Rendimento, rentabilidade e lucratividade são termos financeiros que, apesar de parecidos, têm significados diferentes. Para avaliar o desempenho de um investimento, é importante entender as diferenças.

O rendimento representa o valor absoluto que você ganhou ou perdeu com o investimento, ou seja, é o retorno financeiro direto obtido.

Já a rentabilidade é a taxa percentual de mudança em relação ao dinheiro inicial investido. É uma medida da eficiência do investimento, mostrando o quanto ele conseguiu gerar lucro em relação ao valor aplicado. Para calculá-la, basta dividir o lucro líquido pelo capital inicial e multiplicar por 100.

Por último, a lucratividade foca na capacidade da empresa de gerar lucro a partir de suas vendas. Ela leva em conta o lucro líquido dividido pela receita bruta (total de vendas).

Apesar de este conteúdo oferecer dicas sobre rendimento nos fundos de investimento, saiba que não se trata de uma recomendação personalizada. Por isso, a sugestão é procurar um assessor de investimento experiente antes de tomar qualquer decisão. Esse profissional pode te indicar as melhores opções de investimento tendo como base o seu perfil de investidor, tolerância à risco e objetivos.

Carolina Gandra

Redatora do Melhor Investimento. Formada em Jornalismo, com 2 anos de experiência em redação de textos para diferentes nichos de mercado.