Você conhece o funcionamento e o significado da medida Preço sobre o Lucro (P/L)? Pois saiba que compreender os diversos índices e métricas é imprescindível para o sucesso de investidores e gestores do mercado financeiro. O P/L é uma destas ferramentas chave para o investidor avaliar a relação entre o preço de uma ação e seu lucro por ação.

Neste artigo, exploraremos o que é Preço/lucro (P/L), entendendo porquê ele se destaca como dos principais indicadores financeiros utilizados no mercado.

Exploraremos de maneira simplificada como calculá-lo, sua interpretação na prática, algumas limitações e variações, além de diferenciá-lo do conceito de PL (Participação nos Lucros).

Este é mais um dos artigos do portal Melhor Investimento sobre educação financeira e mercado de investimentos. Amplie seu conhecimento acessando a nossa seção de artigos.

O que é P/L?

O P/L (Preço/lucro) ou P/E (da sigla em inglês Price/Earnings) é um dos múltiplos fundamentalistas mais importantes e utilizados por Analistas e investidores no mercado de ações, BDRs e Fundos Imobiliários (FIIs), principalmente.

Ele representa a relação entre o preço de mercado atual de uma ação e o lucro por ação (LPA) da empresa emissora. De maneira simplificada, o P/L indica quantos anos seriam necessários para recuperar o investimento inicial, considerando apenas os lucros atuais da empresa.

É uma medida onde o “preço” refere-se ao preço da ação e o “lucro” é o lucro líquido por ação.

Por via de regra, ele serve para indicar por quantas vezes o lucro dividido por todas as ações que uma empresa tem listada está sendo negociado no mercado. Dessa maneira, ele é um indicador importante para avaliar a atratividade de uma empresa como investimento e retorno aos acionistas, uma vez que pode indicar se a ação está sobrevalorizada ou subvalorizada em relação ao seu lucro.

O que P/L significa?

Em síntese, a sigla P/L, ou Preço/Lucro, descreve a relação entre o preço de mercado de uma ação (o “preço”) e o lucro líquido por ação (o “lucro”). É um dos índices mais básicos e amplamente utilizados pelos investidores para avaliar o valor de uma empresa em relação aos seus ganhos.

Como calcular o P/L

O cálculo do índice Preço/Lucro (P/L) é mais simples do que parece, exigindo apenas duas informações básicas: a cotação atual do ativo e o lucro por ação (LPA). Para realizar esse cálculo, basta dividir o preço de mercado da ação pelo lucro líquido por ação. A fórmula é expressa como:

É importante ressaltar que o Lucro por Ação (LPA) é obtido dividindo o lucro líquido da companhia em um determinado período pelo número total de ações emitidas.

Para ilustrar esse conceito, suponhamos uma companhia com 10 milhões de ações emitidas, negociadas no mercado a R$ 50 cada. Se essa empresa registra um lucro de R$ 100 milhões, o LPA será de R$ 10 (R$ 100 milhões divididos pela quantidade total de ações). Com esse valor de LPA, podemos calcular o P/L. A divisão resulta em 

50/10 = 5. Portanto, o índice P/L da companhia é de 5.

Quando se interpreta um P/L de 5x, isso significa que o preço pago por uma ação será recuperado em cinco anos, considerando o lucro por ação atual.

Como funciona na prática o lucro das ações

No dia a dia, o P/L de uma ação serve como uma medida direta de quanto se paga pela empresa em relação aos seus lucros. Quanto maior o P/L, mais caro é o preço da empresa, enquanto um P/L mais baixo indica que a empresa está sendo negociada com um valor baixo em relação ao seu preço.

No entanto, é preciso lembrar que essas avaliações baseadas no P/L são projeções, e que o seu movimento precisa de margem de segurança que nunca deve ser subestimada.

Em resumo, ao analisar o P/L de uma ação, é natural buscar oportunidades em empresas com P/L baixo, cujas avaliações estejam abaixo do esperado, oferecendo uma margem de segurança maior para o investimento.

Um ponto fundamental a se considerar é a importância de olhar o P/L em conjunto com outros indicadores, como a situação macroeconômica, receita e lucro da empresa, histórico de dividendos, entre outros.

Além disso, é interessante observarmos os mercados de ações em países mais desenvolvidos, como os Estados Unidos, por lá, é fácil notar que as ações nesses mercados tendem a ter índices de P/L mais altos em comparação com os mercados em desenvolvimento. Essa disparidade pode ser atribuída à volatilidade política e econômica observada em países menos desenvolvidos.

Interpretando o Preço/Lucro

Não há uma regra definitiva de que um P/L maior ou menor é sempre melhor. Geralmente, um P/L mais baixo pode indicar que a ação está subvalorizada, enquanto um P/L mais alto pode sugerir uma sobrevalorização. 

No entanto, visto que o mercado financeiro é extremamente dinâmico, é necessário considerar outros fatores, como o potencial de crescimento da empresa, a saúde financeira e as condições do mercado ao interpretar o P/L.

A interpretação do P/L de uma empresa pode variar dependendo do contexto e da estratégia de investimento de cada indivíduo. Alguns cuidados e características importantes na análise do P/L incluem:

  • Dependência do setor: O P/L pode diferir entre setores, com alguns naturalmente apresentando valores mais altos ou mais baixos.
  • Consideração do histórico e da concorrência: Comparar o P/L atual com o histórico da empresa, do setor e com os concorrentes é crucial.
  • Avaliação do modelo de negócios: O P/L pode permanecer alto ou baixo dependendo do modelo de negócios da empresa.
  • Análise da recorrência dos lucros: Lucros não recorrentes podem distorcer o P/L temporariamente, sendo importante examinar a consistência histórica dos resultados.
  • Observação do comportamento de manada: Grandes movimentos de compra ou venda e oscilações de curto prazo podem afetar o P/L.
  • Avaliação do potencial de crescimento: Fatores como inovação, perspectivas de mercado e estratégias de expansão devem ser considerados.
  • Análise da solidez da empresa: Aspectos como endividamento, geração de caixa e estrutura de capital são relevantes.
  • Consideração das perspectivas econômicas e políticas do país: Em mercados mais sólidos, as métricas de P/L podem ser mais elevadas do que em países em desenvolvimento.

Quanto maior o P/L melhor?

Não necessariamente. Um P/L mais alto pode indicar que os investidores têm expectativas otimistas em relação ao crescimento futuro dos lucros da empresa. Entretanto, também pode significar que a ação está sobrevalorizada em relação aos lucros atuais. 

O que significa P/L em ações

Falando especificamente do mercado de ações, o P/L é uma métrica muito útil para avaliar a atratividade de um investimento, já que ele fornece a medida da relação entre o preço que os investidores estão dispostos a pagar por uma ação e os lucros que a empresa está gerando. Um P/L alto pode indicar que os investidores têm expectativas de crescimento futuro, enquanto um P/L baixo pode sugerir uma possível subvalorização da ação.

Quais as limitações do P/L?

O indicador preço/lucro (P/L) é amplamente reconhecido por sua relevância, no entanto, é fundamental entender que uma abordagem puramente fundamentada na leitura desse múltiplo de mercado é inadequada. Embora seja uma ferramenta útil, o P/L possui algumas limitações que precisam ser consideradas.

Uma dessas limitações é que o P/L não leva em consideração o potencial de crescimento futuro da empresa, nem considera fatores macroeconômicos que podem afetar seu desempenho. Ademais, é importante destacar que o P/L pode variar significativamente entre diferentes setores e empresas, dificultando a comparação direta.

Um equívoco frequente na análise do P/L é a simples constatação de que o indicador está baixo, sem uma investigação aprofundada dos motivos por trás dessa condição. Fatores não recorrentes ou fases positivas do ciclo de mercado podem distorcer favoravelmente o P/L, afetando de forma desigual as empresas.

Outro aspecto a considerar são as disparidades nos padrões contábeis adotados por empresas de setores diversos, o que pode distorcer a métrica e dificultar comparações diretas. Afinal, o mercado de ações abrange uma ampla gama de empresas com características distintas.

Portanto, embora o indicador preço/lucro seja valioso, é essencial que o investidor realize uma análise criteriosa e completa do caso em questão, a fim de embasar suas decisões de investimento em uma compreensão mais ampla e informada.

O que pode ser considerado um P/L equilibrado?

Com base nas definições de P/L baixo e alto, podemos entender um P/L equilibrado como um ponto intermediário entre os extremos.

Um P/L equilibrado geralmente indica que o preço da ação está alinhado com os lucros gerados pela empresa, refletindo uma relação saudável entre o valor percebido pelo mercado e a capacidade da empresa de gerar lucros. Nesse contexto, os investidores podem interpretar um P/L equilibrado como um sinal de estabilidade e confiança no desempenho futuro da empresa.

De maneira geral, enquanto um P/L baixo pode indicar subvalorização ou falta de confiança, um P/L alto pode sugerir otimismo exagerado ou sobrevalorização. Um P/L equilibrado, por sua vez, reflete uma avaliação justa e estável da empresa pelo mercado.

Variações do P/L

P/L Ajustado

O P/L ajustado vai além da simples relação entre preço e lucro, levando em conta fatores como a estrutura de dívida da empresa e suas perspectivas de crescimento futuro. Esta variação oferece uma visão mais abrangente da saúde financeira de uma empresa, fornecendo insights sobre sua verdadeira atratividade em termos de preço.

P/L de 5 anos

Ao calcular a média dos lucros dos últimos cinco anos, o P/L de 5 anos oferece uma visão de longo prazo da empresa. Esta abordagem ajuda os investidores a avaliar a consistência dos lucros ao longo do tempo e a identificar tendências de crescimento ou declínio, fornecendo uma base sólida para decisões de investimento informadas.

P/L relativo

O P/L relativo compara o P/L de uma empresa com o de outras empresas do mesmo setor. Essa comparação permite aos investidores avaliar se uma empresa está sendo negociada a um preço mais alto ou mais baixo em relação às suas concorrentes diretas. Identificar discrepâncias significativas pode revelar oportunidades de investimento, pois uma empresa com um P/L mais baixo do que a média do setor pode estar subvalorizada em relação às suas pares.

Quais as diferenças entre P/L e PL (participação nos lucros)?

Apesar de parecerem semelhantes, os termos P/L (Preço/Lucro) e PL (Participação nos Lucros) são conceitos totalmente diferentes no contexto financeiro e corporativo. Entenda as principais características de cada um:

P/L (Preço/Lucro):

  • O P/L é uma métrica usada para avaliar a atratividade de uma ação para investimento. Ele é calculado dividindo o preço atual da ação pelo lucro por ação (LPA).
  • O P/L indica quantos anos levaria para recuperar o investimento inicial com os lucros gerados pela empresa, supondo que esses lucros permaneçam constantes.
  • Um P/L mais baixo pode indicar que uma ação está subvalorizada em relação aos seus lucros, enquanto um P/L mais alto pode indicar que uma ação está sobrevalorizada.

PL (Participação nos Lucros):

  • A PL, ou Participação nos Lucros, é um benefício concedido aos funcionários de uma empresa como uma forma de compartilhar os lucros obtidos pela empresa.
  • Em geral, a PL é determinada como uma porcentagem do lucro líquido da empresa, e é distribuída entre os funcionários de acordo com critérios estabelecidos pela empresa.
  • A PL é uma forma de incentivo para os funcionários, pois os motiva a trabalhar para o sucesso da empresa, já que seu próprio ganho está vinculado ao desempenho financeiro da empresa.

Resumo

O Preço/Lucro (P/L) é uma ferramenta essencial na análise de qualquer investidor, fornecendo uma medida fundamental da relação entre o preço de mercado de uma ação e os lucros por ação da empresa. Este índice, ao indicar quantos anos seriam necessários para recuperar o investimento inicial com base nos lucros atuais, oferece uma visão direta da atratividade de um investimento.

No entanto, é importante reconhecer que o P/L não é uma métrica isolada e deve ser interpretado dentro de um contexto mais amplo. Uma análise completa envolve considerações macroeconômicas, histórico da empresa, concorrência e perspectivas de crescimento futuro. A combinação desses elementos fornece uma visão mais abrangente da saúde financeira e do potencial de valorização da empresa.

Além disso, as variações do P/L, como o P/L ajustado, P/L de 5 anos e P/L relativo, enriquecem ainda mais a análise, permitindo uma compreensão mais profunda da empresa e do seu desempenho ao longo do tempo, bem como comparando-a com seus pares do setor.

Por fim, lembramos que embora o P/L seja uma métrica valiosa, ele não deve ser considerado isoladamente. O sucesso de um investimento depende da capacidade do investidor de integrar o P/L com outras informações e fatores relevantes, formando assim uma estratégia de investimento sólida e informada.

Pedro Gomes

Jornalista e Redator do Melhor Investimento.