No dia a dia, é comum fazermos uma TED ou um DOC. Mas, em termos de educação financeira, é importante conhecer qual é a diferença entre TED e DOC. Embora ambos sejam tipos de transferência bancária, cada um possui suas características.

Neste artigo, entenda a diferença entre TED e DOC. Continue a leitura!

O que significa fazer uma TED ou um DOC?

Na prática, fazer uma TED ou um DOC significa realizar uma transferência bancária de dinheiro entre pessoas e/ou instituições.

O que é um TED?

A Transferência Eletrônica Disponível (TED) ocorre entre instituições financeiras ou de pagamentos que possuem conta no Banco Central (BC).

Ela é utilizada para envio de valores entre correntistas de diferentes instituições (pessoas físicas e jurídicas) e entre as próprias instituições envolvendo pagamento de obrigações ou não.

Se for realizada até as 17h de um dia útil, a TED é creditada até o final do dia. No entanto, após esse horário, ela será agendada para o dia útil seguinte.

Não há limite de valor para essa transação e pode ser cobrada tarifa do remetente.

O que é um DOC?

O Documento de Ordem de Crédito (DOC) também é uma transação bancária entre instituições financeiras, mas sua quantia está limitada a R$ 4.999,99.

Apesar de o valor ser debitado na conta do pagador no dia da operação, o crédito na conta do beneficiário ocorre somente no dia útil seguinte. Assim como na TED, pode ser cobrada tarifa do remetente.

Qual é o mais barato: TED ou DOC?

O valor da tarifa cobrada para fazer uma TED ou um DOC vai depender da instituição financeira do remetente da quantia.

Geralmente, TEDs e DOCs realizados pela internet ou no caixa eletrônico são mais baratos do que aqueles feitos no caixa de uma agência física.

Qual é a diferença entre TED e DOC?

As diferenças entre TED e DOC têm a ver com o limite de transferência e o tempo necessário para que o dinheiro seja creditado na conta do beneficiário.

Novamente, enquanto o valor de um DOC está limitado a R$ 4.999,99, a TED não tem restrições. Além disso, o crédito na conta do beneficiário de um DOC somente ocorre no dia útil seguinte à operação.

Qual é a melhor opção: TED ou DOC?

A melhor opção vai depender das necessidades de transferência bancária do remetente. Por exemplo, qual é o valor da transação e qual é a tarifa cobrada pela instituição financeira?

Além disso, tenha em mente que o DOC vai acabar em 15 de janeiro de 2024 tanto para pessoas físicas quanto jurídicas. Isso porque, com o lançamento do PIX em 2020, ele passou a ser cada vez menos usado pelos brasileiros.

Segundo levantamento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), as operações via DOC representaram apenas 3,7% do total de transações no país em 2022. Isso equivale a 59 milhões de transações. Como comparação, houve 1,01 bilhão de transações via TED no mesmo período.

Nos últimos anos, o PIX vem se consolidando como a forma de transferência bancária mais usada pelos brasileiros. No ano passado, foram mais de 24 bilhões de operações via PIX, superando as de cartão de débito, boleto, TED, DOC e cheque. Juntas, elas totalizaram 20,9 bilhões.

O conteúdo foi útil para você? Então, aproveite e leia também tudo o que você precisa saber sobre o PIX, o sistema de pagamentos instantâneos!

Resumindo

O que é mais barato: TED ou DOC?

Não há uma resposta pronta, porque o valor da tarifa cobrada para uma TED ou um DOC dependerá da instituição financeira do remetente da quantia. Em geral, as transferências bancárias feitas pela internet ou no caixa eletrônico são mais baratas do que as realizadas no caixa da agência física.

Quanto tempo a TED cai na conta?

Se for realizada até as 17h de um dia útil, a Transferência Eletrônica Disponível (TED) é creditada na conta do beneficiário até o final do dia. No entanto, após esse horário, ela será agendada para o dia útil seguinte.

Vale destacar que não há limite de valor para essa transação, mas a instituição financeira do remetente pode cobrar uma tarifa por essa operação.

Equipe MI

Equipe de redatores do portal Melhor Investimento.