Buy and hold é uma das estratégias de investimento mais populares e eficazes para o longo prazo. Ela consiste em comprar ações de empresas sólidas e com bons fundamentos e mantê-las na carteira por um período extenso, ignorando as flutuações de curto prazo do mercado.

Essa estratégia é utilizada por alguns dos maiores investidores do mundo, como Warren Buffett, Charlie Munger e os brasileiros Luiz Barsi Filho e Lírio Parisotto. Buffett, por exemplo, construiu sua fortuna investindo a longo prazo em empresas como Coca-Cola, American Express e Wells Fargo.

O buy and hold se baseia na ideia de que, no longo prazo, o mercado de ações tende a subir. As empresas sólidas e bem geridas geralmente aumentam seus lucros ao longo do tempo, o que leva à valorização de suas ações.

Para você dominar o assunto, o Melhor Investimento preparou um guia sobre buy and hold. Continue lendo para saber mais sobre a estratégia, como ela funciona, seus principais fundamentos e como você pode aplicá-la em seus investimentos!

O que é buy and hold?

O buy and hold, que significa “comprar e segurar” em inglês, é uma estratégia de investimento de longo prazo que se baseia na compra de ativos de qualidade e na sua manutenção na carteira por um período extenso, independentemente das flutuações de curto prazo do mercado. O “holder” é o nome dado ao investidor que usa essa estratégia. 

Com o buy and hold, você busca o crescimento do seu dinheiro por meio da valorização das cotações, que é o aumento do valor das ações ao longo do tempo, e pelo recebimento de proventos, que são dividendos e outros rendimentos pagos pelas empresas. 

Outra característica é a compra de ações de empresas sólidas e com bons fundamentos. A seleção de ativos é feita através da análise fundamentalista, que busca identificar empresas com boas perspectivas de crescimento futuro. 

Por que Buy and Hold e Warren Buffett estão conectados?

O mentor de Warren Buffett, Benjamin Graham, foi um dos pioneiros na estratégia de investimento buy and hold, que foi detalhada por Graham em seu famoso livro “O Investidor Inteligente“.

Buffett, que trabalhou com Graham na década de 50, teve a oportunidade de aprender a estratégia na prática. Antes disso, ele já havia estudado o mercado de capitais com Graham e David Dodd em um curso ministrado por eles.

A estratégia original de Graham e Dodd consistia em comprar grandes quantidades de ações de empresas que estavam subvalorizadas no mercado. Essas ações eram então mantidas em carteira até que atingissem o valor que os investidores consideravam justo para a empresa.

Vale destacar que essa estratégia, em sua forma original, incluía até mesmo a compra de ações de empresas em recuperação judicial, com produtos obsoletos ou com problemas de governança.

Buffett conheceu Charlie Munger no final da década de Juntos, aperfeiçoaram a estratégia de “buy and hold”, focando na compra de ações de empresas de alta qualidade a preços abaixo do seu valor real.

Mesmo que o objetivo continuasse o mesmo da estratégia original de Graham, a nova abordagem reduziu os riscos envolvidos. Isso resultou em resultados ainda mais consistentes e duradouros, como demonstrado pelo crescimento contínuo da Berkshire Hathaway, empresa liderada por Buffett.

Como funciona a estratégia buy and hold?

A estratégia começa com a definição de critérios, considerando seu perfil de risco, objetivos financeiros e horizonte de tempo. Após isso, com base na estratégia, é o momento de escolher os ativos para compor sua carteira, priorizando a diversificação para reduzir o risco.

Depois, é o momento de acompanhar o desempenho dos seus investimentos e fazer ajustes quando necessário. Isso pode incluir verificar se os fundamentos que te levaram a investir ainda se sustentam, reequilibrar a carteira para manter o nível de risco desejado e reinvestir seus dividendos para potencializar o crescimento.

Vale lembrar que o tempo é seu aliado. O holder se beneficia do poder do tempo e dos juros compostos e não tem pressa para vender. A ideia é reinvestir seus retornos e se beneficiar do crescimento das empresas ao longo do tempo.

Quais são os fundamentos do buy and hold?

O holder define alguns pilares fundamentais na escolha de seus investimentos. Conheça os principais fundamentos:

  • 1. Emoções à parte: o medo e a euforia, comuns no mercado, não ditam as decisões do holder. Ele se baseia em dados concretos e análises sólidas, evitando o “efeito manada” e tomando decisões racionais.
  • 2. Empresas sólidas: a busca é por empresas com bons fundamentos, histórico positivo e perspectivas promissoras. Ações de empresas com histórico de prejuízos ou má governança são evitadas.
  • 3. Foco no horizonte: o holder não se deixa levar pelas oscilações do mercado no curto prazo. Sua visão está focada no crescimento gradual e consistente ao longo do tempo.
  • 4. Diversificação como escudo: uma carteira diversificada com diferentes classes de ativos e setores da economia é a principal segurança contra o risco. Essa estratégia ajuda a minimizar perdas e maximizar retornos.
  • 5. Tendências, nem pensar: o holder não se baseia em “o que está na moda” para escolher seus investimentos. A análise criteriosa e os fundamentos sólidos são os guias que norteiam suas decisões.
  • 6. Investimento a longo prazo: o foco está em se tornar sócio de empresas sólidas, sem realizar operações frequentes.
  • 7. Reinvestimento estratégico: dividendos recebidos são reinvestidos para expandir a carteira e potencializar os juros compostos, acelerando o crescimento dos investimentos.

Com quais ativos é possível aplicar o buy and hold?

É possível usar o buy and hold em uma variedade de aplicações. Confira com mais detalhes as oportunidades que se abrem em cada categoria:

Fundos imobiliários (FIIs)

A diversificação é importante para construir uma renda passiva sólida com FIIs. Vale investir em fundos de investimento imobiliário de diferentes segmentos, como renda, logística, shopping centers e agências bancárias, e priorizar fundos com baixa vacância, boa gestão, histórico consistente de distribuição de dividendos e imóveis de alta qualidade.

Assim como nas ações, analise se vale a pena reinvestir os dividendos recebidos para aumentar sua participação nos FIIs e impulsionar seus rendimentos a longo prazo.

Ações

Para ter sucesso na estratégia buy and hold com ações, é fundamental priorizar empresas com um histórico positivo de crescimento, boa gestão e perspectivas promissoras para o futuro. É importante aprofundar-se na análise fundamental, investigando indicadores como lucratividade, endividamento e governança corporativa.

Ao investir, adote a mentalidade de sócio, buscando o sucesso a longo prazo das empresas que compõem sua carteira. Para potencializar seus retornos, reinvista os dividendos recebidos, aumentando sua participação acionária.

ETFs

Investir em ETFs que acompanham índices como Ibovespa, S&P 500 e Nasdaq é uma forma de se beneficiar da valorização geral do mercado ao longo do tempo. Através dos ETFs, você obtém exposição a um grande número de empresas de forma diversificada e com baixo custo. Ao incluí-los em sua carteira, você reduz o risco individual de cada empresa e potencializa os ganhos com a valorização do mercado.

Títulos de longo prazo

Para se proteger da inflação, considere investir em títulos públicos de longo prazo, especialmente aqueles atrelados à inflação (IPCA). Ao fazer isso, você protege seu capital e renda do impacto da inflação ao longo do tempo. Lembre-se que a diversificação com ativos de renda fixa, como esses títulos, é importante para reduzir o risco geral da sua carteira.

BDRs

A mesma metodologia do buy and hold aplicada às ações nacionais pode ser utilizada com BDRs. A diferença é que, agora, você estará investindo em empresas estrangeiras de diferentes países e setores.

Para aumentar suas chances de sucesso, é importante aprofundar-se na análise do mercado internacional, buscando empresas com bom potencial de crescimento. A diversificação com BDRs de diferentes países é essencial para reduzir o risco e aumentar a estabilidade da sua carteira.

Quais são as vantagens do buy and hold?

A estratégia buy and hold oferece diversos benefícios. Saiba quais são:

Foco no longo prazo

O Buy and Hold permite que você se concentre nos fundamentos das empresas, em vez de se preocupar com eventos momentâneos como greves ou desastres naturais. Essas oscilações de curto prazo geralmente não impactam significativamente o desempenho das empresas no longo prazo.

Redução de custo

Com menos compra e venda de ativos, você diminui drasticamente os custos com corretagens, impostos e taxas. Isso significa que você pode manter mais do seu dinheiro investido e trabalhando para você.

Poder dos juros compostos

Ao reinvestir os dividendos e outros proventos recebidos, você potencializa o crescimento do seu patrimônio através do efeito dos juros compostos. Com o tempo, essa força pode multiplicar significativamente seus investimentos.

Economia de tempo

O buy and hold exige menos tempo e dedicação do que outras estratégias de investimento. Você não precisa ficar acompanhando as cotações diariamente, apenas revisando os resultados das empresas em sua carteira periodicamente, como a cada trimestre.

Quais são as desvantagens do buy and hold?

O Buy and Hold, apesar de ser uma estratégia vantajosa no longo prazo, tem desvantagens que merecem atenção. Confira:

Seleção de ativos

O Buy and Hold, apesar de ser uma estratégia vantajosa no longo prazo, tem desvantagens que merecem atenção. A primeira delas é a dificuldade na seleção de ativos. Escolher boas empresas exige dedicação para analisar fatores como fundamentos da companhia, cenário econômico e riscos envolvidos. Erros nessa escolha podem prejudicar todo o plano.

Incerteza do momento de venda

Outra desvantagem é a incerteza sobre o momento ideal para vender. O buy and hold não dá uma resposta clara para essa questão importante. É preciso analisar cada ativo separadamente para saber se está caro ou barato em relação ao mercado, o que pode gerar dúvidas, principalmente para investidores iniciantes.

Possível perda de oportunidades

Ao se concentrar no longo prazo, o buy and hold pode levar à perda de oportunidades de lucro em cenários de alta volatilidade do mercado. Ações com bom potencial de crescimento no curto prazo podem ser ignoradas em favor da rigidez da estratégia de longo prazo. Essa rigidez pode ser frustrante para aqueles que desejam aproveitar as oscilações do mercado para aumentar seus retornos.

Reinvestimento disciplinado

Para o buy and hold funcionar, é fundamental reinvestir os lucros obtidos com disciplina. No entanto, resistir à tentação de sacar esse dinheiro e usá-lo para outros fins pode ser um grande desafio. Saques constantes comprometem o crescimento do capital a longo prazo, frustrando as expectativas.

Como aplicar a estratégia buy and hold?

Descubra os passos recomendados para investir em ações com a estratégia buy and hold.

Escolha de ativos

Busque priorizar a seleção cuidadosa dos ativos. É importante fazer uma análise fundamental das empresas antes de investir, avaliando sua saúde financeira, potencial de crescimento e vantagens competitivas sustentáveis.

Utilizar indicadores financeiros como ROE, ROA, Dívida Líquida/EBITDA e P/L pode te ajudar nesse processo. Além disso, a diversificação do seu capital entre diferentes setores, tipos de ativos e regiões geográficas é essencial para reduzir o risco da sua carteira.

Aportes consistentes

O buy and hold se beneficia de aportes consistentes ao longo do tempo. Estabeleça um plano de investimento que defina seus objetivos, perfil de investidor, horizonte de tempo e tolerância ao risco. Vale investir uma quantia fixa de dinheiro em sua carteira regularmente, independentemente das flutuações do mercado. Aumentar seus aportes periodicamente pode potencializar seus retornos no futuro.

Conheça o seu perfil de investidor com o nosso questionário.

Reinvestimento de dividendos

Quanto mais você reinveste seus dividendos, mais seus aportes mensais aumentam. Isso gera um efeito cascata, elevando também os proventos recebidos. É um ciclo virtuoso que alimenta o crescimento do seu patrimônio de forma acelerada.

Os dividendos reinvestidos não apenas aumentam seus aportes, mas também potencializam os juros compostos. Essa combinação poderosa leva a um crescimento exponencial do seu patrimônio ao longo do tempo.

Abra uma conta em uma corretora de investimentos

Para investir, é fundamental destinar uma parcela dos seus rendimentos mensais para uma corretora de investimentos. Essa empresa facilita a compra e venda de ações e outros títulos, tornando o processo mais seguro e acessível para todos, desde iniciantes até experientes.

Através da corretora, você terá acesso a uma plataforma para realizar suas aplicações e acompanhar o desempenho dos seus investimentos.

Tenha paciência e disciplina 

Como você já sabe, o buy and hold é uma estratégia de longo prazo. Por isso, é preciso ter paciência para aguardar os resultados e não se deixar levar pela volatilidade do mercado a curto prazo. Mantenha suas emoções sob controle e siga seu plano de investimento com disciplina.

Faça revisões periódicas

Para garantir o sucesso a longo prazo, é importante revisar sua carteira periodicamente, de acordo com os seus objetivos de investimento, e sempre que houver mudanças significativas no mercado ou na sua vida pessoal.

Analise o desempenho de cada ativo e identifique aqueles que não estão mais cumprindo seu papel na carteira. Se necessário, realize o rebalanceamento da carteira para manter a diversificação e o nível de risco desejado.

As informações contidas nesse conteúdo servem apenas para fins informativos e não constituem uma sugestão de investimento personalizada. Para tomar decisões de investimento adequadas ao seu perfil e objetivos, a recomendação é consultar um profissional especializado.

Um assessor de investimentos experiente pode analisar suas necessidades e ajudar na construção de uma carteira personalizada, de acordo com seu perfil de risco e horizonte de investimento.

Acompanhe o nosso portal e saiba mais sobre mercado financeiro com os nossos e-books.

Carolina Gandra

Redatora do Melhor Investimento. Formada em Jornalismo, com 2 anos de experiência em redação de textos para diferentes nichos de mercado.